Sitemap: XML, HTML, Utilidades e Mitos

Por Fábio Ricotta


Afinal, o que é Sitemap? Por que inserir um arquivo “sitemap.xml” ou “sitemap.html” em um site? Ele interfere na indexação ou até mesmo no ranking de buscadores? Essas são algumas perguntas que muitas pessoas fazem ao tentar entender qual a real importância desse sistema para sites.

Sitemap XML

Você também tem dúvidas sobre o tema? No artigo de hoje, você vai entender:

  • o que é sitemap?;
  • para que serve o sitemap ou mapa do site?;
  • como fazer um sitemap XML e qual sua principal função?;
  • o sitemap XML é essencial para a indexação do site?;
  • qual a diferença do sitemap XML para o XML.GZ?;
  • como criar um sitemap?;
  • sitemap com o apoio de ferramentas;
  • em termos de SEO, qual o benefício do sitemap?;
  • o que fazer depois de criar o sitemap?

O que é Sitemap?

O Sitemap ou mapa do site, se preferir, é, basicamente, uma lista com todas as páginas (URLs) de um site. Ele funciona como uma espécie de mapa que irá ajudar e guiar o robô de busca ou o usuário a navegar e encontrar páginas do site.

Para que serve o sitemap ou mapa do site?

Para entender melhor qual o seu propósito, vamos supor que a home do seu website é a entrada principal de um supermercado e, as categorias, são as principais vias de acesso. Ao entrar no estabelecimento, o consumidor recebe em suas mãos um mapa com todas as seções existentes e produtos disponíveis.

Quanto mais profunda é a seção, mais organizado precisa ser o mapa para você chegar lá, certo? Afinal, ninguém, em sã consciência, gosta de ficar perdido ou ficar preso a tentativa e erro.

E é exatamente para isso que existe o Sitemap: guiar o usuário ou o robô de busca para uma melhor navegação pelo site, sem, teoricamente, acessar páginas com conteúdos irrelevantes ou páginas duplicadas, fazendo com que a navegação flua com melhor qualidade.

Como fazer um Sitemap XML e qual sua principal função?

O Sitemap XML é o arquivo, ou mapa, voltado especialmente para o robô de busca, escrito seguindo padrões e regras, com códigos específicos para que o buscador encontre mais páginas do website.

Ele é extremamente importante para que o robô entenda melhor a estrutura do site e, é claro, quanto melhor for a arquitetura, mais organizado será o Sitemap XML. Além disso, a navegação é mais fácil para que ele encontre todas as páginas e seções.

Existem três perguntas muito comuns para quem tem dúvida sobre o assunto:

1. O Sitemap XML interfere na indexação?

Sim. Essa é exatamente a principal função do Sitemap.xml. Ajudar na indexação das páginas e categorias de um site.

Se o site possui um grande volume de páginas, categorias, subcategorias, produtos e subprodutos, com certeza o XML será um grande facilitador para que o robô de busca encontre cada uma dessas seções.

É importante lembrar que o mapa nunca irá resolver tudo sozinho. Isso quer dizer que ele sempre deve ser acompanhado de uma boa arquitetura de links internos fazendo com que o robô de busca encontre e indexe mais páginas, além de claro, acelerar o processo de indexação de novas páginas.

Uma arquitetura bem feita, com links internos para as páginas mais profundas do site, “dispensa” o uso do Sitemap XML no quesito “fazer o robô de busca encontrar todas as páginas”. Porém, praticamente nenhum site chega a tal perfeição a ponto de excluir a necessidade do  seu uso.

2. O sitemap interfere nas visitas do site? 

Não, mas se pararmos para analisar com mais carinho esse ponto, podemos dizer que sim, mas é uma influência totalmente indireta. Afinal, ele ajuda na indexação das páginas, e, claro, se você tem uma nova página indexada, provavelmente ela trará mais visitas via busca orgânica, ou pelo menos, assim se espera de um site com bom conteúdo.

3. O ranking do site é afetado pelo sitemap?

Até agora, todos os testes demonstram que o não, o Sitemap XML não interfere no ranking e sim, na indexação do site.

Porém, vale ressaltar que o Duane Forrester, um dos funcionários responsáveis pelo Webmaster Tools do Bing, já declarou abertamente em uma entrevista no SEOMoz que existe uma espécie de bônus no ranking para quem submete o Sitemap XML ao Bing Webmaster Center.

Além disso, o Google Webmaster Tools, já deixou claro que presta atenção aos casos onde o XML contém URLs que retornam o status 404, 30x, e assim por diante. Essas páginas fazem com que o robô de busca do Google acabe por perder tempo desnecessário buscando por páginas redirecionadas ou com erro.

Quais os principais tipos de sitemap?

Porém, como era de se esperar, o usuário não lê as mesmas coisas que o robô de busca e vice-versa. Para resolver isso, foram criados dois padrões de Sitemap: 

  1. o Sitemap.XML;
  2. o Sitemap.HTML.

Dentro do nosso Curso de SEO, os dois temas são bem explicados e mostramos exemplos reais. É um recurso superútil em projetos de SEO e lá no treinamento dou mais detalhes. Acesse o link para conhecer!  

O Sitemap XML é essencial para a indexação do site?

Existem alguns sites em que o uso do Sitemap XML é mais recomendado que em outros. E, para ajudar a entender essas peculiaridades, segue abaixo quatro tópicos tirados da página do Google sobre Sitemap que indicam em quais casos o seu uso é útil:

  • se o site tiver conteúdo dinâmico;
  • se o site tiver páginas que não podem ser facilmente encontradas pelo Googlebot durante o processo de rastreamento, como por exemplo páginas com conteúdo AJAX ou imagens;
  • se o site for novo e houver poucos links para ele. Como o Googlebot rastreia a web seguindo os links de uma página para a outra, se o seu site não estiver bem vinculado, será difícil detectá-lo;
  • se o site possuir um grande arquivo com páginas de conteúdo que não estão bem vinculadas umas às outras ou que simplesmente não estão vinculadas.

Qual a diferença do Sitemap XML para o XML.GZ?

Sitemap: XML, HTML, Utilidades E Mitos

Afinal, qual a diferença entre os dois? A resposta é simples, a primeira é a versão normal do Sitemap e a segunda é a versão compacta do XML, mais conhecido como XML.GZ. E como tudo que é compactado tende a ser menor que o original, com essa diferença não é diferente.

Tudo que é bom e bem estruturado, é aquilo que vai aparecer no Google e ele gosta. Se você puder fazer bem feito, faça!

Com certeza o buscador mais famoso do mundo, ou qualquer outro, irá olhar para o seu site com bons olhos.

Logo, fica a sugestão, principalmente para grandes sites: utilizem o Sitemap XML.GZ. Afinal, é um arquivo compactado, menor que o original, e que facilita o carregamento e tempo de resposta. Se podemos facilitar a vida do robô de busca, por que não fazer?

Como criar um sitemap?

Agora que você já sabe o que é e para que serve um sitemap, chegou a hora de saber como criar o seu. Para isso, basta decidir se fará de forma manual ou com o apoio de ferramentas.

1. Estude a estrutura do seu site de forma estratégica e defina as URLs

Antes de tudo, será preciso entender quais páginas serão parte do seu site e analisadas pelos robôs do Google.

Pode parecer mais vantajoso listar todas as URLs do seu site, porém, é necessário entender que as páginas que contêm termos de uso ou manuais de utilização, são menos interessantes nos resultados das pesquisas.

Pense de forma estratégica e faça uma lista dessas URLs hierarquicamente.

2. Escolha as extensões

Você conheceu dois tipos de sitemap e agora precisará escolher qual o melhor formato para fazer o seu: HTML ou XML.

3. Crie o mapa do seu site

Escolha se vai criar manualmente ou com o suporte de ferramentas.

Sitemap manual

Caso opte por fazer de forma manual, você pode abrir um documento no bloco de notas, iniciando com a tag “<urlset>” e finalizar com a outra tag “</urlset>”.

É preciso definir o protocolo padrão e, a cada link que você for adicionar, não poderá esquecer de inserir a tag “<url>” como uma tag pai, com outra “<loc>”.

Algumas especificações podem ser exigidas, dependendo do seu tipo de sitemap. Mas, se você não tem familiaridade com a área, tudo bem. Poderá contar com a ajuda de algumas ferramentas.

Sitemap com o apoio de ferramentas

Se seu site é em WordPress, não terá dificuldades. Isso porque poderá contar com alguns plugins que facilitarão todo o processo — GsiteCrawler, XML-Sitemaps e Yoast SEO são bons exemplos disso.

O Yoast SEO, inclusive, é um plugin de SEO bastante completo e pode também ajudar a gerar o seu sitemap, também cooperando na integração com o GSC (Google Search Console).

Em termos de SEO, qual o benefício do sitemap?

O uso do sitemap traz diversos benefícios. Na área de SEO, ele deixa claro para os mecanismos de busca que o webmaster já está disposto a colaborar com a varredura dos rastreadores.

O Yoast SEO, inclusive, é um plugin de SEO bastante completo e pode também ajudar a gerar o seu sitemap.

Além disso, facilita a indexação das páginas, o sitemap informa as atualizações dos conteúdos postados, permitindo que eles sejam relidos com mais eficiência. Para quem costuma realizar atualizações de publicações em blog com frequência, os benefícios são ainda maiores.

Também é importante lembrar que o sitemap é vinculado ao Google Search Console que entre suas funções possui a ajuda na otimização das suas ações em SEO.

O que fazer depois de criar o sitemap?

Depois de ter seu sitemap pronto, o processo é simples. Basta carregar em seu servidor, por meio do cPanel do seu serviço de hospedagem ou por meio de um servidor FTP, como é o caso do FileZilla.

O processo não poderia ser mais simples: basta fazer o upload do arquivo na mesma subpasta das URLs listadas nele. Só não pense que isso é o suficiente.

Também é preciso acessar o Google Search Console, no menu lateral, e submeter seu sitemap por lá, facilitando a checagem dos robôs. O que acha?

Conclusão

O Sitemap XML é muito importante para facilitar o entendimento da estrutura do site e ajuda na indexação das páginas. Sempre que você inserir uma nova página deverá também atualizar o Sitemap.

Vale ressaltar que nem uma arquitetura perfeita garante indexação completa, nem um XML perfeito garante indexação completa do site, mas, são ferramentas complementares de uso obrigatório para que o robô consiga compreender melhor a estrutura do site.

Gostou do artigo? Compartilhe com sua rede de amigos e deixe o comentário no post! Para mais assuntos assim, continue acompanhando o blog da Mestre!

LEIA MAIS
O que é SEO? Como Fazer Seu Site Crescer no Google!

O que é SEO? Como Fazer Seu Site Crescer no Google!

Quer entender o que é SEO? Aprender como esta técnica pode ajudar o seu negócio/website a crescer o número de visitas? Criamos este guia para ajudar você hoje mesmo! CLIQUE e confira os detalhes neste artigo!

Páginas 404 Não Devem Retornar o Código 200 de Status

Páginas 404 Não Devem Retornar o Código 200 de Status

Hoje em dia é muito comum que página de erro 404 sejam customizadas, mas o trabalho de qualquer profissional de SEO é que estas páginas façam realmente o seu papel. Veja como prevenir que suas páginas de erro 404 causem problemas com os seus rankings.

Redirecionamento 301 em PHP, ASP, htaccess, Coldfusion e Ruby on Rails

Redirecionamento 301 em PHP, ASP, htaccess, Coldfusion e Ruby on Rails

Você quer saber como configurar o redirecionamento 301 no seu site? Veja como e mantenha sua relevância no Google!

Comentários
  1. Antes de ler este artigo não sabia a verdadeira função e importância do arquivo sitemap.xml.
    Ele foi bem útil, parabéns!

  2. Olá Domício!
    Simplesmente um ótimo artigo!
    Porém, gostaria de saber se o sitemap dividido em:

    sitemap_index.xml
    sitemap_post.xml

    sitemap_category.xml

    poderia ser melhor ao buscador. Pois assim teríamos uma divisão com os sitemaps que são mais atualizados e os menos atualizados e o Google poderia visitar apenas um, quando houver novo conteúdo.

    Eu fiz um teste recente e concluí que no Google Webmasters Tools se submetermos apenas o sitemap.xml principal com link para os demais, os outros são reconhecidos instantaneamente, porém não sei se essa divisão é benéfica ou não.

    Um grande abraço e aguardo resposta!

    • Olá, Victor.

      Obrigado pelos elogios sobre o artigo.

      Em relação a sua dúvida sobre segmentação do Sitemap, posso lhe garantir que quanto melhor segmentado e também quanto melhor for a seleção de páginas presentes no Sitemap, maior será a quantidade de páginas indexadas pelo robô de busca.

      Abraços,
      Domicio Neto

  3. Também recomendado a compactação para .xml.gz

    DICA:
    – Para compactar os .XML’s em .GZ (GZip) recomendo o programa free 7-Zip ( http://7-zip.org )

    []’s

    • Olá Rodolfo

      Eu segui a dica e baixei o 7-Zip.
      Porém ele não está abrindo arquivos .XML (p/serem compactados p/ .GZ)
      Consultei o Help e constatei que esse tipo de extensão não está incluida na lista de arquivos válidos.

      Há algum pulo-do-gato ou estou comendo bola?

  4. Legal Domicio, gostei do post. Ajuda a esclarecer melhor. E com certeza vou fazer o do meu site.

  5. Domicio ótimo post, começo meio e fim sobre os sitemap.(xml/gz) a grande importância da sua utilização.

    Seria bacana a continuação do artigo falando sobre os sitemaps “videos, imagens e notícias”.

    Abraços at+

  6. Excelente artigo Domicio.

    Uma coisa que eu faço bastante é usar a segmentação de sitemap para cada área do site, e ainda dentro de cada segmentação eu costumo deixar apenas as URL que ainda não foram indexadas, pelo menos nos humildes testes que fiz, notei que a indexação acontece de maneira mais rápida, do que quando eu envia todo o sitemap com todas as urls, inclusive com as que já estavam indexadas.

  7. Olá.

    Gostei muito do post pela analogia que foi feita entre o sitemap e o supermercado.Isso é importante para que pessoas com pouco conhecimento técnico saibam com o que estão trabalhando.O ideal é isso,simplificar ao invés de complicar como muitos blog tentam fazer.

    Parabéns!

    • Olá, Fábio.

      Fico muito grato com o seu comentário. A intenção ao escrever o post era exatamente essa de ser o mais claro possível, sem complicar.

      Abraços,
      Domicio Neto

      • Oi. Tenho dois blogs e um site, sem web designer cuidadno por enquanto…o pessoal ai tá pedindo demais, então estou tentando fazer sozinha… e próprio sobre a questão indexação estou sofrendo…Consegui fazer algo inserindo as urls mas não estou segura..Pedem de 2 a 5 semanas, justo? E quanto ao sitemap, não consigo próprio entender como fazer isso funcionar. Pode me dar uma orientção tipo ‘pré-primário’? rsrsrs Obrigada Livia

  8. Ótimo artigo! Entender melhor a função do sitemap.xml e como tirar melhor proveito dele, aprendi muito e tirei minhas dúvidas com suas explicações. Parabéns e obrigado.

  9. Olá Domício
    Muito esclarecedor seu artigo.
    Tenho uma dúvida: O sitemap pode ser instalado em qualquer plataforma (geralmente falam do WordPress)?
    Qual é o procedimento?
    Obrigado

  10. Muito bom o artigo, como sempre.
    Uma dúvida: A maior parte das páginas do meu site já está indexada.
    Se eu mandar um sitemap apenas com uma parte, ou seja, apenas com algumas páginas dinâmicas de uma determinada seção, vou prejudicar o que já está indexado?

  11. Eu posso ter um sitemap no siteAAA.com.br e nesse arquivo sitemap fazer referencias para outros sites, siteBBB.com.br/pagina.html, siteBBB.com.br/pagina2.html?

    Queriop centralizar meu sitemap em apenas um dominio.

  12. Valeu pelo artigo…Mto bom! Me ajudou mto msm, inclusive pude entender sobre coisas que desconhecia.
    Parabéns.

  13. Gostaria de saber uma coisa: sou iniciante, e criei meu blog dias atrás. Eu uso a versão online do WordPress, eu posso usar o sitemap para estruturar o meu site para o googlebot me achar? Ou só quem tem por exemplo o WordPress.org pode?

  14. olha, vou te dizer uma coisa: eu passei 2 dias tentando descobrir o que são sitemaps e nem o google me explicou. Consegui entender com seu artigo! parabéns mesmo! Ninguém foi capaz sequer de dizer q sitemap é a mesma coisa q mapa do site!
    agora vou descobrir como colocar o tal o sitemap no meu site…

  15. Parabéns pelo artigo!
    Excelente!

  16. Olá a todos. A questão do sitemap já entendi, e eu tenho um arquivo no bloco de notas com o sitemap em xml feito automaticamente por um site para esse efeito. Mas agora que faço, crio uma página no meu blogger com o titulo de sitemap e forneço esse link ao Bing e ao Google como sendo o sitemap do meu site?

  17. tenho uma dúvida, se eu começar a usar o sitemap.xml agora em meu site devo retirar isso:

    meta author
    meta keywords
    meta description
    meta robots
    meta revisit-after

    ????

    ou uso o sitemap.xml e deixo isso como está? parabéns pelo artigo muito bom!

  18. Muito bom o artigo parabéns.

  19. Explicação muito bem feita, só não entende que não sabe ler!

  20. Vou colocar em prática agora, obrigado Agência Mestre!

  21. Muito bacana seu artigo sobre sitemaps, percebi a importância dessa informação e de uma forma muito clara e detalhada, parabéns.

Deixe seu comentário abaixo

Já pensou em fazer parte do nosso time de mestres?