Não Viole as Diretrizes para Webmasters do Google

Olá leitores da Mestre,

Desde que lançamos nosso curso de SEO em 2009 e até mesmo antes em minhas palestras ou participações na comunidades, recomendava a não violação das diretrizes do Google. Para quem não está familiarizado com o assunto, o Google possui uma série de regras que regem o seu índice de resultados. Estas regras estão disponíveis publicamente neste endereço.

Ainda que elas estejam no jogo, a tentação é muito grande. Sabemos que é do ser humano tentar burlar um sistema para ganhar vantagem e nesta área competitiva não é diferente. Para combater esta legião de profissionais que desejam ter vantagem desleal, o Google ataca com algumas armas. Ele possui os famosos updates, que ajudam a limpar/organizar o seu índice de técnicas de spam, e funcionários capazes de aplicar penalizações individuais.

Em ambos os casos o objetivo é o mesmo: trazer ordem ao índice e remover a vantagem que uma violação de suas diretrizes estava causando.

Práticas mais Comuns

Ainda que estejamos em 2014, vejo sempre através dos nossos formulários de contato ou até mesmo em nossos cursos práticas como:

  • Compra/venda de links
  • Conteúdo duplicado/roubado
  • Keyword stuffing
  • Link farm ou outros esquemas

Estes são os principais problemas que eu acabo vendo, mas sabemos que existem diversas outras formas de ganhar vantagem violando as diretrizes. Ao meu ver são estratégias de curtíssimo prazo, que não garantem, ou melhor, que não trazem resultados claros.

Apesar disto, muitos continuam a seguir nesta linha, desacreditando nas iniciativas do Google para combater este tipo de iniciativa, ou ainda mencionam, “meu concorrente faz, também vou fazer!”.

Para lhe embasar mais para este ano, resolvi listar as principais iniciativas que tornaram-se públicas, apenas no ano de 2013.

Iniciativas do Google e Casos Reais

Spam no Google Maps

no início de 2013, o Google lançou novos algoritmos para detectar spam em reviews no Google Maps. Esta é uma prática muito comum (e não correta) no mercado brasileiro, onde cria-se perfis falsos para deixar reviews positivos ou negativos.

Publieditoriais

Ainda no primeiro semestre o Google deu a direção de como vai seguir com os famosos publieditoriais. No caso da Interflora, eles penalizaram o site por realizar ações de publieditoriais que tinham links apontando para o website da marca, sem o uso de nofollow. Como estes links foram inseridos em conteúdo pago, caracteriza-se um caso de compra de links.

Redes de Links

O último ano foi realmente uma caça as redes de links, aquelas que trocam links ou vendem links para os seus integrantes com a finalidade de melhores posicionamentos. O Google teve diversas iniciativas ao longo do ano para remover a eficiência destas redes.

Minha dica aqui é: fuja de qualquer promessa de links fáceis. Não caia na tentação de conversar com pessoas/empresas que oferecem 1.000 (ou qualquer número estranho) de backlinks com “excelente qualidade”. Esta é a pior forma de se ganhar links e pode levar realmente a uma penalização.

Geração de Spam por Usuários

Não é novidade que o Google não gosta de indexar páginas que contenham spam. Neste sentido, ficaram públicos os casos da Mozilla, Sprint e BBC, onde usuários, ou melhor, spammers, fizeram uso de técnicas para explorar áreas do site e inserir spam em comentários e mensagens.

Links Escondidos

Ainda que pareça uma estratégia “boba” ou “antiga”, a inserção de links escondidos ainda ronda o nosso dia-a-dia. Como prova disto, uma grande discussão surgiu nos fóruns do Google, onde uma empresa de hospedagem de sites incluía nos sites de seus clientes uma série de links escondidos e isto estava causando problemas em termos de posicionamento para os seus clientes. A lição aqui é sempre olhar o seu código fonte e desconfiar de hospedagens gratuitas que nunca lhe cobrarão nada.

Guest Posts

No último mês de 2013, o representante oficial do Google, Matt Cutts liberou um vídeo falando ainda sobre Guest Posts:

Segundo ele, temos que nos atentar para o fato de que este tipo de estratégia é cada vez mais utilizada por spammers e profissionais que querem ganhar links rapidamente. Diante disto ele recomenda que este tipo de estratégia não seja a única do seu website, pede ainda para não fazer envio em massa de emails oferecendo um guest post e por fim recomenda não replicar o mesmo artigo em diversos sites.

Conclusões

Vimos nos últimos anos diversas atualizações do Google onde, muitas delas, objetivam a melhor classificação de websites e a remoção de spam. Em 2013 não foi diferente. O combate a spam foi grande e de diversas formas.

O recado que você precisa ter em mente é que este tipo de trabalho não compensa. Tentar explorar o Google é um atestado de que você estará sempre atrás das ferramentas de busca. Ao invés disso, se concentre em oferecer um bom serviço e produtos para os seus usuários. Mire neles e na experiência que você está oferecendo. Estes mesmos usuários são os responsáveis por te qualificar no futuro.

Por fim, fique atendo. Na Rússia, o maior buscador, Yandex, cansado de ser manipulado em suas buscas já lançou em produção, um algoritmo que não depende da contagem de links para determinar sucesso.

Se isto, um dia, for implementado pelo Google, onde ficam todas as estratégias de spam que são feitas? Por isto, mire nos usuários, e não no algoritmo de uma ferramenta de busca.