Google penaliza Interflora

Olá leitores da Agência Mestre,

Na última semana vários blogs europeus e americanos noticiaram que o Google penalizou o site britânico de flores, Interflora, por compra de publieditoriais, “advertorials” como é chamado lá fora. A punição foi bem severa e um dos prints, retirado pelo Martin Macdonald, mostra que o site sequer ranqueia para o seu próprio nome:

Interflora sem raqueamento

O Antes e Depois da Punição

Ainda segundo a publicação do Martin Macdonald, o site Interflora era um dos líderes do segmento, com uma visibilidade invejável, conforme mostra o relatório da Search Metrics:

Posicionamento da Interflora

O gráfico de visibilidade é um tanto quanto assustador, pois mostra a queda gigantesca em termos de visibilidade no Google:

Visibilidade no Google do site Interflora

Segundo o blog do David Naylor, um antes e depois dos rankings também pode ser visto:

Após a penalização, o site aparece próximo a página 5 em quase todas as palavras:
Ranking após a penalização

Os Publieditoriais

Segundo a investigação dos sites e profissionais, o site Interflora começou uma campanha de link building para se preparar para o dia dos namorados, que lá é chamado de “Valentine’s Day” e é comemorado no início do ano. Para a estratégia, o site pensou em divulgar o seu modelo de trabalho em diversos jornais britânicos, reforçando sua marca e ganhando um link em cada matéria.

Publieditoriais realizados

Este processo é largamente conhecido no Brasil como publieditorial e é usado em larga escala por grandes marcas e normalmente “oferecido” por blogueiros.

As Diretrizes do Google

Uma das coisas que sempre faço nos cursos de SEO para os meus alunos é ler todas as Diretrizes para Webmasters para que eles estejam cientes do que o Google considera uma infração às regras. Observando o caso, constata-se a seguinte infração:

Participar em esquemas de links

Ainda segundo o Google:

Os links que visam manipular a classificação de um site nos resultados de pesquisa do Google podem ser considerados parte de um esquema de links. Isso inclui comportamentos que manipulam links para seu site ou links em seu site que direcionam para sites externos. A manipulação desses links pode afetar a qualidade de nossos resultados de pesquisa. Por isso, trata-se de uma violação das diretrizes para webmasters do Google.

O Que Poderia Ser Feito

Ainda segundo as diretrizes do Google, existe um conselho quando se faz este tipo de compra de espaço:

Os links de anúncios PPC (pagamento por clique) que não passam o PageRank ao comprador do anúncio não violam nossas diretrizes. Há diversas maneiras de impedir que o PageRank passe, tais como:

  • Adicionando um atributo rel=”nofollow” à tag “a”
  • Redirecionando os links para uma página intermediária bloqueada a partir de mecanismos de pesquisa com um arquivo robots.txt

Caso o site Interflora exigisse a inserção da tag rel=”nofollow” em todos os links contidos nos publieditoriais a campanha seria totalmente válida, pois não manipularia o algoritmo.

Os Jornais Também São Penalizados

Assim como comprar links, o ato de vendê-los também é passível de punição. Neste caso, o Google também atuou frente aos jornais britânicos, diminuindo o valor do PageRank de seus domínios:
Jornais Penalizados no Caso Interflora

Ainda que não tenhamos notado uma perda de posicionamento direta por este ato, os jornais perdem credibilidade junto ao Google e podem, a longo prazo, não conseguirem o mesmo desempenho que antes. É uma espécie de quebra de confiança.

A Versão do Google

Ainda na mesma semana, o grande representante do Google nestes casos, Matt Cutts, entrou em cena no blog oficial do Google para Webmasters e relembrou a todos que o uso de publieditoriais ricos em links e que sejam utilizados para manipular o buscador é uma violação das diretrizes.

Google has said for years that selling links that pass PageRank violates our quality guidelines. We continue to reiterate that guidance periodically to help remind site owners and webmasters of that policy.

Please be wary if someone approaches you and wants to pay you for links or “advertorial” pages on your site that pass PageRank. Selling links (or entire advertorial pages with embedded links) that pass PageRank violates our quality guidelines, and Google does take action on such violations. The consequences for a linkselling site start with losing trust in Google’s search results, as well as reduction of the site’s visible PageRank in the Google Toolbar. The consequences can also include lower rankings for that site in Google’s search results.

Cenas do Próximo Capítulo

A novela de compra/venda de links estava praticamente no fim quando um dos profissionais de SEO mais antigos e respeitados do mundo, Aaron Wall, entrou em cena para refletir sobre o caso.

Segundo o profissional, ainda que o Google tenha tomado esta posição contra os publieditoriais, ele deveria olhar um pouco mais de perto o que ele mesmo está fazendo. Em sua publicação, ele mostra dois casos, descarados ao meu ver, de compra de publieditoriais por parte do Google! Exatamente, o Google compra publieditoriais em jornais para divulgar os seus produtos.

Publieditorial do Google

Em um segundo publieditorial, o Google divulgou o Hangout e seu Chromebook:
Segundo publieditorial pelo Google

Ainda que o Google seja o Google, se ele pratica regras para estar em seu índice, ele deve exigir isto de todos, inclusive dos seus times. Eles devem estar alinhados às diretrizes para webmasters assim como todos nós.

O correto seria penalizar da mesma forma que o site Interflora e jornais britânicos, as propriedades do Google mencionadas (Adwords, Analytics, Hangout e Chromebook) além dos jornais utilizados na divulgação.

Onde será que estão os profissionais que sempre defenderam as diretrizes para webmasters, tais como Pedro Dias, Ariel Lambrecht, Miguel Silva e um dos atuais integrantes do time de webspam do Google, André Rosa. Qual será a visão deles sobre o caso da empresa que defenderam ou defendem?

Qual a sua opinião? Comente!