Recentemente, houve uma séria discussão no Twitter a respeito de um case apresentado que mostrava um site que fornecia uma widget de um contador de visitas para quem quisesse colocá-a em seu próprio site ou blog. Por mais que uma widget apresente uma funcionalidade interessante para quem a utiliza, ela praticamente sempre é acompanhada de um link que faz a ligação para o site responsável pelo seu desenvolvimento, que onde a widget foi feita ou hospedada.

A polêmica toda aconteceu porque nesse caso específico o site http://contador.s12.com.br não colocava o link para o próprio site no código da widget, mas quando você gerava o código html para inserir no seu site ele colocava o link para um outro site com a âncora perfeita. Esse link não é fixo, quando você gera outro código, ele muda o link para outro site, e com isso ele fortalece todos esses sites. Eu não sei de quem é o site, nem como é a ligação dos sites que tem link no contador com o site principal, mas foi uma idéia diferenciada.

A Polêmica

Em conversa com o Fábio Ricotta e o Frank Marcel aqui na Agência Mestre, eu coloquei o ponto que em nenhum momento essa tática apresentava algo que feria alguma diretriz para webmaster do Google, caracterizando assim um tática totalmente legal. Se aproveitar da widget e descaso dos blogueiros e donos de sites que não davam atenção a esse link (que não era escondido) e colocavam em seus próprios sites fazendo com que os sites na rede de contadores ganhassem relevância para a palavra-chave de interesse, já não era assim tão ético.

No meu tempo de faculdade (também a Unifei), tinha um professor de uma matéria chamada Computador e Sociedade que nos fazia a seguinte pergunta em toda aula “O que é ética?”. Isso tudo me motivou a escrever esse post para que possamos discutir melhor a relação entre Ética versus Black Hat. Se aproveitar do desconhecimento de donos de blog e sites para conseguir vários links para sites que você cuida é um caso de Black Hat ou simplesmente uma tática “anti-ética”?

O que eu e o Google pensamos sobre isso

Essa é uma opinião totalmente pessoal e que nada reflete o que a Agência Mestre pensa sobre o assunto. Para mim, link é link e não acho errado basear sua tática de link building em estratégias anti-éticas, que não dão qualquer chance do Google ter motivos para punir o seu site. Porém, eu não faria nada que vá manchar o meu nome ou o nome da empresa que trabalho.

O que o Google pensa sobre isso? O Fabio Ricotta perguntou no twitter para o Pedro Dias (pessoa que cuida do time de Webspam para sites de língua portuguesa) o que ele achava dessa tática e a resposta dele foi: “@fabioricotta @ArielL estamos a par do assunto, mas temos estado a estudar alguns comportamentos primeiro. Há varias maneiras de pescar ;^)” Em resumo, “sabemos que fazem isso e por enquanto não temos como fazer nada”.

Ou seja, o Google está de olho, muita gente pode achar que isso não dá certo, mas um dos sites que são contemplados por esse sistema está em segundo lugar para a palavra “Paraquedismo” com apenas esses links, pode não ser uma palavra com muita concorrência, mas chegar ao segundo lugar sem muito esforço é altamente positivo.

O Grande Pecado do Site

O Frank Marcel levantou o ponto de que o uso excessivo de links apontados para o seu site com âncora perfeita fere as guidelines do Google e o próprio deve (ou deveria) tirar o peso desses links para o site, mas a discussão gira mais em torno da técnica em si e não do uso excessivo da mesma. Se o dono do site colocasse a âncora do link com www.nomedosite.com.br ao invés da âncora exata para a keyword que ele esta trabalhando seria uma tática totalmente White Hat. Então podemos fazer os seguintes questionamentos:

Será que ele conseguiria ter uma posição tão boa para a keyword que ele quer se não tivesse feito essa tática? Mas também podemos levantar outro ponto de vista: Será que ele conseguiria um posicionamento melhor para a keyword trabalhada, visto que o Google pode ter dado um “voto negativo” por estes links serem feitos apenas com âncoras perfeitas para o site?

Questões sobre o assunto

É importante dizer que eu acho a tática genial e que tem muita chance de dar certo. Para mim, é uma tática totalmente anti-ética que engana os webmasters que querem ter um simples contador de visitas em seus sites. Aqui eu lanço as últimas perguntas:

Você faz, ou faria algo do tipo? Ou mesmo, você condena esse tipo de tática? Certa vez recebemos um comentário em nosso blog que dizia mais ou menos isso: “Fazer white hat é muito bom, mas não comprei meu carro e meu apartamento fazendo White Hat”. Em resumo vale tudo em SEO para conseguir um bom posicionamento?

Por mais que eu acredite nessas táticas e uso de qualquer tática para conseguir links importantes, eu não arrisco o site de um cliente para conseguir rankings. Nestes casos, tem muito mais em jogo. Mas não condeno quem toma esse tipo de atitude e, infelizmente, consegue ótimos resultados. Todos tem a liberdade de fazer como preferem e sempre há o risco de acontecer algo de ruim.

Conclusões

O seu grande “inimigo” nessa história é o Google, se você não estiver fazendo nada para dar motivos para que ele possa punir seu site,  você está no caminho certo, porém é bom lembrar que estamos em um meio em que a informação chega muito rápido as telas das outras pessoas, temos que tomar muito cuidado para não fazer nada que possa manchar a própria imagem e que possa fazer com que um cliente desista de um negócio.

Lembrando também que aparentemente a tendência é que o Google esteja tirando o poder de Webmasters e SEO’s de decidir o que é importante e o que não é em cada site, e assumindo esse papel com algoritmos mais sofisticados e mais inteligentes que visam fazer com que os próprios robôs de busca decidam o que devem seguir, o que devem considerar importante e qual parte do conteúdo de um site é mais relevante.

Isso tudo faz com que muitas estratégias de caráter duvidoso sejam apenas tempo perdido contra estratégias que são tiro certo para o sucesso de um website.