Bing Microsoft

Estive pesquisando como o Bing, novo buscador da Microsoft, poderia ser uma Decision Engine, ou seja, um buscador para tomada de decisões, e encontrei um artigo sobre uma patente da Microsoft sobre como uma search engine pode entender a intenção de busca do usuário para oferecer resultados personalizados, personalizados para o usuário ou para a intenção de busca.

A patente é de março, quando o Bing ainda era chamado de Kumo, que poderia ser o novo nome do sistema de buscas da Microsoft, portanto, o Bing pode não trabalhar exatamente desta maneira, mas, no mínimo, assumiu uma derivação do que foi descrito na patente.

O nome (traduzido) da patente é Apresentando Itens de Resultado Baseados em Comportamento de Usuário, que sugere mais o caminho de personalização de resultados. O foco no comportamento do usuário é devido a crença de que, mesmo que 2 pessoas diferentes façam a mesma busca, é possível que elas tenham em mente diferentes tipos de resultados, ou seja, que elas esperem que diferentes tipos de resultados apareçam, ou em ordem diferente, ou com tipos de informações diferentes.

Seria como procurar simplesmente “próximos jogos da seleção brasileira” e esperar resultados, ou de jogos de futebol, ou de vôlei, dependendo da preferência de quem busca.

A Microsoft coloca, como papel de sua search engine, a função de ajudar o usuário a encontrar exatamente o resultado que procura e, para tanto, deve conhecer o histórico do usuário (experiência anterior de busca), buscas realizadas anteriormente e escolha de resultados nas buscas.

Então, ao realizar um conjunto de buscas em torno de um assunto (jogos do brasil, jogos da seleção, …) e escolher repetidamente o mesmo resultado a maioria das vezes (talvez não como primeiro clique, mas passar pelo mesmo resultado a maioria das vezes), então este é um resultado que deve sempre estar presente para este usuário e, provavelmente, se repetir em buscas semelhantes.

decision-ways

Além disso, a intenção da Microsoft é destacar este resultado com uma cor diferente ou posicionamento diferente para que seja rapidamente identificado pelo usuário. Para isso, o comportamento do usuário é analisado considerando:

  • cookie ou  login (uma foma de identificação do usuário)
  • termos de busca já utilizados anteriormente
  • resultados de busca ou uma representação dos resultados considerando os termos buscados
  • contagem de quantas vezes os resultados já apresentados foram selecionados

Talvez aí esteja a ajuda como ferramenta para tomada de decisões do Bing. A análise do comportamento do usuário, encaixando-o em um perfil e decifrando suas preferêcias. O único contra-ponto é que o histórico de buscas e resultados escolhidos também pode atrapalhar. Considerando o exemplo de jogos da seleção brasileira, quando for época de copa do mundo de futebol, provavelmente eu vou querer a tabela de jogos referente. Porém, quando o campeonato mundial de vôlei estiver em andamento, talvez esses sejam meus resultados preferidos.

O fato é que leva tempo para que o Bing aprenda quais são seus resultados preferidos, mas uma vez que seja feita uma personalização, os resultados das buscas do usuário tendem a agradá-lo mais. Outro detalhe é que se eu vejo sempre o mesmo conjunto de resultados, ou uma pequena variação deles, eu posso perder diversas outras informações de resultados diferentes dos meus. O que você acha? Personalização ajuda na tomada de decisão? Ajuda a tomar a melhor decisão? Até a próxima!