Olá leitores da Mestre,

Quando criamos um website, um dos principais focos é atrair visitantes para conhecer o seu trabalho, produto ou serviço, resultando em algo bom para você, seja ela exposição ou negócios. Na busca por estes objetivos, criamos páginas, artigos, guias, listamos produtos e serviços, e raramente revisamos depois de algum tempo se aquela página está perfeita, com imagens exibindo, formulários funcionando e referências (links) levando a páginas tudo ao longo do tempo.

Este último item influi muito na satisfação do usuário e também na visão do Google, pois ninguém deseja clicar em um link e acabar em uma página de erro 404, página não existente. Imagine quanto tempo você investe escrevendo ou projetando um website, para um belo dia, um cliente potencial visita a página, clica no principal link da página e recebe uma mensagem de erro pela não existência da página. É uma situação que precisamos evitar.

Para o Google tem o mesmo efeito, ao encontrar um link que resulte em uma página 404, você acaba perdendo um certo crédito. Obviamente que você não será penalizado por isto, mas sim deixará de ganhar mais espaço junto ao buscador.

Observando os dois lados, usuário e Google, é fundamental não ter links quebrados no seu site. E para ficar de olho neste tipo de caso, listo abaixo 3 formas simples de você atacar este problema.

Xenu

Nós já escrevemos sobre o Xenu aqui no nosso blog e mostramos como identificar um link quebrado através da ferramenta. Basta adicionar o seu website e aguardar a varredura da ferramenta.

Todos os links quebrados ficarão em vermelho:

Xenu - Links Quebrados

Para saber qual página referencia esta URL que retorna 404, basta clicar com o botão direito sob a URL e selecionar “URL Properties”:

Xenu - Propriedades

Acesse cada URL ali listada e ajuste a referência do link ou remova-o definitivamente.

Screaming Frog

A Screaming Frog é uma ferramenta paga, mas ela fornece uma série de funcionalidades especiais. Uma delas é a detecção de páginas que possuem o código de retorno 4xx, ou seja, as páginas de erro. O primeiro passo é colocar o seu domínio na caixa superior e clicar em “Start”.

Screaming Frog

A ferramenta irá processar todo o seu website e ao longo do processo, você pode clicar na aba “Response Codes” e filtrar por erros 4xx. Você terá uma lista de URLs que retornaram um erro deste tipo.

Screaming Frog - Lista de Erros

Para saber em qual página esta URL foi linkada, basta clicar no canto inferior esquerdo em “In links”. Estas são as páginas que mencionam a URL que está retornando erro 4xx.

Screaming Frog - Link Quebrado

Plugin para WordPress: Broken Link Checker

Por fim, para os utilizadores de WordPress, existe uma solução muito boa, o plugin Broken Link Checker. Basta instalá-lo em seu WordPress e você terá um sistema que verificará automaticamente cada link interno e externo procurando por aquelas que fornecem um erro 404.

Uma widget é instalada no seu painel de administrador para que você tenha acesso rápido ao relatório:

Painel - Broken Link Checker

Ao clicar no link para ver o relatório completo, é possível ter muitos detalhes das URLs com problemas:

Broken Link Checker - Relatório Completo

Uma outra funcionalidade é que o plugin envia um email periodicamente para você, informando sobre links quebrados em seu WordPress:

Broken Link Checker - Email de Aviso

Encontrei os erros, e agora?

Com estas ferramentas em mãos você poderá facilmente encontrar os links quebrados do seu projeto e agir. Você possui algumas alternativas:

  • Descobrir por que a página deixou de existir e colocá-la no ar novamente;
  • Procurar uma outra URL que tenha o mesmo conteúdo que a antiga, para refazer o link;
  • Remover o link e qualquer menção do que tenha existido.

Seja qual for a sua decisão é fundamental consertar o erro.

Outro ponto importante é que você busque por este tipo de problema de forma recorrente, a cada 1 ou 2 meses. Assim você certificará que o projeto está bem organizado, fornecendo uma boa usabilidade para os usuários e levando o Google a endereços úteis.

Gostou das dicas? Compartilhe em suas redes sociais ou deixe um comentário abaixo!