Olá leitores, vocês já sabem o que é o HTTPs? Esse protocolo, que existe em vários sites, como Google, Facebook e e-commerce, garante um pouco da segurança de todos nós, que navegamos na internet. Mas, ele também tem transformado o posicionamento dos resultados do Google. Quer saber porquê? Então clique ou leia abaixo:

Anúncio do Google

No passado, o Google fez um grande anúncio dizendo que sites que tivessem esse protocolo seguro, o chamado HTTPs, seriam privilegiados nos resultados de busca.

Diante desse direcionamento, que foi feito em 2014, os webmasters começaram a fazer essa transição do site para a versão HTTPs, com o intuito de realmente se posicionar melhor no Google.

30% dos sites já têm HTTPs

Depois que o anúncio foi feito, e com o passar do tempo, saiu um estudo da Moz mostrando que 30% dos sites que estão na primeira página do Google — das 10 mil palavras-chave que a Moz monitora — já estão em modo HTTPs.

Quanto o algoritmo foi lançando, esse número estava em menos de 6%, depois foi para 8%, para 9%, foi crescendo mais um pouco e, de repente, a Wikipédia se transformou totalmente em HTTPs também, ou seja, implementou esse modo de navegação mais segura.

Com isso, obviamente aconteceu um pico no número de sites que já possuem HTTPs, pois a Wikipédia ocupa várias das primeiras posições, mas, esse número continuou crescendo!

Trabalho de assessoria de imprensa

A grande questão é que, o Google pode até ter feito um cálculo ou uma mudança de algoritmo, porém, o grande trabalho e a transformação aconteceu mesmo com o trabalho feito pela assessoria de imprensa, já que nenhum estudo conseguiu mostrar um crescimento drástico nos sites que fizeram a mudança do HTTP para HTTPs. Normalmente, existem outros fatores envolvidos, mas nunca foi o HTTPs!

E veja que sacada mágica: o Google fez todo um trabalho de assessoria de imprensa e, depois de fazer também uma projeção, de que em um ano e meio mais de 50% dos sites estariam em modo HTTPs, ele pôde se programar para ter o algoritmo e calibrá-lo bem. Assim, as páginas sem o protocolo ficam desprivilegiadas, já que o Google quer que os usuários tenham uma experiência muito boa, o que inclui a segurança da informação.

Layout responsivo

O mesmo aconteceu na parte de busca móvel. Hoje, quando se usa o celular para pesquisas, o Google privilegia sites responsivos ou os sites com layout compatível com dispositivos móveis, que são os smartphones.

Então, note que o resultado da busca no desktop, que é feita através de um computador tradicional, pode ser diferente do resultado que se obtém no celular. Isso acontece porque pode haver algum site que abre bem para desktop, mas não abre bem para mobile. Isso, de priorizar certas páginas, também  deve acontecer no HTTPs.

Acompanhe a mudança

Portanto, consulte os seus projetos, nos seus negócios, na sua empresa, veja se já existe esse modelo e comece a se preparar. Procure a equipe de TI, ou pergunte para a sua empresa de hosts, como faz para migrar do HTTP para o HTTPs.

Esse não é um trabalho fácil e não acontecerá da noite para o dia, porém, você consegue encontrar diversos guias de ajuda. Tenha calma, estude, analise, crie um projeto e só faça se você tiver muita consciência do que está operando.

Mas lembre-se: mais dia ou menos dia, o Google vai virar a chave e sites que não estão com a versão segura, terão seu posicionamento prejudicado, sendo ultrapassados por aqueles que já possuem HTTPs.

Gostou da dica? Então continue navengando em nosso blog e compartilhe com seus parceiros as informações que achar mais relevante para o seu negócio!