Ajax e SEO

Olá mais uma vez! Hoje vou falar um pouco sobre como tratar o AJAX, uma tecnologia recente, dentro do contexto de Otimização para Motores de Busca.

AJAX

AJAX, Asynchronous Javascript And XML, é um novo modelo de programação para web que utiliza tecnologias de javascript e XML para criar conteúdo online com um maior grau de interação com o usuário. Blá blá blá? Não… O AJAX realmente trouxe uma nova possibilidade de interação online muito mais dinâmica e amigável com o internauta.

SEO x AJAX

Um dos principais requisitos de SEO é exatamente o que o ajax oferece: Facilidade para o usuário. Conteúdo dinâmico associado a uma interface intuitiva e de fácil interação.

O problema do ajax fica por conta dos detalhes técnicos, pois o que ele faz é carregar um conteúdo para o usuário sem que seja necessário recarregar a página (o que é bom!) e ainda sem trocar de URL. Ora, como então o motor de busca vai achar esse conteúdo? Isso mesmo! Ele não acha.

Os motores de busca não são capazes de ler, nem interagir com esse tipo de página, ou seja, vai derrubar o ranking de um site escrito em ajax.

Solução?

Calma! Nem tudo está perdido. Aliás, um site em ajax é uma ótima forma de comunicação com o usuário. Pena que não com os motores de busca. Mas tem solução!

O melhor a se fazer para que um site ajax não seja jogado fora é fornecer um sistema alternativo para os motores de busca. Construa uma estrutura de links e diretórios as quais os motores de busca possam navegar. Isso resolve duas situações: a própria navegação do motor de busca; e a navegação do usuário, que, para fins de agilidade possa querer acessar diretamente um conteúdo específico do site, através do link, coisa que o ajax por si só não permite, uma vez que ele não muda a URL enquanto se usa o site.

Por fim

Por enquanto os motores de busca não navegam em sites ajax (eu não tive nenhuma notícia a respeito!), aliás, eles também não vêem imagens ou assistem videos. Mídia em geral. Mas isso já é assunto pra um outro post. Até lá!

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

21 Comentários para “Ajax e SEO”

  1. Sérgio Maia

    Legal cara, mas vale lembrar que AJAX n é uma tecnologia, e sim uma técnica utilizando, como vc mesmo disse, duas tecnologias: JS e XML. E tbm nao é novo, desde que existe o JS ja existia essa tecnica, so nao chamava AJAX ainda.

    Responder
  2. Rochester

    Discordo.
    Primeiro, o site em AJAX NÃO DEVE usar javascript obstrutivo. Isso é ruim pra acessibilidade e pro SEO.
    A solução de criar uma navegação alternativa DOBRA o problema. Além de 2 sites em 1 só para se preocupar, você discrimina os usuários afetando diretamente a usabilidade e acessibilidade.

    Responder
  3. Paulo Rodrigo Teixeira

    O Rochester está certo. A melhor maneira é fazer o site funcionar com ou sem AJAX.

    Por exemplo, quando o javascript estiver desabilitado, o site funciona como um form comum dando post e atualizando a pagina inteira.

    Grande abraço,

    Responder
  4. frankmarcel

    Sergio, ok, ajax não é uma nova tecnologia, são várias tecnologias trabalhando juntas.

    Rochester, não entendi o que você quis dizer com “discrimina”. Continuo achando que uma outra forma de navegação, por exemplo, os links e diretórios seja uma – opção – válida.

    Paulo, você encontrou uma outra alternativa para o nosso problema! =)
    A questão é fazer o crawler encontrar informações no seu site. Eles não costumam preencher forms, e eu não sou contra o Ajax! Mas precisa-se de alternativas para o crawler navegar no site.

    Responder
  5. Murilo Aguiar

    Bom pensando no problema com motores de busca coloca aplicativos mais simples usando Ajax como enquetes, calendários e formulários.

    Responder
  6. Heron Inouye

    Dependendo de onde usar, ele é interessante, com ou sem SEO.
    Por exemplo, submissão de forms.
    Não creio que vá interferir muito no SEO um form submetido por ajax, visto que eu particulamente não vejo nenhum conteúdo importante no FORM ou numa página de confirmação de submissão.
    Claro que isso no caso geral.

    Responder
  7. Frank Marcel

    O grande ponto positivo do PHP é que ele é server-side, ou seja, o servidor que hospeda o site é que fica responsável pela geração da página, que fica pronta em html puro (no caso geral) e, portanto, pode ser visualizada em qualquer browser/navegador.

    A grande vantagem do AJAX é sua maior flexibilidade, dinamicidade e comunicação/interação com o usuário. O problema é que o AJAX é dependente de javascript, e se um browser tiver com execução de javascript desabilitada, o site fica inútil.

    Do ponto de vista de SEO, está explicado no post. Os searchbots não se dão muito bem com javascript e AJAX (navegação, indexação), enqto o PHP é absolutamente transparente para o searchbot.

    Responder
  8. de musicas

    vamos ver se dá certo com meu blog que é sobre letras de musicas (cada post é uma musica), conta com mais de 1 milhão de letras…
    O wordpress theme ajax é muito bom…]
    valeu….

    Responder
  9. Andre

    Estou refazendo o site e utlizando url amigavel, porém as requisições ajax não estam funcionando, poderia ajudar pois ou novato em ‘url amigavel’
    vlw
    otimo post

    Responder
  10. robind12

    Mas ja que o conteudo da página muda sem refresh de url o google não vê isso como uma Mascara de conteúdo para o rastreador ou é mais visto como um iframe? fica ai a pergunta

    Responder
  11. Frank Marcel

    Sem refresh de URL junto com refresh de conteúdo, o Google vai ver sempre o mesmo conteúdo na URL, aí é que está – o conteúdo fica “escondido” do Google.

    Responder
  12. Felippe Bueno

    Pessoal eu procuro usar o AJAX somente e exclusivamente quando necessário procuro pesar até onde vale o sacrifício, afinal manter 2 sites um ajax e outro para buscadores é um trabalho a + e este tempo poder ser aproveitado melhor em outras questões.

    Abs.

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>