Cada vez mais, empresas apostam seu orçamento de marketing em publicidade online. Essa é uma maneira muito fácil no Brasil de atrair pessoas para o seu negócio. Mas e quando pensamos em longo prazo, será que isso continuará valendo?

Com essa onda nova dos Millennials, é preciso se questionar qual é o tipo de publicidade mais adequada para este público e é sobre isso que vamos falar no episódio de hoje da Mestre TV. Confira!

O novo desafio para quem trabalha com marketing digital é saber como lidar com os Millennials. Também conhecidos como Geração Y, os Millennials  estão, 99.9%, na internet. Eles consumem conteúdos de blogs, vídeos, redes sociais e diversas mídias digitais de maneira muito mais intensa do que a geração anterior. E é exatamente por estarem tão presentes no meio digital que é possível atingi-los de maneira global.

Millennials e o desprezo pelos anúncios

Apesar de terem nascidos e estarem totalmente inseridos na internet, o que os tornaria um alvo fácil da publicidade digital, os Millennials cresceram conhecendo os modelos de anúncio e sabendo como rejeitá-los.

Não por acaso, as últimas pesquisas de mercado mostram que o número de pessoas que repelem os anúncios só aumenta. E entre esses tipos de publicidade mais desprezados e intrusivos estão o pop up, em primeiro lugar, e logo em seguida os anúncios de vídeo, que não podem ser pulados.

Publicidade online e AdBlockers

Os profissionais de marketing precisam perceber quais são os modelos novos de anúncios, entender qual é a taxa de conversão por tipo de anúncio e saber que o que funcionava há pouco tempo, hoje pode já não ter o mesmo efeito. Exemplo disso são os anúncios de newsfeed do Facebook e até mesmo os links patrocinados na página de busca do Google.

Tudo isso justifica o crescimento do uso de AdBlockers, que é um tipo de software instalado no navegador com o objetivo de bloquear uma gama de anúncios. Esses programas estão sendo colocados tanto nos desktops como nos celulares para que os usuários possam ter uma navegação mais limpa. Vale dizer que o próprio Google estuda colocar um Adblocker nativo no Chrome.

Com isso, a tendência é que os anúncios de má qualidade sejam instintos e que seja possível bloquear todos os tipos de anúncios. Consequentemente, o alcance deste tipo de publicidade deve diminuir, o que o tornará mais caro.

Isso nos leva a seguinte reflexão:

A sua empresa depende de anúncios? Se eles forem cortados, o seu negócio sobreviverá?

Se a sua resposta for não, é bem provável que a sua empresa esteja comprometida. E se você não sabe, é ainda pior, pois significa que você não tem conhecimento, de fato, de onde está vindo a sua renda.

Como sobreviver sem anúncios de conversão

Ainda hoje, poucas empresas se preocupam em usar a publicidade para nutrir sua audiência. O que você pode fazer para alcançar seu público é produzir materiais ricos, como esse vídeo que você acabou de assistir, e anunciá-los para as pessoas.

Ao invés de usar anúncios simplesmente para vender, use-os para entregar um conteúdo relevante. Essa é uma maneira de fazer a sua audiência consumir um material seu, que poderá influenciar em uma futura decisão de compra ou contratação de serviço.

Faça campanhas de percepção da marca, para que as pessoas conheçam a sua empresa e/ou serviço e, lá na frente, lembrem-se de você. Não insista somente na conversão, mas na nutrição dos leads.

Os maiores exemplos que essa metodologia funciona, são os influenciadores digitais. Profissionais como o Mairo Vergara, Erico Rocha, Murilo Gun fazem um trabalho muito pesado de levar sua mensagem para sua audiência por meio de anúncios. Eles trabalham o ano inteiro na produção de conteúdo altamente relevante para chegar a mais pessoas, o que, consequentemente, gera conhecimento e pode gerar conversão.

Então, analise suas campanhas e veja o quanto você investe em anúncios voltados para conversão e para nutrição. Caso a sua publicidade seja mais direcionada a vendas, nos próximos meses, procure inverter os papeis e invista mais em nutrição, algo em torno de 70/30.

Gostou das dicas? Deixe seu comentário e compartilhe suas experiências conosco!