Olá leitores da Agência Mestre,

Como foi prometido, foi feito o LiveStream com Ricotta e Doc Luz sobre o caso da Decolar.com. Para quem não pode acompanhar, segue abaixo o vídeo do bate-papo.

Video streaming by Ustream

Alguns pontos da conversa:

O Flávio Raimundo foi o primeiro a twittar sobre o assunto – perguntando se existiu algum problema com a Decolar.com – digamos que, literalmente, o avião da Decolar.com caiu. Eles foram varridos do índice do Google, ao consultar por site:decolar.com no Google, verifica-se que não aparece nenhuma página.

Afinal, o que aconteceu?

O mercado de viagens é um mercado que paga bem – O Fábio Ricotta, por exemplo, tem um blog de viagens para AdsSense, pouco mais de 300 visitas representam um bom ganho em cliques. Ou seja, por ser um mercado que rende bons lucros, existe uma grande tendência de serem criados cada vez mais novos sites/blogs para esse assunto.

Todos provavelmente acompanharam o site depois da punição – a primeira coisa que verificamos foi a existência da meta “noindex”. Verificamos também o Robots.txt, e não encontramos problemas nenhum.

Ricotta citou que acredita na possibilidade de Cloaking – lembrando o velho caso da BMW. Vale lembrar que é essencial discutir esses casos, analisar o que foi feito de errado – para, dessa maneira, aprender com os erros dos outros.

Mas será que o Black Hat compensa? Antes de falar não, pense: quanto a Decolar.com não ganhou antes de serem punidos pelo Google?

Mas, voltando ao cerne da questão:

O que levou a punição da Decolar?

Investigando os backlinks da Decolar.com através da Majestic SEO, o número de links de setembro até janeiro de 2011 cresceu absurdamente – ganhando, em três meses, mais de um milhão de backlinks. O que é um comportamento suspeito, pois não representa um crescimento natural – vale ressaltar que a compra de links em si não é motivo para o site ser punido, o problema é o exagero no uso dessa técnica, como foi observado no site em questão.

Verificando o rodapé da Decolar.com, é possível verificar que eles utilizam a técnica de domínios locais – ou seja, um domínio otimizado para cada um dos países em questão, os quais ainda são interlinkados entre si:

Rodapé da Decolar.com

Vale lembrar que não foi somente o domínio Decolar.com que recebeu uma grande quantidade de links, mas também todos os domínios locais.

Abrindo o sitemap da Decolar.com (http://www.decolar.com/sitemapbr.html) encontramos algo muito suspeito. Ontem, cada um desses links ainda estavam apontando para páginas super otimizadas para cada um dos assuntos mencionados nessa página, por exemplo, a página de pacotes para Bariloche:

Página de Bariloche na Decolar.com

Ou seja, essa página foi totalmente construída para “pacotes para Bariloche”, com a finalidade de obter rankings para esse termo e seus relacionados. O que classifica o problema de doorway pages. Aliás, o Ariel também chamou a atenção para a página do Canadá (http://www.decolar.com.br/canada.html), que utiliza a mesma estratégia.

Outro ponto levantado durante o LiveStream foi a comunicação do Google e os Webmasters – conta-se que o Google passou a melhorar a comunicação com os Webmasters com relação a erros cometidos pelos sites, através do próprio Google Webmasters Tools. Com relação ao site em questão, será que foi enviada alguma mensagem para o responsável? Quem recebeu?

Consequências

Vale ressaltar que a perda do tráfego online provavelmente representou uma perda, mais que substancial, de lucros para a Decolar.com – e que essa é a hora de “limpar a casa”, repensar os conteúdos super otimizados, repensar as técnicas utilizadas – e é claro, investir ainda mais no offline e AdWords. Falando em AdWords, o Tiago Luz deu uma super dica: agora é hora de, literalmente, bombar nos links patrocinados – verificar o que os usuários realmente estão procurando. Por exemplo, é hora de focar nas promoções para os lugares mais procurados.

Outra dica muito interessante dada pelo Tiago Luz é a questão de testes. Se o Google diz que algo é errado, nada impede que você teste se a técnica em questão realmente vai levar a punição do site, ou ainda, quanto dessa técnica vai levar a punição do site.

Mas falando em punições, uma das “crenças” de muitos SEOs é a questão de “ficha criminal” no Google – ou seja, se um determinado site é punido no Google, mesmo quando ele volta, ainda consta na “ficha” do site aquela punição – como se o Google ficasse mais “esperto” com relação ao site punido anteriormente.

Quanto as dúvidas, Ricotta e Tiago Luz responderam várias – uma delas, sobre usar as mídias sociais como meio de retratação com os usuários. A resposta dada foi que os usuários não são bem o foco da questão, nesse caso. Afinal, a maioria dos usuários nem vai desconfiar que a Decolar.com foi punida pelo Google.

Nesse post estamos abordando os principais tópicos abordados no LiveStream. Se você nao pode assistir e tirar suas dúvidas através do Twitter, ou ainda, se assistiu mas surgiram outras dúvidas ou quer fazer uma sugestão, entre em contato através dos comentários.