Nofollow, Link Juice, Juice Siloing em Setembro de 2010

{+}Primeiro de tudo, o título somente contém a data, setembro de 2010, pois a abordagem que vou relatar neste artigo condiz com o cenário atual de nofollow, link juice e juice siloing (ou pagerank sculpting e demais variações). Este cenário já foi diferente no passado e pode vir a mudar no futuro, quando então traremos novas idéias e estratégias. Com isso em mente, vamos ao nofollow.

Atributo rel=”nofollow”

No código HTML, o link nofollow trata-se da adição do atributo rel com valor nofollow na tag <a>, que é a tag utilizada para a criação de links, da seguinte maneira:

  • Um link convencional é: <a href=”url”>texto âncora</a>
  • Link nofollow: <a rel=”nofollow” href=”url”>texto âncora</a>

O link sem o nofollow é também chamado de link dofollow. A diferença entre eles é que um link dofollow passa poder de ranking para a página de destino e o link nofollow, não. Chegamos então no conceito de Link Juice.

Link Juice

O termo link juice é o termo mais utilizado recentemente para representar um conceito que possui várias denominações, como PageRank, força do link, relevância (quando em “link passa relevância”) e outras relacionadas. Cada denominação tem uma relação mais forte ou mais fraca com o termo Link Juice, mas todas elas giram em torno do mesmo conceito.

Deste ponto em diante, é interessante que você tenha um bom entendimento sobre o conceito e peculiaridades do PageRank, o algoritmo do Google que fez com que links fossem tão importantes na Internet. Recomendo a leitura do artigo O que é PageRank para reforçar:

  • A quantidade de links que referenciam uma página influencia o valor do PageRank, ou seja, influencia a quantidade de link juice desta página
  • O link juice que uma página tem é dividido entre todos seus links (seja link dofollow ou não, link interno ou para outro domínio), de forma que quantos mais links em uma página, menos juice cada um passa para frente e, quanto menos links, mais juice cada passa

Ou seja, uma página com muito link juice e poucos links apontando outros conteúdos faz com que o valor de cada um desses links seja alto:

Distribuição de juice e nofollow

No modelo anterior, a seta tracejada indica o link nofollow, ou seja, o juice desse tipo de link não é passado a frente e, portanto, a página referenciada (paginaB) não recebe juice da página que tem o link para ela (www.site.com). Mas observar que independente de a página não receber esse juice, o link nofollow não é descontado na divisão de juice, assim, acontece o que Google chamou de “evaporação de PageRank” – uma vez que o juice do link nofollow simplesmente desaparece: não vai para a página de destino, nem é utilizado de nenhuma outra forma. Desaparece.

Logo, do ponto de vista de distribuição de link juice, é melhor não ter o link do que utilizar nofollow, pois, no primeiro cenário da imagem anterior, se não houvesse o link com nofollow, as páginas paginaA e paginaC receberiam metade do juice de www.site.com (50%), e não um terço (33%).

Com isso em mente, mais o conceito de Page Segmentation e ainda levando em consideração que o juice passado é mais relevante quando as páginas interligadas tratam de conteúdos relacionados (www.site.com, paginaA e paginaC sobre futebol, por exemplo), podemos explorar o próximo conceito: o Juice Siloing.

Juice Siloing

Eu não tratei o conceito de Page Segmentation diretamente neste artigo, mas é importante conhecê-lo e entender que as Search Engines são capazes de identificar diferentes porções de um website: o cabeçalho, os conjuntos de links de um blogroll, o conteúdo principal da página e demais áreas. Todo o conceito apresentado até aqui, resume a estratégia de Juice Siloing, que será explicada nesta seção.

O objetivo geral dessa estratégia é direcionar o link juice para páginas importantes e criar link juice pools (piscinas, termo criado livremente) onde seja possível concentrar link juice sobre um determinado tema. Para exemplificar, vou considerar um site como a Agência Mestre, sendo:

  • Tema geral: SEO
  • Categorias: Link Building, Onpage SEO, Algoritmos
  • Artigos diversos sobre cada tema das categorias

Modelo de arquitetura de site

Direcionamento de Link Juice em Conteúdo

Como sabemos, os temas das categorias se relacionam, ou seja, é comum que ao se falar de Link Building, que se mencione o PageRank (algoritmo), ou que ao descrever os fatores de posicionamento de um algoritmo, se mencione questões Onpage; assim, são criadas oportunidades de links sobre conteúdos complementares que existem no próprio site, o que é bom, mas pode ser utilizado de maneira diferente nesta estratégia.

Do conceito de Page Segmentation, tem-se que é melhor que um link seja encontrado na área de conteúdo do que em sidebar ou rodapé. Do funcionamento do PageRank, temos que links entre conteúdos relacionados são melhores do que links entre conteúdos de tópicos diferentes, assim, a estratégia de juice siloing em conteúdo trata de estabelecer links em áreas próprias e entre conteúdos relacionados somente:

Juice Siloing

No modelo, somente se troca links entre artigos que sejam da mesma categoria. A extensão desse modelo é que um artigo só referencia uma categoria, se for a categoria a qual ele pertence e não as demais categorias ou seus artigos. Ou seja, se o conteúdo não for estritamente o conteúdo do tópico, no máximo o artigo terá link para a página inicial, mas nada mais.

Ao nível da categoria, ela deve referenciar propriamente seus conteúdos e pode, ou não, referenciar outras categorias. Trocar links entre categorias pode tanto seguir a linha de todas para todas, quanto um ciclo (A para B, B para C, C para A), quanto não existir links entre elas, dependendo da própria estrutura do site, da definição da estratégia e do link juice que cada uma acumular naturalmente. A quantidade de categorias também pode ser levada em consideração para esta definição.

A página inicial deve ficar livre para referenciar todo o conteúdo do site, bem como pode ter referências de todas as áreas.

Link Juice em Navegação, Cabeçalho, Rodapé e Sidebar

Embora o juice siloing de conteúdo seja simples de entender e executar, ao ampliar esse conceito para todas seções de uma página, nem só o link juice deve ser levado em conta, pois a decisão do uso de links começa a afetar a usabilidade para o usuário.

É muito comum (e, portanto, essencial para usabilidade) que links para categorias estejam posicionados em uma sidebar, que, naturalmente, se repete em todo o site. Assim, está configurada uma situação que fere essa estratégia. Pelo conceito de Page Segmentation, existe sim alguma proteção ao juice da página pois links de sidebar são menos importantes que links de conteúdo, mas ainda assim, eles estão ali.

Neste caso, existem duas saídas:

  • Respeitar a usabilidade do site, manter os links e otimizá-los com eficiência no uso do texto âncora
  • Testar a usabilidade do site, as reações dos visitantes, minimizando os problemas e aplicando o juice siloing também em links de template

Um exemplo para contornar links de categorias em sidebar é o uso de Select Box. Preserva-se a navegação entre categorias, mas elimina-se o uso de links para isso. Com um pouco de javascript é feita a transição de páginas para o usuário.

Já em uma navegação por breadcrumbs, é importante a atenção na otimização do texto âncora, evitando “Home” ou “Página Inicial” como texto âncora, a favor do nome do site ou da marca, especialmente quando este contém a keyword, como o caso da Agência Mestre.

Para cabeçalho e rodapé, a alternativa é não usar links que não sejam de conteúdo ao longo de todo o site. Por exemplo, exibir link para página de contato, política de privacidade ou termos de serviço somente na página inicial, e não nas demais. A atualização da lista de links do menu ao longo da navegação também é uma possibilidade, como a cada categoria, listar links pertinentes.

Em 2009, no SEOmoz, foi publicada a sugestão de se utilizar uma estratégia que eles chamaram de Link Consolidation, a qual sugere que você mantenha uma única página com este tipo de informação (sobre, institucional, política de privacidade):

Link Consolidation

Concentrando o conteúdo em uma única URL, você economiza link juice, perda de juice e mantém uma positiva experiência para o usuário.

Com links de template é necessário um cuidado maior e uma análise mais crítica antes mesmo de iniciar testes. Pode ser que esse esforço não seja tão válido ou acabe por criar mais problemas ainda, do que solucionar ou redesenhar o site de uma maneira mais otimizada.

iFrames e JavaScript

Outras técnicas da estratégia de juice siloing passam pelo uso de iframes e programação em javascript. O uso de iframe é totalmente fora de questão, pois pode prejudicar muito a experiência do usuário e atrapalhar a indexação do site. A programação em javascript pode deixar o site lento e atrapalhar a navegação do usuário ou robô de busca, não sendo recomendada, também.

Nota Importante – Primeiro Link

Testes de 2008 mostraram que o Google sempre leva em consideração o texto âncora do primeiro link em um conteúdo, ou seja, em um texto onde o primeiro link usa o texto âncora “home” para a página inicial e um segundo link utilize “keyword otimizada,” o Google descarta o segundo texto âncora – não adianta otimizar o segundo link para a mesma página no mesmo conteúdo, o Google considera apenas o primeiro link, independente do uso de nofollow.

Isso envolve um planejamento inteligente da codificação HTML e CSS do site frente ao seu modelo visual. É essencial que a área de conteúdo no código HTML de um site esteja o mais próximo possível do começo desse código, seja qual for o visual do site:

Relação entre Layout e HTMLÉ comum encontrar sites com código HTML que desfavorece o conteúdo, especialmente seus links, por trazer as linhas de código de sidebar e outras informações antes das linhas de código do conteúdo. É um caso simples onde o texto âncora otimizado de um conteúdo pode ser perdido em função de um link não otimizado em uma seção de menor relevância na página.

Assim, tanto posicionamento quanto texto âncora utilizado deve sempre ser otimizado, para que links de navegação ou menu sejam bons o suficiente quando sobrepuserem um link otimizado de conteúdo.

Conclusões

No fim das contas, praticamente nunca se usa nofollow em um site, e jamais para este tipo de estratégia: manipulação de juice nas páginas do site. Obviamente, existem excessões, como uso de nofollow em link para carrinho de compras, login ou outras páginas que não precisem de juice, sejam irrelevantes como resultado de pesquisa ou não devam ser visitadas por Search Engines.

Como “controle de spam” o nofollow também é útil: comentários em blogs, links que possam ser gerados livremente por visitantes e semelhantes.

Já a estratégia para Juice Siloing apresentada é a melhor saída atualmente para tentativas de direcionamento de juice entre página de um site. Concentra links entre conteúdos que são muito relacionados; e remove links das páginas, ao invés de usar o nofollow simplesmente e ficar a mercê de como funciona ou não funciona o nofollow.

Como a estratégia tem impacto direto na usabilidade do site, antes de se começar qualquer tipo de teste é importante listar as perdas e decidir se elas refletirão negativamente entre seus usuários, pois de nada adianta ter um site nas primeiras posições se as pessoas não conseguem entendê-lo; e de nada adianta um site nas primeiras posições que não tenha conversão, seja ela qual for.

Uma boa saída é fazer testes segmentados, em pequenas áreas do site e/ou em pequenos grupos de visitantes (quando for possível) para não prejudicar o status atual do site. Em caso de sucesso, prossiga. Em caso negativo, procure outras estratégias.

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

Um Comentário para “Nofollow, Link Juice, Juice Siloing em Setembro de 2010”

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>