Agent Rank – Um Modelo para Reconhecimento de Autores

Agent Rank - Um modelo para reconhecimento de autores

Olá leitores da Agência Mestre,

Em Junho o Google anunciou em seu blog oficial o suporte a uma marcação para que autores indiquem quais conteúdos na Internet são de sua autoria. A ideia parece simples mas as possibilidades a partir daí se tornam muito grandes.

Agent Rank
View more presentations from Fábio Ricotta

Aplicações Iniciais

A aplicação inicial é bem direta: indicar quem é dono de qual conteúdo na Internet. Mas isto não estaria completo se o Google não pensasse em uma forma de aplicar isto de forma clara ao usuário. Diante da situação e da sua nova rede social, o Google+, bastou “um passo” para possibilitar a conexão da pessoa a obra.

Além desta aplicação “visual”, o plano do Google é um pouco mais ousado. Com esta noção de quem escreveu o quê, ele poderá assumir um ranking de autoridade de cada um dos autores na Internet. Por exemplo, se meus artigos são bem referenciados, por diversas pessoas em redes sociais e através de bons backlinks, com certeza o meu ranking como autor será muito melhor. Esta ideia já foi patenteada em 2007 pelo Google através do nome de Agent Rank, ou seja, já era algo bem estudado pelo gigante das buscas.

No meu modo de pensar, podemos estender a ideia da concepção original do PageRank e TrustRank pensando no Agent Rank como algo onde você possui uma reputação pelo que escreve e por quem indica o seu conteúdo, ou seja, se você for bem referenciado, por bons autores, você conseguirá um bom índice de autores.

Exemplos no Google

Uma das primeiras coisas que começamos a notar nas páginas de resultados do Google é a exibição dos autores de conteúdo:

Google exibindo o nome do autor

Este modelo de exibição de resultado obtém a imagem do autor, seu nome e quantos círculos no Google+ ele se encontra. Tudo isto baseado em formatação no HTML do artigo e de informações do profile do autor no Google+.

Outro exemplo de aplicação que está começando a ganhar forma é o filtro de artigos por autor. Ele pode ser ativado ao clicar no nome do autor, sempre que o Google exibir os tipos acima mencionados do visual rico.

Google com mais detalhes sobre o autor

Clicando na marcação exibida acima, você verá a tela seguinte:

Google com filtro de autor

Nela, repare que existe um filtro na caixa de busca, exibindo o nome do autor, onde os resultados listados abaixo referem-se apenas ao autor selecionado. É uma aplicação bem interessante para quem desejar encontrar artigos e conteúdo de um único autor.

Como Ser Exibido como Autor?

O Google, em sua definição de suporte as tags rel=me e rel=author possibilitou aos autores marcarem o seu conteúdo na Internet. Mas isto não é o bastante para que o Google exiba o seu perfil junto aos seus artigos. Para conquistar tal snippet, você deve seguir os seguintes passos:

  1. Tenha um perfil no Google+;
  2. No seu perfil do Google+, referencie os sites onde você escreve – isto pode ser feito através do link Editar perfil na sua página do Google+. Em seguida, clique na caixa Links, na parte direita da página, e adicione os links para os sites onde você escreve;
  3. É muito importante que a sua foto do Google+ tenha uma boa qualidade e seja do seu rosto;
  4. Nas páginas onde você escreve, você deve inserir a sua badge, ou como o Google vem chamando, o botão de Perfil. Para isto, acesse este endereço e crie a sua badge e, em seguida, adicione nos sites e conteúdos que você escreve;

Para verificar se o Google está vendo realmente o seu conteúdo como você sendo o autor, utilize a ferramenta de testes de rich snippets. Com ela, você pode inserir a URL de um dos seus artigos e conferir se o Google reconheceu a marcação e atribuiu a você a autoria do conteúdo.

Vale lembrar que mesmo fazendo todos os passos listados acima, o Google é quem decide se você será ou não exibido como autor dos artigos. Com certeza eles possuem um certo nível para que você conquiste tal rich snippet.

E o Futuro?

A grande pergunta que fica depois de toda esta exibição de “poder” do Google é: o quem vem por aí? Para identificar isto, somente olhando em patentes.

A primeira aplicação que podemos ver que o Google pode estar trabalhando é na detecção de conteúdo duplicado na Internet. Sabemos que quando publicamos algo na Internet, outras pessoas podem copiar o nosso conteúdo com e sem a nossa autorização. O ponto principal é que nem sempre o Google consegue definir quem é realmente o site cujo autor escreveu o artigo original. Com esta patente (Content Author Badges) o Google poderia ter um sinal mais forte, na validação da página e site cujo autor endossa como sendo a página original.

A segunda aplicação possível de ser implementada pelo Google é a de re-organizar os resultados de busca baseado no ranking do autor, uma espécie de “bonificação” para um resultado escrito por um autor com alto índice de qualidade. Apesar das patentes listadas no artigo serem de posse da Microsoft, é possível que o Google já esteja trabalhando em uma visão aproximada do assunto, pesquisando quem são os autores de qualidade de um nicho e, em seguida, reorganizem os resultados baseado na reputação de cada autor. É uma aproximação razoável para cenários onde você precisa de um desempate em relação a qualidade do artigo.

Conclusões

Estamos vendo uma mudança muito interessante no Google, onde ele está posicionando a sua rede social, o Google+, para embasar as estruturas de marcação de autoria de conteúdo na Internet. Em um movimento lógico, é possível que o Google estenda esta conexão para agregar novos fatores para rankear uma página.

Nos próximos artigos vamos abordar estratégias que podem ser utilizadas por portais, autores e profissionais de SEO para explorar estas novidades no Google.

Espero que tenham gostado e até o próximo artigo!

Créditos da imagem: Audringje.

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

15 Comentários para “Agent Rank – Um Modelo para Reconhecimento de Autores”

  1. Douglas Moreira Borges

    Excelente dica, estou tirando muito bom proveito da mesma.
    A Google com essa estratégia esta melhorando muito para quem é Blogueiro, Web Master, e afins, e escreve para revistas, Blogs e Etc, merecemos nosso reconhecimento.
    Valeu Agência Mestre.

    Responder
  2. Nelson Schuck

    Da maneira que o facebook tem se comportado não será um expando para ninguém quando o Google+ tomar seu espaço, cada vez estamos mais dependentes do lado social da coisa, onde um simples +1 pode impactar muitas buscas feitas por ia.

    Vejo finalmente o problema do conteúdo duplicado sendo finalmente resolvido.

    Responder
  3. Ricardo

    Fábio,

    Parabéns pelo artigo!
    Fiquei com uma dúvida… O botão do profile do google + deve ser adicionado no site todo ou individualmente por página? Pergunto isso porque até mesmo os blogs tem páginas que não são necessariamente um artigo ou uma página de contato, etc..

    Abs!

    Responder
  4. Giresse

    Realmente um ótimo artigo.
    Só trago uma questão a ser debatida.

    No caso de grandes jornais e marcas, eu acredito que o melhor seria se, ao invés de referenciar o autor, fosse referenciado site/marca. Digo isso, principalmente, por dois motivos:

    – A grande maioria dos jornais, por exemplo, não trata o conteúdo como do Autor, mas sim como do Jornal (origem).
    – Outro ponto é que os autores não possuem perfil no Google+. Pelo contrário, é mais comum os jornalistas de grande reputação não terem perfis em redes sociais.

    Os dois pontos acima dificultam a implementação dessa funcionalidade que, ao meu ver, ajudaria muito no caso de conteúdo “roubado”.
    Contudo eu acho que o ideal seria que, para o caso de grande sites de jornais, por exemplo, ao invés de referenciar o autor, o Google mostrasse o site/marca como autor do conteúdo, referenciando o conteúdo para o perfil do site/marca no Google+.

    O que vocês acham?

    Responder
  5. Roberto Silva

    Fiquei na dúvida se os links dos sites para os quais escrevo devem ser adicionados em “colaborador de” ou “links recomendados” no Google+.

    Responder
  6. Thalles Castro

    Muito bom artigo Ricotta,

    Tenho admirado muito as mudanças que o Google vem fazendo nos últimos tempos, e tbm a iniciativa de tentar trazer e engajar as pessoas no Google+
    Acho que agora o Google acertou a mão de vez, esta integrando seus produtos e deixando a rede cada vez mais atrativa e útil.

    Estou só esperando um suporte mais para as páginas, um dashboard e um módulo de analytics para que as empresas possam começar a usar de vez….

    Um abraço

    Responder
  7. Junior silva

    Muito bom este artigo, mas eu tenho uma dúvida sobre um outro assunto( estou postando aqui pois não achei nada sobre este assunto em outros artigos)….Bom, eu tenho um dominio “meudominio.com.br”, mas a palavra chave do meu negocio não está no meu dominio, então se eu comprar um dominio “palavrachavedonegocio.com.br”, e fizer o apontamento deste dominio para o “meudominio.com.br” ajudara nas pesquisas organicas? já que o google normalmente mostra em seus resultados dominios “perfeitos” de acordo com a palavra pesquisada…

    obrigado

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>