O Google Tag Manager (GTM) foi lançado em 2012 e veio para facilitar a vida de quem precisa monitorar visitas, conversões e outras métricas de seus sites. Para saber tudo sobre o Tag Manager, dê o play no vídeo abaixo:

O que faz o Google Tag Manager?

O Google Tag Manager faz a gestão (inclusão, uso e remoção) de tags em um site ficar muito mais fácil, segura e acessível.

Antes da chegada dessa ferramenta, qualquer código que fosse necessário inserir no site, desde algo simples e fundamental como o Google Analytics, era necessário fazer essa inclusão alterando diretamente o código fonte de nossos sites.

Para cada tag (incluída ou removida), uma nova alteração no código do site era necessária: Facebook Ads, Google Ads, Google Analytics e tantas outras.

O Tag Manager veio com a proposta de revolucionar essa questão, pois, com ele, você pode incluir apenas um script em sua página e fazer as outras inclusões que precisa, apenas em um lugar, sem a necessidade de acessar seu servidor.

Para entender mais da importância de usar o GTM para essa gestão de tags, veja meu artigo Google Tag Manager – Monitorando o site do jeito fácil no blog do Mestre Academy.

Como Funciona o Tag Manager?

Hoje o Tag Manager é uma ferramenta muito robusta, dividida em 3 pilares: tags, regras e variáveis. Continue lendo para entender como cada um deles funciona.

Tags

Tags, são basicamente os scripts que você inclui, tais como: tags de remarketing, tag de conversão do AdWords, do Facebook, entre outras diversas tags HTML que podem ser facilmente adicionadas.

Regras

A Regra, ou Acionador, (em inglês, trigger) serve para determinar quando uma tag específica será ativada. Pode-se escolher diversas ações diferentes para que sejam a regra de ativação de uma tag:

  • um clique (imagem, link, botão etc),
  • o carregamento de uma página,
  • o envio de um formulário

e de várias outras formas diferentes. Utilizar esse pilar com maestria é ter o poder do monitoramento, dados e métricas em suas mãos.

Variáveis

As variáveis estão disponíveis para serem manipuladas dentro de suas tags ou de suas regras.

Por exemplo, os monitoramentos para Google Analytics (pageview, ecommerce, eventos ou outros) precisam sempre da informação de qual é o seu código de propriedade (aquele código UA-12345678-9).

Para você não precisar memorizar (e nem ficar procurando onde encontrar esse código toda vez que precisa dele), com o Tag Manager você pode criar uma variável (“código do Analytics”) e dar a variável o código UA do seu Analytics.

A partir daí, a cada tag do Google Analytics que você precisar, você poderá usar a variável “código do Analytics” para identificar o seu UA para aquela tag.

Explicado assim pode não parecer simples, mas vendo como eu faço no meu curso de Analytics e Tag Manager, fica bem fácil de seguir o passo-a-passo nos vídeos das aulas.

O fato é que você vai ter mais velocidade e praticidade para ter os seus monitoramentos, tanto na criação das tags no GTM, quanto na ativação desses monitoramentos no site.

Vantagens do Tag Manager

A principal vantagem ao utilizar o Google Tag Manager é poder manipular seus códigos de monitoramento de forma prática, sempre que precisar.

Ou seja, você não vai depender de uma pessoa que tenha acesso e habilidade para mexer no código fonte do site para obter os monitoramentos que você precisa, sejam para obter métricas de engajamento, ou métricas de conversão.

Assim, você anula a burocracia de solicitações ao T.I, ao desenvolvimento, espera na fila de implementações etc.

Além disso, mesmo pessoas experientes correm o risco de alterar um trecho do código do site e isso gerar algum tipo de problema, ou ainda, inserir uma modificação em uma página e esquecer de alterar em outro lugar.

O uso do GTM aumenta também a segurança em seus projetos, uma vez que apenas uma pessoa pode ficar responsável pelas alterações.

A ferramenta conta também com um histórico de modificações, que permite que você volte em versões anteriores das suas tags, regras e variáveis, caso algum erro ocorra ou alguma modificação que não era para ter sido feita, já tenha sido realizada.

Importante notar também que o GTM oferece o recurso de pré-visualização de alterações. Com ele, apenas você, no seu navegador, experimenta as alterações feitas. Aí você testa tudo e, se estiver tudo em ordem, você faz a publicação para as alterações serem aplicadas para todos que visitam o site.

Aprenda Mais

Para saber tudo sobre como usar o Google Tag Manager, recomendo mesmo que você conheça o meu Curso Online de Google Analytics e Tag Manager no Mestre Academy.

Nesse curso você aprenderá na prática a realizar o monitoramento de seu site, blog ou loja virtual. Você terá acesso a um material completo em vídeo aulas que mostram o passo-a-passo exato para mensurar tudo que é necessário em seu negócio.

Para garantir que você vai conseguir aprender tudo, vai conseguir ajustar o que for necessário para o seu site e seus desafios, eu fico à disposição por lá para tirar todas as suas dúvidas.

Se você quiser acelerar os resultados e sua habilidade com o Analytics e o Tag Manager, não deixe de se inscrever no curso. Se tiver dúvidas, comente logo aí!