Conceitos como machine learning e inteligência artificial estão cada vez mais inseridos nas atividades dos profissionais de mídias digitais. O surgimento de novas ferramentas baseadas nessas tecnologias é constante e tem como propósito simplificar processos e otimizar resultados.

Não por acaso podemos dizer que o futuro nada distante do marketing digital será pautado pela maneira como profissionais da área farão uso dessas tecnologias e como vão aplicá-las no seu dia a dia. O segredo para o sucesso está em livrar-se de tarefas manuais e morosas e conseguir dedicar seu tempo e conhecimento em ações mais complexas, fazendo uso de ferramentas com esse tipo de inteligência.

Entendendo o que é Machine Learning e Inteligência Artificial

Antes de falarmos sobre estratégias, o que já é realidade hoje e o que podemos esperar para os próximos anos, vale refrescar a memória e explicar melhor o que é machine learning e o que é inteligência artificial.

De maneira sucinta, podemos dizer que inteligência artificial é uma ciência que tem como objetivo criar máquinas inteligentes que podem executar tarefas e resolver problemas da mesma maneira, ou até melhor, que um ser humano.

Machine learning, por sua vez, seriam os sistemas de computadores necessários para isso. Ou seja, se antes os programadores precisavam inserir manualmente as regras para que as máquinas executassem as ações desejadas, agora esse aprendizado acontece quase sozinho. Para isso, é preciso expor o sistema a diferentes exemplos até que ele analise padrões e consiga tirar conclusões.

Machine Learning e IA já são realidade

Se pensarmos que hoje, empresas como o Google já usam IA e machine learning em praticamente todas as suas tecnologias e ferramentas, não dá para imaginar um profissional de mídia que sobreviva no mercado sem ter algum entendimento sobre o assunto.

Vale dizer que neste sentido, o “sobreviver” não está no futuro, mas no presente. O próprio  AdWords, por exemplo, já possui recursos de machine learning. Para o uso do lance automático, você define o quanto quer pagar, a ferramenta entende o perfil do público e aplica os lances de acordo com as expectativas de resultado.

Quer outro exemplo? A automatização generalizada de campanha, com ferramentas que podem ser utilizadas como gerenciadores — conhecidos como Bid Managers — que possibilitam fazer o set up do investimento disponível no mês e determinar a expectativa de conversões do KPI. A partir dessas informações, elas gerenciam o quanto precisa ser investido por hora do dia, dia da semana, etc, visando os melhores resultados e distribuindo automaticamente o investimento no mês.

Existem ainda os automatizadores de testes em peças, que permitem inserir várias imagens diferentes e textos distintos. A ferramenta mescla todos esses elementos, mostrando conforme vai aprendendo as combinações melhores para cada perfil de público, fazendo com que um set up de criativo vire dezenas, sem muito esforço.

Isso quer dizer que a máquina substituirá o homem?

Claro que não! Recursos de inteligência artificial e machine learning estão sendo desenvolvidos e aperfeiçoados para facilitar o trabalho dos profissionais de marketing digital e não com o propósito de substituir a atuação humana.

O desafio de quem trabalha nessa área é o de usar essas tecnologias para entregar personalização e relevância em escala. Pensar e executar campanhas que entreguem em tempo real o que o consumidor deseja, de um jeito otimizado e assertivo. Não será mais uma questão apenas de acertar em cheio a segmentação, mas também de entregar conteúdo relevante, no melhor momento e formato possíveis, que essas tecnologias podem oferecem.

Quer saber mais sobre o tema? Veja também como machine learning pode ser aplicado no uso de chatbots!