Obtenha os rankings com o GA

Quando foi a última vez que você abriu o Google Analytics na seção fontes de tráfego para dar uma olhada como estão os acessos provenientes da busca orgânica? E, se você trabalha com SEO, quando foi a última vez que se perguntou: por que o GA não disponibiliza os rankings das palavras-chave que geraram tráfego?

De fato, essa informação tão necessária acaba tomando um bom tempo dos profissionais de busca, ao exportarem os dados (ou não) da famosa plataforma de análise do Google para ferramentas externas fazerem o trabalho. Haja mão de obra para concatenar tudo depois.

Talvez você já tenha visto outras soluções, mas quero compartilhar aqui uma divulgada pelo consultor SEO John Doherty, para o blog do SEOmoz, que testei e trouxe alguns resultados interessantes. Para tornar esse post prático, vou dividir em implementação (pode ser seu único interesse) e análise (caso queira algum insight de como aproveitar melhor esse novo ‘add-on’ no GA).

Implementação

A implementação é muito simples, sendo uma variável personalizada, basta adicionar abaixo do código do Analytics (em todas as páginas) o código a seguir. A única diferença é a presença de um parâmetro dentro da (eu disse dentro mesmo, não por entre a) tag body. Note nas tags de comentários:

%MINIFYHTMLd3b57fd3377a516a64a87a7465440cab5%


Note em bold e subescrito, a tag body alterada.

Para acessar, basta seguir conforme a imagem abaixo:

Verificando os Rankings

Agora, tendo certeza de ter colocado em todas as páginas, é hora de esperar até obter uma quantidade significativa de visitas provenientes do Google (mais de cem) e bater com os acessos na variável personalizada para saber se a implementação está ok. Se não, vale a pena rever se todas as páginas estão realmente com a variável personalizada.

De qualquer forma, uma variação é sempre esperada, apenas certifique-se de que ela não é proveniente de páginas que passaram desapercebidas na implementação do código, ou pode comprometer a qualidade das informações a serem análisadas. Não se esqueça de desconsiderar o (not provided), que são buscas de usuários logados no Google, que recentemente foram ocultadas dentro de uma nova política do Analytics.

Cruzando a variável com a palavra-chave

Análise – Como Escolher Prioridade de Keywords no GA

Tendo colhido os dados, vou sugerir uma análise possível, visto que a partir de agora vai do objetivo do analista. Você pode estar querendo apenas acompanhar um projeto de SEO em andamento, mas vou considerar a otimização em si, sem pretensões de justificar um planejamento anterior. Para isso, vou sugerir a criação de um índice de retorno sobre ranqueamento.

A ideia desse ranking é que toda palavra-chave gera um retorno real e um retorno potencial. Portanto, para saber qual parâmetro de busca priorizar, é importante saber qual vai retornar mais para o site caso suba posições no Google. Para criar o índice, utilizarei dados sobre a CTR das dez posições do Google, obtidas por uma pesquisa da Optify (você pode encontrar pesquisas mais recentes ou preferir de outras fontes).

O cálculo é simpes: divida a receita obtida da palavra-chave pelo CTR atual (de acordo com a posição no momento e o dado obtido na pesquisa da Optify) e multiplique por 36,4%, ou seja, caso esteja em primeiro lugar no ranking, depois subtraia a atual receita (é só uma das formas de se calcular isso). Fica assim:

Palavra-chave

Ranking

 Receita

CTR Optify

 Est. Receita da P1

Tênis

2

    400,00

12,5%

                 764,80
Tênis tamanho 42

4

    600,00

7,9%

              2.164,56
Tênis azul

6

    800,00

4,1%

              6.302,44

Estimativa de Receita da Primeira Posição = ((Receita / CTR Optify) * 36,4%¹ ) – Receita

Logo, nesse caso fictício, o tênis azul seria a melhor opção para trabalhar ranqueamento. Claro que você pode, conforme algumas palestras da Agência Mestre, considerar a dificuldade de subir no ranking (utilizando o próprio keyword difficulty tool) e a vontade do cliente nessa priorização.

Aqui, eu quis apenas compartilhar um tipo de cálculo que acho válido ser constantemente reavaliado pela equipe de SEO, e que torna mais real, na minha visão, a validade da componente que costumamos chamar de ROI (Retorno sobre Investimento) dentro do pacote do projeto.

Antes de encerrar, gostaria de chamar atenção sobre uma coisa: rankings tem prazo de validade. Se alteram ao longo do tempo. Portanto, muito cuidado com análises regressivas comparativas com o presente. Ou mesmo, considere o uso dessa possibilidade a seu favor: estude o histórico e evolução dos rankings de suas palavras-chaves geradoras de tráfego.

É isso! Agradeço quem leu até o final, peço que comentem — para ajudar a enriquecer o conteúdo — e, por último, agradeço toda a equipe da Agência Mestre pela oportunidade*.

* – este é um guest post, todo conteúdo é de responsabilidade do autor convidado