3 Técnicas de Link Building para 2016

Link Building

Olá leitores da Mestre,

Talvez uma das discussões mais difíceis em SEO nos dias de hoje no Brasil seja sobre link building. O tema sem sombra de dúvidas é principal alvo de muitos profissionais que aproveitam da sua essência: o fato do Google utilizar links entre sites (backlinks) como base do algoritmo.

Sempre discutimos isto em nosso curso de SEO ou até mesmo com clientes em consultoria de SEO, onde apontamos que os backlinks ainda tem uma participação muito forte junto ao algoritmo do Google e isto é até apontado no estudo bi-anual da Moz:

Texto âncora no Link Building

O problema é que muitos focam na essência de ganhar links a qualquer custo, fazendo com que isto nãos seja natural e é aí que mora o perigo.

Diretrizes do Google

Para quem não conhece o Google define muito bem várias das estratégias de link building como sendo manipulativas e, logo, violam suas diretrizes:

Esquema de Links

A essência da diretriz de esquema de links é que as estratégias que geram links com a finalidade única de passar autoridade/PageRank, são considerados violadores das diretrizes, podendo ser aplicado uma penalização.

Então, o grande ponto do Link Building dos dias atuais e principalmente em 2016 é focar em estratégias que instiguem as pessoas a compartilhar, falar, mencionar e talvez linkar para você. Aqui o reforço do talvez, pois você não pode ter o controle sobre isto.

Desta forma, separei 3 técnicas que seguem neste estilo, onde algumas delas aplicamos em projetos aqui da Mestre.

1. Valorize o Conteúdo: o Content Marketing

Hoje uma das estratégias que mais fazemos em projetos é o Content Marketing. Investir em conteúdo é a melhor estratégia de branding e link building possível, pois ao direcionar seus esforços para o seu site, visando comunicar-se mais e melhor com a sua audiência, você com certeza terá retornos tanto em visitas quanto em links.

Em um dos clientes aqui da Mestre, criamos um espaço para conteúdo e ao longo de 2 anos produzimos um grande resultado de tráfego, conversões e também links!

Resultado de Marketing de Conteúdo

A essência aqui é que você precisa entender o que a sua audiência deseja, criar um plano de conteúdo, seja através de melhores produtos, artigos em blog, infográficos, vídeos, tutoriais. Existem vários estudos, como este abaixo da Hubspot que mostram que empresas que “blogam” recebem mais links:

Estudo da Hubspot

Mas entenda aqui um ponto importante, você precisa testar os vários modelo de comunicação, que mencionei anteriormente, para saber qual a sua audiência gosta mais. Para criar o conteúdo que a sua audiência deseja, você pode usar várias formas, como a pesquisa de palavras-chave e até mesmo fazer a estratégia que eu mais gosto.

2. Utilize Melhor as Redes Sociais

O passo seguinte é estar mais presente nas redes sociais, procurando em qual ou quais delas a sua audiência participa mais. Lembre-se deste ponto, sempre busque onde a sua audiência está e não onde o mercado está falando que é importante.

Para encontrar esta resposta você precisa testar as redes sociais, obviamente seguindo as que possuem mais usuários:

Evolução de usuários em Social Media

No Brasil, recomendo muito você olhar bem o Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest, Snapchat, Periscope e Google+. Cada uma possui a sua forma de comunicação, mas o importante é levar o seu conteúdo para esta audiência conhecer. Seja publicando o tradicional link dentro da rede social, quanto utilizando ela para mostrar o seu trabalho, algo que por exemplo precisaria ser feito no Periscope.

Para descobrir onde a audiência está basta avaliar as métricas de engajamento da rede social, seja ela curtidas, retweets, comentários. Coloque “no papel” as informações de interações e também veja o tráfego de referência do seu Google Analytics. Algo bem simples é ver quem mais está mandando tráfego para você e aprimorar a sua interação lá.

Entenda, que o objetivo aqui é ganhar exposição para o trabalho de conteúdo que você já vem fazendo e não somente ganhar curtidas, retweets, comentários. Seja crítico e trabalhe focando em trazer esta audiência para conhecer o seu site. Quanto mais pessoas conhecerem o seu seu conteúdo, mais pessoas poderão compartilhá-lo por canais diferentes e gerar links para você. Além disto, com certeza você terá um aumento de conversões diretas ou assistências, como mostra o relatório de multicanal do Google Analytics:

Funil Multicanal

3. Assessoria de Imprensa

Você já cria o conteúdo de qualidade, interage com a sua audiência, agora precisa levar para o próximo nível, interagindo com portais de comunicação para ganhar amplitude. Este é um trabalho muito específico para vários projetos mas que dá resultado.

O objetivo aqui é quase o mesmo das mídias sociais: ganhar mais exposição da sua marca. Mas existe uma grande diferença, onde precisamos gerar um valor para que os jornalistas de portais nos vejam como uma grande oportunidade de matéria ou então, como autoridade no assunto, e é aí que eu prefiro focar.

Logicamente, se o projeto que você está trabalhando possui uma história bacana, com um fundador(es) fora de série, um produto revolucionário, os portais provavelmente vão gostar e publicar sobre isto. Porém, se você está em um projeto em que isto não seja tão relevante ou que já tenha sido explorado, você precisa ir para o lado de explorar a autoridade e passar a ser uma fonte de jornalistas.

O interessante é que você só consegue ser uma autoridade se possui um bom nome na área e como conseguir um bom nome na área? Oferecendo conteúdo de qualidade! Entenda, que o que estamos propondo aqui é proposital e possui uma sequência. Se você cria valor para a comunidade/audiência primeiro, ao longo de vários meses ou anos, você com certeza terá destaque junto à eles, criando um nome autoritário.

O que você precisa fazer então com a sua assessoria de imprensa é encontrar todos os portais que publicam sobre o seu assunto. Esta é a tarefa mais fácil do universo quando você pode utilizar o Google. Basta digitar os seus termos principais e clicar em “Notícias” abaixo da caixa de busca:

Google News

Em seguida, procure quem é o jornalista que publicou a matéria. Busque este jornalista em todas as mídias sociais, Facebook, Twitter e Linkedin. Descubra o que ele lê, quais fontes gosta de visitar, quais os gostos e interesses. Veja com quem ele se relaciona nas redes sociais e mapeie tudo. O objetivo aqui é estar próximo dele e não já na sua caixa de email.

Faça isto com os jornalistas da área e você terá a rede de influenciadores de matérias, que é tudo o que você precisa. Não, esta não é uma tarefa fácil e se fosse fácil qualquer um faria.

O passo seguinte é mais lento, mas ao mesmo tempo o trabalho da sua assessoria, buscar o contato com o jornalista aos poucos. Se a sua assessoria possuir os contatos certos, poderá abordar o jornalista mostrando a eles algumas matérias já feitas com conteúdo relevante e você está presente naquele conteúdo relevante. Em algum momento após a assessoria poderá indicar você como uma fonte dela, oferecendo o contato para o jornalista. É isto o que você precisa, estar lá quando o jornalista precisar de uma fonte.

É um trabalho demorado, mas bem diferente de criar uma matéria e usar divulgadores. Não é isto o que buscamos. O nosso foco é apenas um: ser uma autoridade/fonte no meu segmento junto aos jornalistas.

Conclusões

Definitivamente, ao longo dos meus anos de mercado, posso afirmar que não existem técnicas milagrosas de link building. Pelo contrário, cada vez mais vejo casos de empresas que nos procuram para remover penalizações criados por agências ou profissionais que não se importaram com o resultado de médio-longo prazo.

O link building precisa ser visto por você e sua empresa como algo de segundo ou terceiro nível de evolução do projeto de SEO. Ele não pode ser o motivador do por que você é contratado, mas sim uma consequência dos anos de trabalho para o mesmo cliente, onde você quer implantar um processo de SEO contínuo e com qualidade.

Para conhecer mais sobre link building, nossa metodologia e estratégias, gostaria de convidá-lo a conhecer nosso Curso de SEO, o qual estamos com uma turma aberta para Outubro!

E você, já teve algum caso de link building neste modelo que mencionei? Como são os seus resultados de ganhos de links? Sentiu dificuldade? Ficou com alguma dúvida? Poste nos comentários abaixo!

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

12 Comentários para “3 Técnicas de Link Building para 2016”

  1. Loup Brasil

    Acho essa a técnica mais complicada de se trabalhar. Comentar em blogs do segmento do cliente ainda é a forma mais fácil para se consegui links, mas, precisa avaliar a força desse link, para ver se vale a pena, ainda tem a moderação do site, uma séria de problemas.

    Vejo muitas empresas fazerem parcerias na troca de links na lateral e rodapé do site, um divulga o outro, mas, para participar, você precisa ter um pagerank e influência forte para ser aceito.

    Essa técnica do jornalista é bacana, é um trabalho de formiguinha, pra médio e longo prazo.

    Responder
      • Loup Brasil

        Entendo, é uma prática muito recorrente no mercado. No meu caso, que trabalho com a criação de sites, eu sempre assino o projeto e essa assinatura acaba sendo replicada em todas as páginas do projeto.

        Neste caso, a prática ideal seria de criar uma página dentro do portal com uma apresentação da empresa e este link do rodapé seria apontado para esta única página, exemplo:

        O site http://bahianoar.com tem a assinatura de meu site, o da http://loupbr.com, em vez de aparecer o link em todas as páginas no rodapé, eu criaria um link tipo: Site desenvolvido pela Loup Brasil, saiba mais sobre o projeto. Este link levaria para uma página tipo: bahianoar.com/fichatecnica, ou bahianoar.com/sobre-a-criacao-do-site.

        Nessa página eu contaria sobre o case e fazia a propaganda de minha empresa e o link para o meu site ou solicitação de orçamento.

        Essa página seria indexada no google e apareceria nas buscas tanto para criação de site quanto para loup brasil e o próprio bahianoar.

        O que acha dessa teoria?

        Responder
          • Luiz Eduardo Monteiro

            Exatamente e te agradeço a dica Fábio ;)

            Contudo Loup, o problema ai é os comentários em blogs dos outros que você mencionou, e o pior é que todo blog hoje em dia já usa nofollow nos links, ou seja, não passa a devida força que um link trabalhado nas técnicas do post dariam. Quase um tempo perdido na verdade essa técnica, apesar que vejo ferramentas pagas contarem isso como link algumas vezes.

            Responder
          • Loup Brasil

            Li a postagem e estou 5 anos atrasado… kkk. Mas não me lembro de ter visto ninguém aplicar essa técnica. Lendo a matéria eu perceboi que este é um erro e estou prejudicando o meu cliente. ainda tem essa.

            Vou começar a migrar para essa técnica e organizar dessa forma.

            Obrigado pela resposta Fábio.

            Saint Clair

            Responder
  2. Luiz Eduardo Monteiro

    Fábio ótima dica. Tenho testado a assessoria de imprensa em um novo negócio nosso aqui (futebolaria) e é exatamente isso.

    Curiosidade que vi no relatório de Multicanal. Nesse caso ai a busca orgânica, até onde deu pra ver, foi responsável por apenas 21,6% do tráfego no site. Enquanto muitos sites tem grande dependência de busca orgância. Parece que este investe pesado nas estratégias com mídias pagas e redes sociais, um exemplo de fato!

    Obrigado pelo ótimo conteúdo! Webinar agendado ;)

    Responder
  3. Fabricia Dolabela

    Fabio, o blog que publica um post cujo conteúdo tem links para publicidade está violando as diretrizes? Por exemplo: um blog de viagens com um post sobre um determinado destino turístico e lá dentro o termo ‘seguro de viagem’ tem um link para uma empresa que faz seguros de viagem.

    Responder
    • Rafael Torres

      Fabricia, isso é permitido. Não tem problema nenhum.

      Porém, coloque um link em termos mais genéricos.
      Exemplo: Seguros de viagens “aqui neste link”

      O link para o site poderia ser inserido no termo “aqui neste link”.
      O Google daria mais autoridade ao link e não puniria o site linkado.

      Responder
    • Fábio Ricotta

      Oi Fabricia, o Rafael Torres explicou muito bem. O detalhe que eu adicionaria aqui é por que existe este link para uma empresa que faz seguros de viagem. Ele foi feito de propósito com a finalidade de ganhar posicionamento?

      Se a sua resposta é sim, você precisa adicionar a tag rel=”nofollow” para não influenciar no posicionamento.

      Responder
  4. Alexandre Lenz

    Temos muitos domínios estacionados e um site ativo. Ao ativar esses domínios, o que pode ser feito para usá-los como uma boa estratégia de SEO para mandá-los para o site ativo sem penalizações?

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>