Bom dia leitores da Agência Mestre!

Este artigo de hoje é sobre as mudanças recentes anunciadas pelo Google e como elas afetam a sua estratégia de SEO, especialmente no que diz respeito ao Link Building interno do site. As mudanças foram sobre o uso do atributo rel=”nofollow” e sobre o tratamento de links javascript.

Nofollow Links

Guidelines do Google

Depois de anos de recomendações do própio Google quanto ao uso do nofollow (sobre páginas de login, contato, política de privacidades, etc.), ontem no SMX Advanced, o czar, como eles costumam chamar o Matt Cutts do time de webspam, em uma das palestras informou algumas mudanças quanto ao funcionamento do rel=”nofollow”.

Antes, o atibuto rel=”nofollow” era, normalmente, utilizado para três coisas básicas:

  • Links comprados;
  • Links para sites não confiáveis;
  • Priorização no Rastreamento (links de loguin etc.)

Conforme recomendação do próprio Google. Além do uso do nofollow para fazer o controle do link juice, o Google afirmava que o uso de outros métodos de linkagem poderiam ser utilizados para demonstrar que o link não deveria ser seguido: os links por javascript.

O uso do nofollow inicialmente prevenia que o Googlebot seguisse o link e passasse PageRank. Na sequência, embora o Googlebot seguisse o link, o PageRank não passado no link era distribuido entre os outros links (sem nofollow) na página, como no modelo anterior. A mudança anunciada é que esse PageRank não passado em um link com nofollow é, simplesmente, perdido.

Links por Javascript

Conforme dito anteriormente, uma das formas recomendadas para se evitar que o Googlebot seguisse um link era através do uso de JavaScript. Agora, isso também mudou, pois no Google I/O Conference (e posteriormente, no SMX), foi anunciado que o Google mudou sua política quanto ao tratamento dos links utilizados em JavaScript e sua função “onclick”.

Os links em JavaScript que antes eram “invisíveis” aos olhos do Google agora estão sendo lidos. Mas nem todos os links, apenas links com código inline (direto no HTML) ou, quando usada uma função para executar a troca de páginas, se o código da função estiver no próprio HTML da página e for simples, o Googlebot vai executá-lo e seguir o link.

O que Fazer com Nofollow e Javascript Links?

E qual o impacto dessa nova política do Google quanto aos links em JavaScript? Se você fazia uso desse método para não quebrar as Guidelines do Google, afinal foi uma sugestão deles o uso desse método, principalmente se tratando de links pagos, e achava que estava “seguro” é hora de rever suas táticas enquanto o Google não oferece uma alternativa sólida. Uma recomendação do Danny Sullivan (Search Engine Land) é:

If you’re selling paid links and thought JavaScript was protecting you, I would fairly quickly ensure that redirects are blocked by using nofollow within the JavaScript itself or by going through a robots.txt block.

Resumindo e traduzindo: os links pagos devem ser bloqueados com o uso de nofollow no Javascript, com uso de arquivos .js externos ao HTML e bloqueados pelo robots.txt.

Isso tudo muda muita coisa dentro dos padrões de estratégia de SEO usadas hoje em dia, mas o fato é que essa história ainda não chegou ao seu fim e o Google ainda deve anunciar muita coisa a respeito disso. Vamos aguardar o fim desse SMX para vermos realmente o que vai se consolidar sobre o uso do nofollow e de links por javascript.