SEO e A.I. – Arquitetura da Informação

De acordo com o iainstitute.org, Arquitetura da Informação é a definição da estrutura de ambientes de informação compartilhada e a arte e ciência de organizar e nomear websites, intranets, comunidades online e softwares para servir de apoio à usabilidade e à encontrabilidade. Encontrabilidade, um termo que não se vê muito, é a facilidade, ou nível/grau de dificuldade, que uma search engine terá para encontrar e navegar pelo seu site.

SEO, todos conhecemos, é o acrônimo para Search Engine Optimization, um conjunto de conceitos e técnicas que visam melhorar a qualidade de um site, a encontrabilidade e, extendendo, até mesmo a usabilidade. E como SEO se relaciona com AI?

SEO e Arquitetura da Informação

Basicamente, todo site recebe somente 2 tipos de visitantes:

  • Pessoas; e
  • Search engines (ou spiders, robôs de busca, etc.)

O casamento de SEO com AI visa melhorar a vida de todo mundo. Trabalhar a Arquitetura da Informação visa melhorar, para as pessoas, a usabilidade do site e, para spiders, aumentar o grau/facilidade de navegação e, por consequência, a indexação do site.

Especialmente no que diz respeito à encontrabilidade, alguns fatores fazem a diferença para facilitar a vida de search engines no seu site:

Aqui na Agência Mestre nós já escrevemos sobre todas essas informações, sugiro a visita em cada um dos links acima para um aprofundamento em cada tema. É importante garantir que esteja tudo em ordem no site, isso pode significar até mesmo um aumento de visitas, ou aumento de PageRank, já que trabalha, inclusive, nos links do site.

Canonização de URLs

Canonização de URLs é a escolha de uma única forma de acesso ao conteúdo. O exemplo principal é a escolha entre o acesso ao site por www.meusite.com.br ou meusite.com.br – a maioria dos sites permite o acesso das duas maneiras, o que é um problema, pois divide a força do site e gera conteúdo duplicado.

Redirecionamentos

Primeiro de tudo, é muito provável que todo redirecionamento que você precisar, será com código 301, o redirecionamento permanente. Isso porque o retorno de código 302 pode diminuir a frequência de indexação do site ou página. É necessária atenção para não fazer redirecionamentos sem fim ou não criar loopings  (p1.html redireciona para p2.html que redireciona para p1.html).

Ao remover algum conteúdo, é importante também redirecionar o visitante para alguma página relacionada ou página de erro personalizada para não deixá-lo perdido, e para não deixar um robô de busca sem opções de navegação.

Elementos de Navegação

Tanto uma pessoa quanto um robô de busca vão se beneficiar do uso de elementos de navegação óbvios e simples. Um exemplo é o breadcrumb, mas também, entra na conta um menu organizado com links em HTML e, de preferência, com links em texto.

Páginas 404

Páginas personalizadas de erro 404 são de extrema importância: além de não deixar a search engine a ver navios, é possível ainda oferecer outros links para páginas similares, para o sitemap ou até mesmo para busca.

Conteúdo Duplicado

Conteúdo duplicado é um grande vilão dos sites. Organizar a estrutura de links e de URLs únicas para cada conteúdo evita conteúdo duplicado, que evita a distribuição de força para páginas iguais (que terá mais força sendo uma só), que pode melhorar o posicionamento do site nos resultados de busca. Vale lembrar o uso do canonical link element para ajudar nesta tarefa.

Sitemaps

Por fim, e não menos importante, o uso de sitemaps, tanto XML quanto HTML (a versão para usuários), são boas alternativas para ajudar o robô de busca a encontrar e indexar todas as páginas do seu site. Mais páginas indexadas, provavelmente resultará em mais visitas, uma vez que seja conteúdo de qualidade.

Até a próxima!

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

11 Comentários para “SEO e A.I. – Arquitetura da Informação”

  1. Diogenes Passos

    Post fantástico.

    E espero que quem esteja começando com SEO perceba o quanto SEO está ligado a Arquitetura de Informação e Web Analytics.

    Arquitetura de Informação te promove usabilidade e te apoia na encontrabilidade. Web Analytics traz a tona uma palavrinha que faz a diferença e tá cada dia mais na moda: mensurabilidade.

    Como muita gente que lê aqui também bloga e a maioria usa WordPress, a grande maioria já trabalha com URLs amigáveis. Mas fica aí o recado para os que já não praticam: URLs amigáveis também é pré-requisito para um site otimizado.

    Abraço.

    Responder
  2. Frank Marcel

    E aí Diogenes! Valeu pelo comment.

    É mesmo necessário expandir os horizontes para visualizar o SEO e entender o seu alcance.

    Valeu pela dica final. Um abraço!

    Responder
  3. Rodrigo Teixeira

    Olá Frank, um belo artigo!

    Aliás, SEO e Arquitetura da Informação tem muitas outras coisas em comum. Uma delas que sempre venho defendendo em minhas conversas na empresa, com amigos e com outros profissionais é a questão que redatores, arquitetos e profissionais de usabilidade devem sempre escrever textos, sentenças, termos e rótulos “usáveis” para que mecanismos de buscas possam indexar de maneira otimizada determinado conteúdo.

    Abraços!

    Responder
  4. Frank Marcel

    É isso mesmo, Rodrigo. Acho que o principal obstáculo para SEO é o fato de desenvolvedores e tomadores de decisão não entenderem que SEO não é último passo a ser tomado, mas sim, dita as direções a serem seguidas e os passos a serem executados.

    Valeu pelo comment!

    Responder
  5. Luis Felipe Fernandes

    Excente post… sempre soube da importância da AI em SEO e vice-versa, mas nunca consegui explicar tão bem quanto você fez aqui.
    Parabéns.

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>