Google penaliza Interflora e Jornais Britânicos por Compra e Venda de Publieditoriais

Google penaliza Interflora

Olá leitores da Agência Mestre,

Na última semana vários blogs europeus e americanos noticiaram que o Google penalizou o site britânico de flores, Interflora, por compra de publieditoriais, “advertorials” como é chamado lá fora. A punição foi bem severa e um dos prints, retirado pelo Martin Macdonald, mostra que o site sequer ranqueia para o seu próprio nome:

Interflora sem raqueamento

O Antes e Depois da Punição

Ainda segundo a publicação do Martin Macdonald, o site Interflora era um dos líderes do segmento, com uma visibilidade invejável, conforme mostra o relatório da Search Metrics:

Posicionamento da Interflora

O gráfico de visibilidade é um tanto quanto assustador, pois mostra a queda gigantesca em termos de visibilidade no Google:

Visibilidade no Google do site Interflora

Segundo o blog do David Naylor, um antes e depois dos rankings também pode ser visto:

Após a penalização, o site aparece próximo a página 5 em quase todas as palavras:
Ranking após a penalização

Os Publieditoriais

Segundo a investigação dos sites e profissionais, o site Interflora começou uma campanha de link building para se preparar para o dia dos namorados, que lá é chamado de “Valentine’s Day” e é comemorado no início do ano. Para a estratégia, o site pensou em divulgar o seu modelo de trabalho em diversos jornais britânicos, reforçando sua marca e ganhando um link em cada matéria.

Publieditoriais realizados

Este processo é largamente conhecido no Brasil como publieditorial e é usado em larga escala por grandes marcas e normalmente “oferecido” por blogueiros.

As Diretrizes do Google

Uma das coisas que sempre faço nos cursos de SEO para os meus alunos é ler todas as Diretrizes para Webmasters para que eles estejam cientes do que o Google considera uma infração às regras. Observando o caso, constata-se a seguinte infração:

Participar em esquemas de links

Ainda segundo o Google:

Os links que visam manipular a classificação de um site nos resultados de pesquisa do Google podem ser considerados parte de um esquema de links. Isso inclui comportamentos que manipulam links para seu site ou links em seu site que direcionam para sites externos. A manipulação desses links pode afetar a qualidade de nossos resultados de pesquisa. Por isso, trata-se de uma violação das diretrizes para webmasters do Google.

O Que Poderia Ser Feito

Ainda segundo as diretrizes do Google, existe um conselho quando se faz este tipo de compra de espaço:

Os links de anúncios PPC (pagamento por clique) que não passam o PageRank ao comprador do anúncio não violam nossas diretrizes. Há diversas maneiras de impedir que o PageRank passe, tais como:

  • Adicionando um atributo rel=”nofollow” à tag “a”
  • Redirecionando os links para uma página intermediária bloqueada a partir de mecanismos de pesquisa com um arquivo robots.txt

Caso o site Interflora exigisse a inserção da tag rel=”nofollow” em todos os links contidos nos publieditoriais a campanha seria totalmente válida, pois não manipularia o algoritmo.

Os Jornais Também São Penalizados

Assim como comprar links, o ato de vendê-los também é passível de punição. Neste caso, o Google também atuou frente aos jornais britânicos, diminuindo o valor do PageRank de seus domínios:
Jornais Penalizados no Caso Interflora

Ainda que não tenhamos notado uma perda de posicionamento direta por este ato, os jornais perdem credibilidade junto ao Google e podem, a longo prazo, não conseguirem o mesmo desempenho que antes. É uma espécie de quebra de confiança.

A Versão do Google

Ainda na mesma semana, o grande representante do Google nestes casos, Matt Cutts, entrou em cena no blog oficial do Google para Webmasters e relembrou a todos que o uso de publieditoriais ricos em links e que sejam utilizados para manipular o buscador é uma violação das diretrizes.

Google has said for years that selling links that pass PageRank violates our quality guidelines. We continue to reiterate that guidance periodically to help remind site owners and webmasters of that policy.

Please be wary if someone approaches you and wants to pay you for links or “advertorial” pages on your site that pass PageRank. Selling links (or entire advertorial pages with embedded links) that pass PageRank violates our quality guidelines, and Google does take action on such violations. The consequences for a linkselling site start with losing trust in Google’s search results, as well as reduction of the site’s visible PageRank in the Google Toolbar. The consequences can also include lower rankings for that site in Google’s search results.

Cenas do Próximo Capítulo

A novela de compra/venda de links estava praticamente no fim quando um dos profissionais de SEO mais antigos e respeitados do mundo, Aaron Wall, entrou em cena para refletir sobre o caso.

Segundo o profissional, ainda que o Google tenha tomado esta posição contra os publieditoriais, ele deveria olhar um pouco mais de perto o que ele mesmo está fazendo. Em sua publicação, ele mostra dois casos, descarados ao meu ver, de compra de publieditoriais por parte do Google! Exatamente, o Google compra publieditoriais em jornais para divulgar os seus produtos.

Publieditorial do Google

Em um segundo publieditorial, o Google divulgou o Hangout e seu Chromebook:
Segundo publieditorial pelo Google

Ainda que o Google seja o Google, se ele pratica regras para estar em seu índice, ele deve exigir isto de todos, inclusive dos seus times. Eles devem estar alinhados às diretrizes para webmasters assim como todos nós.

O correto seria penalizar da mesma forma que o site Interflora e jornais britânicos, as propriedades do Google mencionadas (Adwords, Analytics, Hangout e Chromebook) além dos jornais utilizados na divulgação.

Onde será que estão os profissionais que sempre defenderam as diretrizes para webmasters, tais como Pedro Dias, Ariel Lambrecht, Miguel Silva e um dos atuais integrantes do time de webspam do Google, André Rosa. Qual será a visão deles sobre o caso da empresa que defenderam ou defendem?

Qual a sua opinião? Comente!

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

17 Comentários para “Google penaliza Interflora e Jornais Britânicos por Compra e Venda de Publieditoriais”

  1. Bruno Lima

    E a filosofia do Google seria: “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço!”

    Responder
  2. Fernando dos Santos

    Aqui no Brasil também tem uma rede de venda e troca de links sem rel=”nofollow” tentando manipular as SERPs, envolvendo inclusive sites grande, muito acessados. Eu já denunciei a rede ao Google, mas até agora não aconteceu nada :/

    Responder
  3. Cristiano Siqueira

    Bom, eu acho que aqui não se consegue nem punir sites com links comprados, imagine com editoriais, pode ser sim que ataque os grandes players, mas me resta dúvida quanto o mercado como todo.

    Bacana o post e notícia deste tipo é bommmmmmmm…..

    Abraços Agência Mestre!

    Responder
  4. Ricardo N

    Toda estratégia de Link Building com foco em ganho de Page Rank acaba ferindo as diretrizes do Google… Essa manipulação, visando ganhar juice, acaba ludibriando o algoritmo de rankeamento (que tem base no sistema de indicações/votos/links) e é passível de punição.

    Acho que o grande truque é pensar sempre em estratégias de Link Building com foco em trafego. Assim vc atrai visitantes e possivelmente novos consumidores e acaba consequentemente ganhando relevância e força dentro do seu nicho de atuação.

    Ótimo artigo Fábio…

    Parabens!

    Responder
  5. Alex Pelati

    Ricotta, muito bom o artigo, parabéns!

    Sobre o caso, tenho uma opinião parecida com a do Aaron Wall, pois, apesar de não ter analisado a fundo os “advertorials” da Interflora, acho injusto esse tipo de punição aplicada em somente um site, fazendo do mesmo um bode expiatório, quando vemos diversos outros sites adotando a mesma “estratégia” sem sofrer nenhum tipo de queda no posicionamento.

    Também me espanta a falta de padrão na punições, pois algumas vezes vemos o discurso de que o link foi simplesmente desconsiderado, outras vezes não acontece nada e, em raros casos, um site é punido. Esse peso desmedido para situações parecidas causa insegurança no mercado como um todo.

    Mas vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos, ou seja, quando tempo o site demorará para voltar a ser exibido, se irá recuperar suas posições, etc.

    Responder
    • @matofino

      Pelati e cia,

      Costumo dizer que nós, profissionais de search, temos mania de umbiguismo.

      Particularmente, to nem ai pro Google (de verdade). Mas concordo com você em relação as “ponderações” do deus Google em número, genero e grau. Chega ser surreal.

      Por outro lado fico pensando no que o deus Google está querendo nos dizer com essas ações… Será que ele não esta pedindo um pouco mais de nós? Será que ele não esta querendo que deixemos de pensar só na técnica e usemos mais o mix de marketing — como funciona na indústria da publicidade?

      Sinceramente não sei. As vezes acho que estou viajando, as vezes não. O fato é que o Google está ganhando dinheiro.

      Faço esse questionamento desde 2009 qndo recebi um job já com punição… O que vocês pensam sobre?

      Responder
  6. Jonathan

    Isso é algo mt confusso pra mim… por um lado vc nao pode comprar links, isso esta claro… mas por outro vc tb nao pode ganhar eles por medio de artigos que falem bem de vc pq eles passam page rank, mas vc precisa de links pra ganhar visibilidade, e se os links sao seguidos de nofolow nao te ajudam em nada… ainda depois de ler sempre o seomoz e mestreseo, nao consigo entender o ponto de equilibrio…

    Responder
  7. Ariel

    Ricotta, estamos todos aqui (acho eu). Eu particularmente um pouco ocupado tentando ajudar nossos clientes, e sem tempo para entrar em discussões acaloradas sobre mocinhos e vilões.
    Mas toda boa história tem dois lados, e como não estamos mais dentro do Google (fora o André) não temos como saber exatamente o motivo da punição e os dois lados da moeda.
    Menciono um dos comentários no post original (em inglês), só para sugerir que não necessariamente a intenção era das melhores:

    “I have to say at this point that I know quite a few bloggers who posted the interflora links and it wasn’t in return for flowers or products but paid for links from a rather well known SEO company… Totally against Googles t’s and c’s – to be honest the bloggers themselves could jepordise their own pageranks of they don’t remove the links too.”

    Então, só sugerindo que talvez a intenção não esteja clara. Não estou defendendo ninguém, estou defendendo que geralmente a gente de fora não tem a visão completa das coisas.

    Abraços e ótimo artigo.
    Ariel

    Responder
  8. Clayton

    Não entendi a crítica ao Google pelas suas propagandas, já que acima no texto diz que eles não são contra isso. Quer comprar espaço no site dos outros para atrair público? Faça isso seguindo as orientações do Google. Só vai te prejudicar se a sua intenção for mesmo de ludibriar o pagerank.

    Responder
  9. Djavan

    Fica evidente que nenhum monopólio, em qualquer segmento, é saudável… Por mais “admirável” que uma Empresa possa parecer, sempre haverá motivos para diminuir seu mérito e com o Google não é diferente.

    Teríamos respostas unânimes se fosse lançado uma pesquisa de opinião perguntando se é necessário a existência de um concorrente a altura do Google para equilibrar o mercado de Search, minha resposta vem num curto e objetivo: SIM

    Responder
  10. Amanda Costa

    Realmente é uma penalização justa.
    Aqui no Brasil será que vai existir algo do tipo? Nós profissionais SEO devemos pensar sobre isso e também entender as melhores praticas para nao acontecer isso.

    Responder
  11. Alan Lupatini

    O “don’t be evil” foi pro espaço há muito tempo. E essa punição só serve para dar medo em quem faz compra de links, mas de jeito nenhum vai parar a prática.

    Responder
  12. Webisaac

    O Google e o ditado: faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço. Se os outros se ferram, quero dizer, são punidos, isso não perece funcionar para os “donos” da casa.

    Responder
  13. Diego Xavier

    Se isso virar uma prática comum e influenciar o Brasil, vai afetar não só as SERPS, mas também muitas pessoas que vivem de seus blogs e dos publieditoriais.

    O fato do Google dizer “não façam” e fazer é realmente um problema, afinal, quer cobrar alguma coisa de alguém, seja o exemplo do que quer cobrar, sem isso, sua moral é zero na cobrança!!!

    Responder
  14. Wellington.Braga

    Concordo com o Ariel no que diz respeito a não termos a visão de ambos os lados, mas baseando-me no que foi mostrado, a falta de critério do Google é ruim, para os clientes, para as agências/desenvolvedores e principalmente pra ela. Acredito que os “publieditoriais” realmente devem ser punidos independente de ser o Manuel da padaria ou o “gigante de Moutain View”.
    Excelente matéria Ricotta, parabéns.

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>