Rich snippets é a última novidade do Google na apresentação dos resultados de busca. Ontem (12.05.2009) no Webmaster Central Blog, o Google anunciou a mudança, que tem por objetivo oferecer mais informações sobre uma página diretamente na sua listagem de resultados.

barbq

Na imagem acima, o resultado é do Yelp, um site de reviews sobre restaurantes, que com o uso de markup formats possibilitou a exibição das estrelas, da quantidade de reviews e da faixa de preço (que acabou ficando sem informação porque o site não tem a informação). Com essas informações extras, é possível conquistar o clique do visitante no seu resultado, pois essa Rich Snippet o torna mais atraente. Mas…

Como Criar Rich Snippets?

Como eu disse anteriormente, a informação extra exibida na snippet é obtida através do uso de markup formats (microformats e RDFa) no código das páginas de um site. O Google, ao acessar uma página, busca esse tipo de codificação para capturar as informações e poder exibir na snippet para a página.

No caso do Yelp, o uso de microformats, implica no seguinte código:

yelp-microformats

E o uso de RDFa, implica no seguinte código:

yelp-rdfa

Utilizando markup formats em um site, o webmaster define a estrutura de dados do seu site, que é o que o Google utiliza para criar as Rich Snippets. Por enquanto, o Google somente atende aos markups referentes à pessoas e reviews de produtos ou serviços, mas pretende expandir para outras áreas e outros padrões de markup formats.

Também, o Google não está capturando markup formats para todo e qualquer site, mas aos poucos pretende aumentar a quantidade de sites participantes e, naturalmente, ficará de olho em quem tentar abusar da alternativa e, provavelmente, punir o site.

Para quem quiser participar, o Google disponibilizou um formulário para o webmaster manifestar o seu interesse em ter Rich Snippets para o seu site: Interested in Rich Snippets?

Markup Formats e Estrutura de Dados na Web

Os Markup Formats (microformats e RDFa – suportados pelo Google) são identificadores que os webmasters podem usar em seus sites para definir a estrutura de dados do site. Isso serve para que o Google (ou outro serviço que se apoie em markup formats) entenda melhor o site, pois as classes usadas em div’s e span’s referentes aos microformats (hreview, fn, org, vcard, etc.) e identificações RDFa (v:organization, v:name, v:rating, etc.) indicam o que significa cada informação (dentro deste span está um endereço; dentro desta div, um nome de uma pessoa), o que possibilita a exibição de Rich Snippets para o Google.

Isso rende assunto para um novo artigo. Eu vou parar por aí e recomendar a leitura da documentação do Google Marking up structured data.

E o SEO com Rich Snippets?

Agora, cabe aos SEO’s identificarem a melhor informação para disponibilizar na composição de Rich Snippets. Para sites baseados em perfis ou reviews de produtos, serviços, negócios, etc., a porta já está aberta para adequação à markup formats e formação de Rich Snippets. Para sites de outros tópicos, resta estudar as possibilidades de estrutura de dados na web, identificar uma alternativa e aguardar o próximo passo do Google no uso de markup formats.

Com snippets de maior qualidade sendo exibidas, a chance de uma pessoa escolher este resultado mais recheado para clicar aumenta. É bom já ficar por dentro para não ter que correr atrás depois. Aguardamos agora o próximo lançamento do Google em suas SERPs. Até a próxima!