Taxonomia das Pesquisas: Saiba o que o seu Usuário está Pensando

espionarOlá leitores da Agência Mestre!

A não ser que você possa ler pensamentos, ainda é difícil saber o que o usuário está pensando, quais as suas intenções ao realizar uma pesquisa e o que exatamente ele está procurando. Entretanto, analisando o conjunto de palavras-chave utilizadas nas pesquisas, é possível compreender o comportamento do usuário e estimar suas intenções.

Mas porque isso é interessante?

Ao entender as intenções do usuário, você compreende quais suas necessidades e consegue melhorar suas estratégias de SEO – seja por orientar a maneira como você vai utilizar as palavras-chave ou até mesmo melhorar seu conteúdo através dessas intenções. Afinal de contas, se você quer visitas, conversão e baixo bounce rate, nada melhor do que fornecer de maneira adequada o que seus usuários estão procurando.

Em maio deste ano, foi publicada uma pesquisa sobre a taxonomia das buscas no SEOBook e, neste post, trago o resumo deste estudo.

O que é “Taxonomia”?

Segundo o Houaiss, Taxonomia é

ciência ou técnica de classificação.

E é com a ajuda da taxonomia que se divide as palavras-chave em 3 grupos distintos:

Navegacionais: Indicam que o usuário deseja encontrar um site específico. Exemplos clássicos de pesquisas navegacionais são as marcas de produtos, serviços e sites. Por exemplo, se alguém digita no Google “mestreSEO”, é bem provável que ele esteja procurando esse site.

Informativas: Consultas informativas indicam que o usuário está procurando por informações específicas. Exemplos de pesquisas informativas: “dicas de jardinagem”, “cuidados com orquídeas”, etc.

Transacionais: Uma pesquisa transacional indica que o usuário deseja realizar uma atividade na web. Por exemplo: “comprar flores online”, “comprar presentes online”, “enviar mensagens online”.

Como Utilizar essas Informações a Seu Favor

  • Determine em qual tipo de pesquisa suas páginas melhor se encaixam. Por exemplo, uma página que vende produtos e/ou serviços, é um bom resultado para uma pesquisa transacional. Uma página de informações relevantes sobre um determinado assunto, pesquisa informacional.
  • Oriente sua estratégia de palavras-chave de acordo com as intenções do usuário. As páginas de produtos e/ou serviços com palavras-chave transacionais, por exemplo.
  • Monitore o seu tráfego, conversão e bounce. Estar sempre atento aos resultados é interessante, pois confirma se as alterações nas palavras-chave e conteúdo realmente trouxeram benefícios.

Entretanto, quaisquer alterações devem ser feitas com cuidado e não precisam ser radicais. Por mais que essas classificações ajudem a entender as intenções do usuário, o comportamento do mesmo pode variar ao longo da visita. Um usuário pode muito bem procurar por uma informação sobre um produto qualquer e, satisfeito com as informações que obteve, desejar comprá-lo. No caso, ele faria uma pesquisa informacional, mas teria um comportamento transacional.

Entender quais são as necessidades e interesses do usuário e entender seu comportamento é útil para orientar os trabalhos de SEO, desde a disposição dos elementos em uma página, os assuntos que serão abordados, até quais palavras-chave serão utilizadas e como serão utilizadas.

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

11 Comentários para “Taxonomia das Pesquisas: Saiba o que o seu Usuário está Pensando”

  1. Documentario Embasex

    Olá Fabiane,

    Até há um tempo atrás (7 meses) para mim o que mais interessava era a quantidade de visitantes, page views, em que clicou e de onde vieram.

    Foi então que observando as palavras chaves pelas quais o leitores vinham, o horário de mais movimento, a taxa de visitantes que retornam, as páginas que eles visitaram entre outras em conjunto é que eu percebi que dá para ter uma idéia melhor (não muito precisa) do que eles querem.

    Como em meu blog parece que o formulário de contato está “enguiçado” (rsrsrsrs) eu me apoio principalmente em estatísticas e em meios de classificação de artigos (além de verificar as páginas mais visitadas) para determinhar a direção de meus artigos.

    Eu ainda não desenvolvi nenhum campanha de promoção de produtos, mas com certeza estes dados acima vão ser essenciais para que eu traçe o perfil de leitores. Como por exemplo a palavra chave “hospedagem” em meu blog atrai muitos visitantes, pelo que eu vejo, a intenção nestas buscas é realmente a aquisição (seja de hospedagem pagas ou não), então com certeza uma campanha considerando “hospedagens web baratas”, “melhor hospedagem web”… e semelhantes atualmente me permitiria fazer uma boa campanha para vender estes tipos de serviços.

    Mas como ressaltou, uma pessoa pode estar buscando informações e se ficou satisfeita com as que obteve poderia comprar o que é promovido. Mas neste caso, creio que as técnicas SEO já desempenharam sua função, que foi guiar o visitante, uma vez apresentado o conteúdo ao visitante o que decidirá o rumo tomado por ele já é questão de Marketing!

    Abraços.

    Responder
  2. Cássio Lacerda

    Muito interessante a forma de dividir em 3 grupos…
    Faz sentido e ajuda na hora de criar uma estratégia.

    Responder
  3. wemerson

    Gostei de sua dica esse post é bem informativo. Parabéns! Voltarei aqui mais vezes, gostaria que voc~e visitasse meu blog e desse uma dica para eu melhorar meu ranck, pois não sei com usar o seo.
    Sucesso pra você!

    Responder
  4. Gustavo Leig

    E o conteúdo? Dono de página que fica pensando em SEO acaba esquecendo de escrever conteúdo de boa qualidade sem erros de português. Acho difícil uma fórmula pra saber o que alguém pensa mas como tópico de artigo tem um bom marketing. Acho que a maioria das pessoas na internet nem pensa muito, quer ver? Construa uma página com as palavras chaves: “grátis”, “serial” e “photoshop” com frequência que você terá muitas visitas. Esse negócio de ranking é outra bobagem que nenhum blogueiro deveria se preocupar. Faça um site com wordpress, coloque o plugin de SEO e comece a escrever.

    Responder
    • Fabiane Lima

      Olá, Gustavo

      Bom, a idéia não é exatamente “prever” o que o usuário deseja, mas sim ter uma idéia do que os usuários pretendem obter com cada tipo de pesquisa.

      Por exemplo, um usuário que procura por “comprar buquê de rosas” tem intenções bem diferentes do que aquele que procura por “como montar um buquê de rosas”. Nesse caso, não vamos focar a expressão de compra em uma página de tutorial, e vice-versa. =)

      E sim, você está certo, é muito importante ter um cuidado especial com o conteúdo – pois é ele que importa. Entretanto, podemos sim montar um conteúdo bem orientado.

      Responder
    • Paulo

      É isso ai galera por isso escutem esse tipo de dica kkkkkk
      A prova viva é o site de quem pensa assim sucesso total!

      Responder
  5. Frank Marcel

    @gustavo: você está exageirando. Acho que é importante se preocupar com SEO e a taxonomia sim. Mas isso não quer dizer que você deve deixar o conteúdo de lado e escrever tudo errado. E não é isso que o post está dizendo. Acertando esses pequenos detalhes o desempenho de um site em Search Engines pode melhorar e eu acho que vale a pena o cuidado.

    Responder
  6. marcelo antelo

    Artigo manjado (SEOBook) e técnicas prá lá de conhecidas, mas sempre serve prá reafirmar conceitos ou ilustrar os iniciantes.

    “sem erros de português”, Gustavo? Além de alguns erros poderem ser naturais, as pessoas também digitam errado nas buscas e se o seu erro de português for relevante a busca realizada: você aparece bem ao invés de não aparecer! O erro de digitação também é uma importante ferramenta de SEO!

    Responder
  7. Rodrigo Guedes Barboza

    Este é uma técnica que já venho usando recentemente. A maioria das visitas ao meu blog são do tipo “informativas”. Principalmente depois que comecei a escrever sobre scams. Muita gente busca informação sobre isso e acaba encontrando o meu blog, embora a minha marca “Blog do Rodrigo Guedes” ainda seja desconhecida por si só.

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>