Uma das formas de ganhar autoridade no meio digital é criar conteúdos de valor para seu público-alvo. Pensando nisso, desenvolvemos este guia de como criar um e-book, seguindo etapas estratégicas para fazer do seu material um entregável que vai aproximá-lo ainda mais dos seus clientes em potencial.

Aqui no blog, já lhe explicamos o que é e-book. Porém, o foco de hoje, é lhe fornecer um passo a passo com todos os detalhes que devem estar presentes no processo de criação. Continue lendo este artigo e confira!

Como criar um e-book e gerar resultados?

Antes de conhecer os passos, é preciso entender que e-books — ou qualquer outro tipo de materiais ricos — infográficos, planilhas, etc — são muito mais do que “iscas” para conquistar leads (contatos interessados em seu produto/serviço).

Você precisa começar a produzir com uma mentalidade de que vai entregar algo de real valor para as pessoas. Afinal, se elas vão preencher um formulário e ceder e-mail, telefone, e talvez até outros dados, em troca do e-book, também vão esperar receber algo que seja útil.

Portanto, utilize esse conteúdo como uma forma de começar a solucionar as “dores” dos leitores — que você vai identificar durante o seu estudo de público. Pense em quais são os principais problemas, bem como outras questões que você pode ajudar a esclarecer em seu material.

Compreendendo a importância de produzir algo que vai agregar valor, você pode começar a seguir os passos de como criar um e-book. São eles:

1. Escolha o tema

A escolha do tema é a primeira etapa, já que vai direcionar a escrita de cada tópico. Muitas pessoas já sabem o que desejam abordar e, então, têm a ideia de criar um e-book. Por exemplo: se você tem um negócio ou um projeto pessoal e já pensou que determinado assunto poderia se tornar um material rico, essa é uma forma de começar.

Mas, caso ainda não tenha uma temática em mente, não é um problema. Na verdade, essa pode ser uma oportunidade de começar de uma maneira muito mais estratégica. Pois você vai se dedicar a escolher algo que solucione questões do seu público-alvo, algo que vai gerar engajamento. Para isso, o uso de algumas ferramentas podem ajudar.

Conheça seu público e identifique temáticas relevantes

O que você sabe sobre as pessoas que acompanham sua marca ou sobre aquelas que deseja se aproximar para fidelizar? Utilize os dados do Google Analytics para conhecer mais sobre elas (confira dados demográficos e de comportamento digital).

Além disso, lembre-se de que pode usar as redes sociais para analisar o perfil de interesse do público engajado às suas páginas. Você pode fazer uma pesquisa simples e qualitativa, conferindo como são as interações, a forma e o que comentam, entre outros detalhes. Mas, tanto o Facebook, quanto o Instagram contam com um recurso que apresenta os dados de público para quem tem contas comerciais.

Se é o seu caso, faça o uso dessas informações e também aproveite para conhecer o Facebook Audience Insights, uma ferramenta para criar públicos e conhecê-los melhor. Lá, você consegue informar os dados demográficos e de interesse que você já tem e entender ainda mais sobre essa amostra de pessoas que está conectada às redes sociais Facebook e Instagram, mesmo as que não estão interagindo com a sua marca, mas que tem comportamentos semelhantes.

Essa ferramenta aponta o tipo de páginas mais curtidas, quais as personalidades que esse público acompanha, entre outras curiosidades muito mais específicas que podem gerar ideias. Com isso, você vai conseguir pensar em um tema relevante para seu negócio, um assunto que realmente vai chamar atenção do seu público-alvo com mais facilidade.

Analise as tendências para palavras-chave que representem seu tema

Uma boa dica para tornar sua criação ainda mais estratégica é pesquisar dados sobre as tendências de buscas em relação aos temas, com o Google Trends. Com essa ação, você vai entender se existe algum período do ano em que as pessoas mais pesquisam sobre determinado assunto e, além disso, também vai poder comparar duas ou mais temáticas para conferir qual é a mais relevante.

Existe uma outra forma simples de fazer uma busca e até levantar tópicos relevantes para preencher seu material. Ao pesquisar no Google sobre determinado tópico, ele abre uma caixinha de feedback com outras dúvidas das pessoas em relação ao tema, a partir de pesquisas semelhantes.

2. Faça uma pesquisa aprofundada sobre o assunto

Agora você já sabe como escolher o seu tema e, como entende a importância de criar algo de valor, precisa fazer uma pesquisa aprofundada sobre o assunto. Assim, você vai oferecer o melhor para seus leitores.

Neste momento, o ideal é pesquisar em fontes confiáveis, ou seja, não limite-se às buscas superficiais on-line, mas esteja disposto a encontrar sites embasados por dados e que são referência nos assuntos em que abordam.

Você também pode pesquisar por meio de hashtags nas redes sociais e encontrar o que as pessoas estão comentando sobre. Essa é uma forma de acrescentar uma visão mais próxima do leitor e promover o equilíbrio entre os outros dados.

Por mais que você seja um profissional renomado na área em que estará abordando, lembre-se de que sempre pode inserir algo novo que vai encontrar durante o seu estudo.

3. Monte a estrutura ideal com referências

Você até pode começar a redigir o e-book sem uma estrutura pronta, mas vai correr o risco de torná-lo muito grande e cansativo para o leitor, ou mesmo superficial e desorganizado, se não tiver atenção com o “esqueleto” do conteúdo.

Entenda que este tipo de material é digital, as pessoas farão a leitura em seus computadores ou dispositivos móveis, o que indica que a estrutura deve facilitar a compreensão do tema. Nesse caso, todos os detalhes importam e a forma como os assuntos estarão estruturados fazem toda a diferença.

A dica para montar o sumário do seu livro é responder, em forma de tópicos, uma dor do seu público-alvo. Por exemplo: imagine que este artigo fosse um e-book, cada tópico foi idealizado para solucionar a questão “como criar um e-book?”.

4. Escreva com base nas suas pesquisas

Depois de ter toda a sua estrutura pronta, chegou a hora de escrever. Você vai ver como ter criado o “sumário” do material vai ajudar bastante. Afinal, só precisará “rechear” cada ponto listado. As dicas para esta etapa são:

  • baseie-se no tom de voz da sua marca para criar identificação com os leitores — caso não tenha esse manual de linguagem, utilize o estudo de público que você já fez (abordado no primeiro tópico deste artigo);
  • sempre que puder, referencie de onde tirou as informações;
  • utilize palavras de fácil compreensão para tornar a leitura mais fluida;
  • pesquise mais, se sentir necessidade.

5. Revise e peça para mais alguém revisar

Concluiu a escrita? Faça uma leitura com calma para averiguar se algo precisa ser modificado. Mas, como estará acostumado com o material, já que você mesmo escreveu, o melhor é pedir para que mais alguém o leia e indique possíveis erros de digitação, gramática ou até mesmo coerência textual.

Esse passo pode parecer simples, mas é um dos mais importantes quando o assunto é como criar um e-book, pois eleva a qualidade do produto.

6. Desenvolva o layout e revise novamente

Nesta fase, você vai ver o seu conteúdo se tornar um verdadeiro material, pois as ideias e palavras vão ganhar forma visual. Você pode seguir por duas linhas:

  • contar com o apoio de um designer — alguém que vai traduzir o conceito da sua criação em um material completamente direcionado ao seu público-alvo;
  • fazer a diagramação do seu próprio livro — utilizar ferramentas para montar seu e-book e tornar o processo mais ágil.

O Canva.com é um software on-line que pode ajudar nesse processo de criação, pois fornece templates prontos, precisando apenas inserir o conteúdo. Com ajustes de clicar e arrastar, é possível fazer seu e-book. Nesta ferramenta, você também consegue criar layouts para suas redes sociais, como o Instagram.

Porém, lembre-se de que você quer entregar algo de valor para seu público-alvo e, muitas vezes, pode ser mais vantajoso deixar esse tipo de atividade nas mãos de profissionais especializados.

Depois de finalizar o layout, faça uma nova revisão e tenha certeza de que tudo está correto para divulgar.

7. Divulgue em seus canais digitais

Gostou de aprender como criar um e-book? Agora, coloque as dicas em prática e siga o último passo: divulgue.
Utilize os meios digitais — redes sociais, site, blog, entre outros canais que fazem parte da sua estratégia — para divulgar o seu material.

Com esse guia prático, você estará pronto para ganhar mais autoridade em seu segmento. Se desejar potencializar seus conteúdo, confira também como fazer um blog de sucesso e como ganhar mais seguidores no Instagram!

Quer aprendar mais?

Baixe nosso e-book sobre como produzir materiais ricos e aprenda a produzir materiais de qualidade, para conquistar uma legião de fãs e transformá-los em clientes! . Nesse material, ensinaremos você a descobrir conteúdos que são do interesse de sua audiência e que podem lhe gerar mais conversões. Você aprenderá também, as melhores técnicas para aumentar sua base de leads e conquistar fãs assíduos. Clique na imagem abaixo e garanta o seu!