Google Monopoly

Ontem à noite, enquanto acompanhava o Twitter, me deparei com a seguinte tuitada de Danny Sullivan (editor do Search Engine Land):

yes, google thought of all the search engines in the world to block, foundem is the one it just had to block http://bit.ly/b9EBgm

Aproveitando a pitada de ironia da mensagem, acessei o link e fui para a respectiva notícia no Telegraph.co.uk, dando nota de que o Google vai passar por uma investigação anti-trust na Europa pois algumas empresas formalizaram reclamações notificando que o Google estaria abusando da sua força para prejudicar o negócio dessas empresas.

O Abuso de Poder

Nos dias de hoje, é inquestionável a importância que a Internet tem, e é inquestionável o impacto que um bom posicionamento no Google tem sobre as visitas de um site. Tanto ganhar novos e melhores rankings podem dobrar as visitas de um site do dia para a noite, como uma punição pode causar a perda de 90% das visitas do site.

E justamente no quesito punição é que entra a reclamação de três empresas na Europa contra o Google:

  • Foundem (UK) – um site que funciona no modelo de comparação de preços;
  • Ciao (UK) – comparador de preços e reviews de usuários;
  • Ejustice.fr (FR) – um Search Engine vertical sobre questões de justiça e afins.

No Reino Unido (UK), o Google domina 90% do seu mercado e, especialmente, a empresa Foundem reclama que o Google está abusando desta sua predominância para prejudicar sites que sejam potenciais concorrentes. No caso do Ejustice.fr, a situação até se enquadra; para Ciao e Foundem, nem tanto.

Teorias da Conspiração

No entendimento destas três empresas, o Google está penalizando os sites sem, de fato, considerar as métricas de qualidade, se o site pratica webspam ou se tenta abusar de falhas no seu algoritmo de classificação de sites. A punição seria simplesmente para derrubar esses possíveis concorrentes.

Do seu lado, o Google publicou uma nota em seu blog European Public Policy informando que, claro, nenhuma das reclamações procede. A empresa reconhece que seus algoritmos não são perfeitos e que o processo de classificação de resultados (em milissegundos) é extremamente complexo e que não tem nenhum tratamento especial contra vertical search sites ou qualquer outro.

E aí vem a outra teoria da conspiração: tanto a nota do blog do Google, quanto a notícia do Telegraph.co.uk, enfatizam que a Microsoft está no background da Ciao (comprada pela Microsoft e, agora, é Ciao from Bing) e da Foundem (que faz parte da ICOMP, que recebe investimentos da Microsoft), insinuando que, no fundo, essa briga tem por patrocinadora, a Microsoft.

Google x Microsoft

Será que a gigante do software estaria disposta a toda e qualquer medida para ganhar seu espaço no universo de Search? O Google, ainda em seu blog, ressaltou que pratica e apoia uma competição saudável e que procura se destacar através do desenvolvimento de produtos e serviços de qualidade.

Conspirações e abusos a parte, não é a primeira vez que publicamos sobre processos judiciais contra o Google a fim de se conseguir bons rankings na Search Engine. Há quase um ano, o Bruno Nassar publicou um caso que caminhava por este contexto. Vale a pena ler: Google, Eu Quero Mais PageRank! Até a próxima.

Imagem original por danielbroche.