Olá leitores da Agência Mestre, É bem raro discutirmos técnicas de Black Hat aqui na Agência Mestre mas em uma das minhas leituras diárias de SEO me deparei com uma hipótese de Black Hat muito interessante. Toda a discussão gira em torno da Cross-Domain Canonical Tag, mas vamos entender um pouco melhor como tudo funciona. Cloaking com a Canonical Tag foto por: *She’s Electric

A Canonical Tag

A Canonical Tag nada mais é do que uma tag HTML capaz de indicar para os mecanismos de busca que existe um conteúdo duplicado de uma página A com relação a uma página B. Por exemplo, se faço o seguinte código em uma url-B.html:




Eu indico para os mecanismos de busca que a página B em questão possui um conteúdo idêntico, ou muito similar, a página B e desta forma, todas as propriedades de link juice e trust devem ser transferidos para a página A. O único ponto da Canonical Tag é que ela poderia ser utilizada apenas entre páginas do mesmo domínio, fazendo com que, em alguns casos, você não possa indicar realmente de onde era aquele conteúdo duplicado.

Cross-Domain Canonical Tag

Conforme eu ilustrei no artigo, a Canonical Tag entre domínios surge para resolver o problema ilustrado no parágrafo anterior. Imagine um cenário onde você deseja distribuir o seu conteúdo nos seus sites de parceiros, algo que é muito comum com websites de jornais. O grande ponto é que ao pensar em SEO você acabaria com um grande problema de conteúdo duplicado, onde diversos sites, com diversas páginas teriam o mesmo conteúdo.

Pois bem, o Google anunciou então o suporte da Canonical Tag entre páginas de dois domínios, dando a possibilidade de indicar que qualquer página na internet possa ser a original do conteúdo que você apresenta. Por exemplo, para dizer que o conteúdo que estou exibindo na página X no domínio B é idêntico ao conteúdo na página Y no domínio A, basta fazer o código:




Cloaking com Cross-Domain Canonical Tag

Uma idéia de cloaking surgiu com a Cross-Domain Canonical Tag e pode ser um grande problema para os mecanismos de buscas que adotarem a tag. Pense no seguinte caso: Imagine um website de uma universidade de farmácia.

Nela com certeza encontraremos informações sobre materiais químicos, pesquisas e informações sobre remédios e pílulas. Agora pense em um website de farmárcia, que vende viagra e outros tipos de pílulas. Este website é um daqueles que faz spam em comentários, blogs e possui mais de 1 milhão de links com a âncora viagra. Diante deste cenário, pense na seguinte hipótese: um website de viagra paga um determinado aluno para fazer um artigo falando sobre viagra e publicá-lo na página da universidade, o que é muito comum, pois é fácil obter acesso ou criação de páginas em domínios de universidades.

Em seguida o dono do website de viagra fala para o estudante criar uma Canonical Tag, apontando para uma página do website de viagra, a qual possui o mesmo conteúdo, mas o dono pode alterar todas as imagens e manipular Calls to Action. Pronto! Temos um belo cloaking formado! Desta forma, basta fazer linkbuilding para a página da universidade, o que não é muito difícil, por ser uma boa pesquisa e desta forma todo o trust e juice adquirido para a página da universidade será passada para a página que está dentro do website de viagra.

Pense nas possibilidades! Não é preciso acesso direto ao servidor da universidade ou de um website relacionado, basta explorar falhas já conhecidas em blogs wordpress e apenas adicionar a Canonical Tag para uma página de spam. Desta forma, o problema de spam só aumenta.

Conclusões

Este artigo tem como idéia, discutir uma técnica de Black Hat que será comum neste mundo da nova Canonical Tag. Este é um problema que os mecanismos de busca terão que resolver e provavelmente já estão pensando em solução. Enquanto isto não é resolvido, mantenha o seu blog ou servidor web atualizado, desta forma você diminui o risco de “roubarem” o seu juice através da Canonical Tag. Um abraço e até a próxima!