Tendências em SEO no ano de 2011

OlhoSEO: Tendências do SEO para 2011

Olá leitores da Agência Mestre,

No último final de semana estive em Florianópolis para o tão aguardado OlhóSEO, um evento de SEO para os profissionais e empresas da região de Santa Catarina e Paraná. Nesta palestra, fui convidado a falar de tendências e assuntos que estamos conversando internamente aqui na Agência Mestre para melhorar o desempenho de nossos clientes.

Meu foco na palestra foi fazer uma recapitulação de como o Google vem evoluindo o seu algoritmo de busca e em seguida fiz uma revisão de todos os assuntos falados no dia fornecendo, em cada um dos temas, algumas dicas de tendências.

Vamos comigo rever esta apresentação?

O Google e a História do seu Algoritmo

Dada a nossa experiência com SEO em mais de 6 anos na área, pude reviver e analisar os principais Updates que o Google realizou para melhorar o seu algoritmo de seleção de páginas.

Evolução do algoritmo do Google

Florida Update

Em 2003, um dos mais conhecidos updates, o Florida Update, foi implantado nos resultados do Google. Este update representou a primeira vez em que o Google fez um “Google Dance” onde prejudicou diversas lojas, por ser próximo a época de feriados americanos.

Holiday Update

De modo parecido ao Florida Update, o Google fez no final de 2004 um novo Google Dance, onde aplicou-se uma nova seleção dos resultados, os quais eram replicados aos poucos, servidor a servidor. Uma das curiosidades da época era descobrir qual servidor já possuía novos rankings e qual ainda não.

Supplemental Index

Em Novembro de 2006 tivemos a primeira aparição dos famosos “Resultados Suplementares“, que eram nomeações atribuídas a páginas que não possuíam um “PageRank” suficiente para aparecer no índice primário do Google. Para os que não conheciam, o Google dividia o seu índice em 2, onde o principal era atualizado com maior frequencia e possuía páginas de maior qualidade.

Data “Refresh”

Este foi mais um Google Dance próximo aos feriados do final de 2006. Acabou por prejudicar diversos profissionais de SEO e muitas empresas grandes.

Dewey Update

Em Abril de 2008, o Google fez um novo update em seu índice em forma de Google Dance, mas o foco era dar uma maior velocidade e qualidade a este tipo de update em seu índice. Podemos dizer que a atualização dos índices começou a ficar mais rápida a partir deste update. Este update foi chamado de Dewey pelo falo do Matt Cutts, na época engenheiro do Google, pedir um feedback sobre as alterações do Google e no feedback, o assunto deveria ser “dewey”.

Vince Update

Em Março de 2009, o Google fez um algoritmo para “privilegiar” marcas, chamado Vince Update, onde na verdade eles alteraram o Trust necessário para rankear em palavras mais concorridas. Esta visão foi bem focada em um pensamento do dia-a-dia, onde sabemos que marcas grandes fornecem serviços e produtos para certos segmentos, explicando melhor, é natural deparar com marcas grandes. Foi esse o pensamento transformado em algoritmo.

Caffeine

Em Setembro de 2009 o Google fez uma mudança estrutural em seus servidores, nomeada de Caffeine, para possibilitar a indexação e classificação de mais páginas em um tempo menor. Isto propiciou ao Google uma forma de se adequar a quantidade de conteúdo em documentos que são criados a cada dia na Internet. Ao meu ver, este foi o grande diferencial do Google para ter suporte a busca em tempo real, indexando mais notícias, páginas e tweets, em um tempo cada ver menor.

Mayday

Em Maio de 2010, logo após o Caffeine, o Google conseguiu fazer um update muito importante em seu algoritmo, a melhor análise de rankings em long tail. Este update, nomeado de Mayday, exigiu que as páginas focadas em termos mais específicos, na long tail, uma necessidade de mais backlinks, ou seja, mais link juice, além do famoso On-Page básico. Os mais afetados neste caso foram websites de ecommerce, os quais viram que suas páginas de produto despencando nos rankings.

Panda Update

Em fevereiro de 2011, o Google anunciou o update mais “forte” deste o Florida Update, o chamado Panda Update. Este update afetou cerca de 12% das buscas do Google, sendo que ele ataca principalmente sites com pouco conteúdo, conteúdo replicado, duplicado, e/ou de baixa qualidade. Em um segundo momento, sites bloqueados pela interface do Google ou por sua extensão para o Chrome também foram afetados.

Entendimento dos Updates

Diante de toda esta recapitulação separo duas frases de engenheiros do Google:

shows there was a significant quality improvement for our users

– Wayne Rosing, vice president of engineering

we believe it’s a big step in the right direction of helping people find ever higher quality in our results

– Amit Singhal, Google Fellow, and Matt Cutts, Principal Engineer

O curioso destas duas frases é que elas foram feitas em épocas totalmente diferentes, onde a primeira foi feita pelo Wayne Rosing em 2004, quando falava sobre a atualização do Florida Update. Já a segunda frase foi falada pelo Amit Singhal e Matt Cutts no artigo do anúncio do Panda Update em 2011.

Sete anos após o primeiro pronunciamento, podemos entender que o Google continua buscando a mesma coisa com todos os Updates: qualidade na experiência do usuário. Este mandamento continua por ser a meta do Google e sabendo qual o objetivo, o nosso “jogo” fica muito mais fácil.

O Futuro do SEO

Na sequencia de olhar o objetivo do Google, podemos entender bem o que temos que fazer para saber assim, quais estratégias utilizar nessa corrida pelo tráfego mais qualificado.

A fim de entender tudo o que foi falado no evento e assim comentar vários pontos da nossa área de SEO, fizemos uma grande recapitulação. Vejamos:

SEO for Dummies

Técnicas que já estão em produção:

  • Título: o trabalho mais básico de qualquer projeto de SEO é configurar todos os títulos das páginas, mencionando suas palavras chaves e deixando-os únicos.
  • URL: um trabalho recorrente também de projetos de SEO que visa fornecer uma melhor estrutura de URLs, reescrevendo-as e garantindo a sua unicidade para acessar uma determinada página.
  • Headings: é sempre importante garantir que a hierarquia de suas páginas está correta e este é um trabalho bem comum quando falamos em On-Page.
  • Linkagem Interna: este trabalho de linkagem interna é um importante aliado quando pensamos em dar mais relevância para páginas profundas do website. Ele deve ser sempre focado em garantir que páginas nunca deixem de ser linkadas e, quando linkadas, que sejam com o texto âncora mais apropriado.

Técnicas em tendência:

  • Tempo de Carregamento: é cada vez mais algo que estamos trabalhando aqui na Agência Mestre, pois, como o próprio Google já dá sinais, ele é um fator determinante de sucesso para conversões no seu website. Para este tipo de melhoria, o próprio Google nos dá duas excelentes formas de melhorar o tempo de carregamento, que é através do monitoramento do seu website no GA e, mais recentemente, uma página oficial do PageSpeed, sistema que lhe fornece pontos para melhorar o tempo de carregamento de uma página.
  • Arquitetura Interna: baseado na idéia de melhorar a linkagem interna, podemos organizar cada vez mais este processo para garantir que nossos web writers possuam conhecimento da nossa estrutura. É altamente recomendável manter planilhas de linkagem e um treinamento para todos os que escrevem conteúdo para o seu website.

Link Building

Técnicas que já estão em produção:

  • Ativos Linkáveis: compostos por todo documento ou peça produzida no seu website, cuja presença estimula a obtenção de links. Alguns exemplos são PDFs, páginas contendo infográficos, podcasts, artigos de blogs e outros. Acaba por ser mais um conceito do que uma técnica, mas vale a pena ter em mente que o seu website precisa de ativos linkáveis.
  • Infográficos: utilizados cada vez mais por profissionais de SEO, eles são peças importantes na aquisição de links para os nossos websites.
  • Diretórios: são a base para qualquer início de trabalho de link building. Os diretórios servem, em link building, praticamente para formar a base de trabalho dos meses seguintes.
  • Submissão de artigos: como já mencionei em um de nossos artigos, a submissão de artigos é uma das estratégias base para o trabalho de link building quando falamos em aumentar rankings pontualmente. Ela pode ser utilizada tranquilamente e possui bons resultados.
  • Wikis: elas são uma estratégia um pouco mais sofisticada quando falamos de link building, pelo simples fato de não existirem tantas wikis disponíveis. Em sua maior parte, a estratégia de link building com wikis é direcionada principalmente para websites de ecommerce.
  • Guest Posts: este tipo de trabalho de link building é utilizado em diversas estratégias aqui na Agência Mestre, onde gostamos muito do resultado obtido com eles. A essência do Guest Post é trazer links em troca de conteúdo de qualidade.

Técnicas em tendência:

  • Podcasts, VideoCasts e Webinars: cada vez mais utilizados, estas formas de comunicação usam o que chamamos de “poder da palavra”, transmitindo conhecimento através da voz, deixando cada vez mais íntimo quem escuta de quem transmite. Isto faz com que a pessoa lhe use como expert do segmento, e em caso de referências, ele irá citar o seu modo de comunicação.
  • Networking: querendo ou não a Internet está cada vez mais pessoal, onde as pessoas gostam de conectar-se no mundo real com pessoas que conheceram na web. Não diferente disso, em link building, vemos cada vez links sendo gerados por simples apertos de mão ou até mesmo por troca de cartões. A dica aqui é para que você faça o máximo de networking em eventos da sua área, se apresentando a experts e trocando cartões com eles.

SEO para Pequenas Empresas

Técnicas que já estão em produção:

  • Google Places: é requisito para aparecer nos resultados locais do Google.
  • Endereço Canonizado: quando o Google encontra um referência sobre uma empresa na web, sua verificação é através do endereço daquela empresa. Assim ele pode determinar a qual empresa pertence aquela referência. Por isto, utilize apenas 1 endereço físico para a sua empresa. Evite caixas postais ou até mesmo divisão por salas.
  • Telefone Canonizado: de forma análoga ao endereço, o Google utiliza o telefone quando deseja associar uma referência a uma empresa. Diante disso, faça uso apenas de um número de telefone para a sua empresa, caso contrário, você não conseguirá “centralizar” todas as referências (citações) para a sua empresa.
  • Fotos e Vídeos: cada vez mais o Google vem dando sinais de que fotos e vídeos são importantes. Há pouco tempo ele até lançou um serviço gratuito nos EUA para que os donos de empresa possam requisitar que um fotógrafo, contratado pelo Google, vá ao seu estabelecimento tirar fotos e colocar no Places.
  • Microformats: são pequenas marcações no HTML que possibilitam que os crawlers do Google achem de forma mais fácil as informações da sua empresa. Procure implementar o vCard em suas páginas sempre que possível.
  • Citações: de forma análoga a links para os resultados orgânicos, as citações completam os fatores de rankeamento dos resultados locais. Quanto mais citações e quanto maior a qualidade de quem lhe referencia, melhor será o seu resultado.
  • Diretórios Locais: os diretórios locais são bem parecidos com os diretórios tradicionais mas seu foco é em listar empresas. É algo no estilo “Páginas Amarelas”, mas no caso de local search, eles tem uma boa representatividade no algoritmo de rankeamento.

Técnicas em tendência:

  • Cupons: uma estratégia bem simples, que poucas empresas utilizam no próprio Google Places, cujo possui toda uma estrutura para você disponibilizar seus cupons. Ainda que você não utilize no Places, é fundamental criar campanhas de cupons e distribuí-los em diretórios de cupons, que cada vez são mais comuns na web brasileira.
  • Groupon “Like”: os famosos compra coletiva cada vez mais facilitam a vida dos pequenos empresários pois propiciam um aumento de pessoas que visitam o seu estabelecimento, conhecendo os seus serviços e/ou produtos. A grande sacada aqui é ganhar na recorrência da prestação de serviços e/ou conhecimento da marca, pois assim o comprador irá recomendar o seu negócio.

Conteúdo

Técnicas que já estão em produção:

  • FAQ: os antigos “tira dúvidas” ainda são a regra básica de qualquer empresa que possua um serviço e/ou produto na Internet.
  • Blog: sempre que alguma empresa deseja produzir mais conteúdo para a web, a primeira idéia é montar um blog falando de seus serviços e produtos. É uma estratégia cada vez mais frequente para os clientes que temos.
  • Imagens: algumas empresas já exploram a estratégia de fornecer uma experiência diferenciada para os consumidores, através de imagens únicas e de alta qualidade.
  • Guias de Compra: cada vez mais frequente para nossos clientes e diversos websites de varejo, os guias de compra servem como uma estratégia muito boa para aumentar o conteúdo de qualidade no website, fornecendo ao cliente diversas dicas para selecionar o melhor produto.
  • Newsletter: não vista por muitos profissionais como forma de conteúdo, a newsletter desempenha um papel muito importante quando falamos na experiência do usuário. Fornecer a eles conteúdo interessante através de seus emails faz com que os consumidores inscritos em sua base fiquem interessados em aprender e receber o seu email.

Técnicas em tendência:

  • PodCasts e Vídeos: com o “excesso” de conteúdo textual e a falta de tempo das pessoas, muitos buscam informação mais rápida e mais pessoal. Para isto, existem os podcasts e vídeos, trazendo uma experiência diferenciada para quem não busca informação textual. Um detalhe importante é sempre trazer este tipo de material com transcrição ou conteúdo complementar, deixando com que o Google consiga entender sobre o que se trata a página onde está exibido o podcast ou o vídeo.
  • Escalabilidade: em muitos casos, aumentar a produção de conteúdo significa aumentar a quantidade de pessoas que escrevem no dia a dia. Com a visão de empresário, meu modo de trabalho é sempre fazer mais, com a mesma quantidade de pessoas. Para isso, trabalhamos aqui na Agência Mestre, observando o processo de criação de conteúdo, poupando minutos por dia, e assim, no final do mês eu ter um aumento de produção. Uma dica interessante é terceirizar conteúdo com freelancers, dando assim, vazão a sua necessidade de conteúdo.

Palavra-chave e Tráfego no GA

Técnicas que já estão em produção:

  • Análise de Visitas: básico em qualquer relatório do GA, as visitas mostram a evolução do seu público ao longo do tempo, dando uma noção superficial se você está com um bom tráfego.
  • Palavras de entrada: utilizada em nossos relatórios para saber qual a diversidade de palavras que conseguimos atacar com o trabalho de SEO que estamos fazendo no website. Também utilizamos para saber quais palavras não estamos focando bem ou obter idéias de conteúdo.
  • Fontes de tráfego: através de um trabalho de popularidade, é possível expandir a quantidade de fontes de referência ou até mesmo fazer parcerias com websites que lhe enviam muito tráfego.
  • Tempo de carregamento: como vimos na descrição sobre tendências de On-Page, podemos analisar o tempo de carregamento de cada página para determinar as mais lentas e as que necessitam de alguns ajustes.
  • Página com ao menos uma visita de buscadores: uma das informações mais interessantes que inserimos em nosso relatório de SEO é mostrar a quantidade de páginas que recebem ao menos 1 visita de buscadores, ou seja, qual a visibilidade que estamos obtendo com o trabalho de SEO.

Técnicas em tendência:

  • Análise da conversão: cada vez mais nossos analistas tem observado que não temos que trazer cada vez mais tráfego, mas sim analisar como converter mais usuários que já trazemos através dos mecanismos de busca. Para isto, estamos começando a fazer análise do funil de conversão, identificando problemas e erros que não possibilitem o usuário de converter no website do nosso cliente.
  • Oportunidade de conteúdo em perguntas: cada vez mais precisamos entender o que os nossos usuários necessitam e, para isto, podemos utilizar o Google Analytics, observando alguns termos específicos que fornecem como entrada uma pergunta. Deste modo conseguimos saber as perguntas que os nossos usuário fazem para o Google. Uma dica extra aqui é para fazer esta análise por segmento (ou categoria) do seu website, desta forma você consegue analisar melhor cada tipo de pergunta que os usuários realizam.

Métricas

Técnicas que já estão em produção:

  • Visitas: básico em qualquer relatório de desempenho de website, as visitas mostram a evolução do seu público ao longo do tempo.
  • Quantidade de Links: quando se realiza um trabalho de link building, o mínimo de um relatório deste segmento é um de evolução da quantidade de links. Esta informação pode ser obtida de diversas formas, mas o mais comum é através do Google Webmaster Tools.
  • Rankings: ainda que muitos não concordem, o relatório de rankings é uma exigência de diversos clientes, sendo o principal foco de análises de desempenho por parte dos nossos clientes.
  • Likes + Retweets: uma vertente que venho acompanhando é a mensuração da quantidade de Likes e Retweets, já que os mesmos influenciam nos rankings.

Técnicas em tendência:

  • Taxa de conversão: cada vez mais observamos que não importa a quantidade de pessoas chegaram no nosso website, mas sim quantas destas pessoas efetivamente converteram. Juntamente com este foco, é bem válido analisar quais as fontes de tráfego e os termos que lhe fornecem a melhor taxa de conversão, para que você possa focar ainda mais e aumentar esta taxa.
  • Leads + Posicionamento de Marca: é fundamental trazer conversão para um website mas também é importante que a marca possua uma boa presença nas SERPs. Temos visto isto cada vez mais frequente com os clientes que trabalhamos: “a conversão é boa, mas queremos aparecer no TOP 3”.

Social

Técnicas que já estão em produção:

  • Retweets: cada vez mais precisamos nos preocupar em fornecer um botão para retuitar uma página, pois como já sabemos, os RTs influenciam no rankeamento do Google.
  • Likes + Shares: de forma análoga ao item anterior, o botão de Like é essencial para você rankear melhor no Google e também para que mais pessoas conheçam o seu website pois, ao clicar em like, aquela página (ou URL) é publicada no mural da pessoa, mostrando a todos os seus amigos o que ela acabou de “gostar”.
  • Buzzadas: de forma tímida e com pouco uso, o sistema de recomendação do Google, o Buzz, também é incluído como item importante de utilizar em páginas do seu website. Por ser um sistema do Google é bem provável que seja incluído nos fatores de rankeamento.

Técnicas em tendência:

  • Plus One: como vimos em uma matéria aqui no website, o Plus One é a nova jogada do Google para obter o feedback dos usuários sobre uma página. Consequentemente ele será incluído como fator de rankeamento, uma vez que a sua larga escala possibilitará uma análise muito boa sobre a qualidade de páginas na web.
  • Autoridade de QUEM Compartilha: cada vez mais o Google está tentando entender a influência do usuário na rede social, para saber se o que ele compartilha influencia realmente os outros usuários ou não. Além desta questão de influência é fato que o Google vem buscando analisar se o usuário é uma autoridade no nicho que ele está focando com aquele compartilhamento. É uma jogada super interessante falar do que você realmente entende.

Conclusões

Como vimos no início do artigo, o Google sempre focou na experiência do usuário, incrementando seu algoritmo e estrutura de busca para fornecer os melhores resultados possíveis para quem utiliza o serviço.

Diante disso, o nosso trabalho de SEO é identificar formas para entender melhor o usuário e fornecer exatamente o que eles precisam com a melhor experiência possível. Seja através de uma página melhor estruturada, seja através de um aumento de presença na web, seja fornecendo um melhor conteúdo, seja analisando melhor, ou ainda compartilhando coisas interessantes, entenda que o que você deve focar é no usuário. Se ele gostar, com certeza você estará muito bem posicionado no Google.

Espero que vocês tenham gostado deste artigo! No caso de sim, não esqueça, compartilhe utilizando o Facebook, Twitter ou Google Buzz, logo aqui embaixo.

Um abraço e até o próximo!

Créditos da imagem para Wellington Almeida (@the_wellington).

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

13 Comentários para “Tendências em SEO no ano de 2011”

  1. João Guilherme

    Bom dia Fabio! desculpe-me a ignorância mais está apresentação foi construída em qual programa?

    Responder
  2. Henrique

    Olá,

    1º Na parte relativa a atualizações você me fez reviver alguns momentos da minha curta carreira como SEO, principalmente quando citou o Cafeine e o Mayday.

    2º Concordo com o item tendências, acho que a futura bola da vez será o Tempo de Carregamento, acrescentaria neste item Web semântica.

    Pois sites que carreguem mais rápidos e tenham códigos mais fáceis de serem lidos “ajudariam” o Google a indexar de maneira mais eficiente e rápida o conteúdo web.

    Gostaria de saber a sua opinião sobre web semântica?

    Parabéns ótimo artigo.

    Responder
  3. Pablo Ruan

    Muito bom nossa ja tinha procurado Muito sobre o olhóSEO e o ricotinha fez um baita conteudo vlw

    Responder
  4. Cinthya

    Nossa, Fabio, parece que vc advinhou! Tava tratando alguns assuntos desses aqui no meu trabalho e esse texto bateu certinho com as novidades que estamos tratando de fazer nosso cliente entender que são importantes.

    Valeu!

    Bjs!

    Responder
  5. Wesley Gonçalves

    Simplismente o melhor Post sobre SEO de 2011 aqui no site da mestreseo

    Muito bom! Parabéns Ricotta.

    Abraços!

    Responder
  6. Wellington Almeida

    Fabio, como eu lhe falei bro! Pra mim tu não é estrela porque eu nunca tinha ouvido falar de tu até o #OlhoSEO, porem, temos que admitir que você é uma pessoa de grande talento para os negócios, muito inteligente e esperto. Sendo assim, foi muito legal ter lhe conhecido!

    Tenha certeza que vou ganhar alguns trocados com a informação que você compartilhou no evento!

    Valeu.
    Wellington

    Responder
  7. Rodrigo

    Achei um dos melhores posts da mestreseo até hoje, deu um grande resumo do que é importante para fazer seo de qualidade como um todo, a empresa ta de parabens!

    Responder
  8. Iúri

    Olá Fábio,

    Acredito que, independemente de atualizações dos algoritmos do Google, sempre os sites com um bom trabalho de SEO e conteúdo de qualidade estarão em boas colocações nas pesquisas. A frequência das atualizações também é outro fator importante.

    E, sem dúvida, todos os itens que você destacou para aumentar o tráfego num site são de “peso”.
    Um abraço.

    Responder
  9. Valter Sousa

    Olá, Fábio. Parabéns pelo artigo. Estou pesquisando sobre SEO para principiantes e tomei este artigo como ponto de partida. Pena que focou mais nas empresas. Observei que vários links sugeridos no decorrer do artigo apontam para matérias de até 4 anos atrás. Você acha que ainda está valendo aquelas dicas?

    Concordo com o Iúri sobre a importância da atualização constante.

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>