Uma dúvida recorrente entre clientes e profissionais de Marketing Digital é: produzir artigos para blog com ou sem profundidade? Nesse vídeo, o CEO da Agência Mestre, Fábio Ricotta explica a questão. Dê o play e confira!

Se procura por artigos para blog com profundidade, não terceirize!

Se procura por conteúdos com profundidade técnica, não terceirize a produção de artigos para uma agência. Entenda que por mais que o jornalista tente, ele não vai conseguir produzir um conteúdo técnico, pois não é um especialista no assunto.

Pense no que interessa para sua persona!

O conteúdo produzido está relacionado à persona? A persona é leiga ou especialista no assunto? É importante pensar nisso.  Por exemplo, caso for escrever para um artigo para blog jurídico que possui um persona leiga no assunto, será compreensível que esse público não irá compreender jargões típicos do Direito. Ou seja, é ideal pensar de que forma a persona espera receber o conteúdo.

Momento da jornada de compra

Dependendo do momento em que o usuário se encontra, ele vai procurar informações menos ou mais complexas. Muitas vezes o usuário está em busca de informações e não de serviços de determinada empresa, ou seja, se encontra no topo do funil. O possível cliente está entrando em contato para sanar uma necessidade de informação, por isso o ideal é um artigo menos completo para entender o que a pessoa deseja, para assim ramificar os assuntos e fornecê-la o que realmente procura. Fábio Ricotta levanta que quanto mais no topo de funil o cliente se encontra, mais simples o conteúdo pode ser, quando mais no fundo de funil mais técnico.

Fases do Projeto

Quando falamos em Google, podemos dizer que quanto maior o artigo melhor o ranqueamento feito pelo site. Porém, para Fábio Ricotta na primeira fase do projeto é importante pensar em quantidade de artigos e não em qualidade. Segundo Fábio, agindo dessa forma é possível manter uma constância de publicações. Contudo, nada impede que, ao decorrer do processo, o conteúdo seja aprofundado, o que chamamos de Reotimização na Agência Mestre.

Por fim, nosso CEO, Fábio Ricotta, defende que não necessariamente um artigo maior e mais aprofundado é melhor que um menor e mais simples. Para Fábio, tudo depende de variáveis que devem ser levadas em consideração, como a persona, o momento da jornada de compra e o tempo gasto para produzir artigos menores x tempo para produzir artigos maiores.

E então? Tirou sua dúvida? Quer saber mais? Fique sempre ligado nas novidades do Blog da Agência Mestre e assista ao vídeo: Episódio 131 – Por que planejar um conteúdo é mais importante do que produzir?