Olá Leitores da Mestre? Tudo bem com vocês? No episódio de hoje da Mestre TV nosso CEO Fábio Ricotta vai apresentar uma grande polêmica no mundo do marketing digital e/ou produção de conteúdo: qual é o motivo da audiência preferir o conteúdo A ou B? Ou, qual é o melhor conteúdo e o que isso implica no resultado? Ficou interessado? Então dê o play abaixo e confira!

Qual é o critério das pessoas em relação aos conteúdos?

Com certeza você já ouviu o ditado de que “a grama do vizinho é mais verde”, não é? Em uma simples analogia, devemos entender o critério das pessoas na avaliação da grama (e também do conteúdo).

Por exemplo, a grama mais alta não é necessariamente a mais bonita, certo? Logo, o conteúdo mais extenso não necessariamente é o mais completo. Ficou claro? Para exemplificar ainda mais nós separamos outros critérios:

– Leitura (quando a audiência prefere um conteúdo por ser melhor escrito ou ter linguagem mais apropriada);

– Riqueza de informação;

– Linha de raciocínio;

– Precisão da informação.

No quesito precisão de informação, nós identificamos no mercado um exemplo negativo. Em um artigo da internet, um portal publicou uma matéria com a chamada “Samsung descobre o problema do Galaxy Note 7”. Dentro da matéria, o redator discorreu sobre vários problemas do aparelho e no final foi infeliz ao apontar que “mesmo com todos esses problemas, a Samsung ainda não divulgou a real falha do aparelho”.

Entendeu a falha da falta de precisão da informação? Na chamada ele anunciou algo que era mentira, pois o texto não comprovou aquilo, e isso pode frustrar e muito qualquer audiência, resultando em pontos negativos e buzz ruins para sua empresa.

Tenha em mente que, esses quesitos são difíceis de serem mensurados, mas existe uma forma infalível para você avaliar seu conteúdo: opinião dos leitores. Portanto, leia os comentários e veja se os feedbacks apontam falhas ou falta de clareza em suas informações.

Avaliação de conteúdos com base nos dados

Outra forma de avaliarmos se um conteúdo é melhor que outro é em relação aos dados, que podem ser obtidos dentro do Google Analytics. Nele você pode analisar quesitos como: percentual de leitura dos posts e número de páginas por visita efetuada.

Outro ponto baseado em dados que devemos ter muito cuidado é se o Google está gostando dos seus conteúdos. O buscador utiliza basicamente dois requisitos para avaliar seu texto: visão do conteúdo e opinião de outras pessoas em relação ao seu conteúdo.

O Google avalia mais de 200 fatores para dizer se um conteúdo é bom ou ruim, identificando pontos positivos e negativos em relação a estrutura, marcações, repetições, palavras-chave, linkagem, entre outras coisas. Contudo, o buscador também se preocupa com o lado humano, por isso leva em consideração a opinião dos usuários.

Use a Matriz SWOT

Mesmo com tudo isso citado acima, o título do artigo é: meu conteúdo é melhor que o seu! Como podemos ter certeza disso?

Uma das formas é aplicando a matriz SWOT antes de publicar cada conteúdo, identificando forças, fraquezas, oportunidades e ameaças de cada texto, com o objetivo de responder se aquele conteúdo é realmente bom ou ruim.

Uma técnica usada na Mestre é a pesquisa do top 10 de cada assunto no Google. Por exemplo, se vamos publicar um artigo sobre Inbound Marketing, pesquisamos os 10 melhores textos em relação ao posicionamento com essa palavra-chave e avaliamos eles com a SWOT, assim como os nossos próprios textos, com o objetivo de fortalecer ainda mais nosso respaldo em determinados assuntos.

Gostou das técnicas? Ficou claro? Agora que você já sabe como identificar se o seu conteúdo é melhor do que os concorrentes, aprenda 4 dicas para criar conteúdos sensacionais, aproveite também e inscreva-se em nosso canal.