BranchOut, Um “LinkedIn” no Facebook?

BranchOut - conectando profissionais

Olá, amigos da Agência Mestre!

Como não poderia deixar escapar a oportunidade, esta semana (mais precisamente nos últimos dois dias) fui bombardeado pela minha rede de amigos no Facebook por conta da adesão a mais um aplicativo que ganhou força de maneira absurda dentro da rede social. Felizmente não é nenhum jogo de fazenda, cidade ou adjacentes, muito menos estas coisinhas que te marcam em fotos ou ainda respondem perguntas que você nem consegue ver a resposta.

Trata-se de uma conexão entre profissionais. Quem aí não viu que o amigo do Facebook se juntou ao tal BranchOut? Pois é dele que vamos comentar um pouco aqui em nossa coluna na Agência Mestre (como pediu o amigo Edson Caldas Jr. em seu twitter).

Se por aqui é novidade, o BranchOut já tem um pouco de história lá fora. Fazendo uma breve busca em nosso Pai Google, li artigos de grandes sites de social datados do início do ano, trazendo alguma discussão sobre o aplicativo e até fazendo o famoso comparativo com o LinkedIn – afinal os dois possuem funções e objetivos semelhantes.

O mais curioso desta história é que, se são concorrentes, o BranchOut possui um link que faz a importação automática de seu perfil no LinkedIn para dentro dele, facilitando o preenchimento das informações básicas assim que você cria sua conta.

Importe seu LinkedIn no BranchOut

A partir disso, um simples aviso é disparado em seu perfil, informando sua adesão ao app. Seus amigos, curiosos que são, podem clicar para ver do que se trata e também aderirem.

Se a bola de neve não se formar por aí, ela certamente vai crescer por conta das sugestões de pessoas que o BranchOut te dá para realizar suas primeiras conexões. Ele também te aponta amigos do perfil que ainda não entraram na rede, para que você envie o convite.

Aliás, o forte poder de viralização do aplicativo se dá justamente por isso. Praticamente tudo que é feito lá dentro gera um aviso em seu Mural para que você espalhe a novidade para seus amigos. Por exemplo, ações essenciais de se conectar com um amigo ou convidar alguém para se cadastrar, só podem ser realizadas se você publicar no Mural.

Ações são postadas no Mural

Conexões Profissionais = Oportunidades

As conexões do BranchOut são feitas, principalmente, pela área profissional de nossos perfis no Facebook. Assim que preenchemos nossos dados, colocando nossos cargos e empresas que trabalhamos anteriormente, a informação é lançada para que faça uma relação com outras pessoas que estão conectadas e atuam no mesmo nicho. Assim, amplia-se a rede de contatos profissionais.

Em outras palavras, cada amigo adicionado no perfil do BranchOut gera milhares de conexões secundárias (como o próprio app chama) e também te liga a empresas (fan pages que são curtidas pelos seus contatos e também por terceiros). Tudo baseado em suas informações de trabalho e interesses profissionais.

Traduzindo em números práticos, tomando minha página como exemplo, tenho 22 amigos no BranchOut que viraram 11.534 conexões secundárias e 7.160 empresas ligadas.

Daí entra em cena a outra face do BranchOut – o oferecimento de vagas e oportunidades de trabalho – que foi bastante esperto ao utilizar o Facebook como área de atuação. Cada vaga publicada por um perfil fica visível na home da pessoa, ainda que estes dois não estejam conectados diretamente.

A visibilidade da oportunidade é ampliada ainda mais com o botão de “Recomendar”, que, ao clicado, replica a informação no Mural (mais uma vez) para os amigos fora do BranchOut.

Vagas são postadas e podem ser replicadas

Só para se ter uma idéia, não conheço estes dois, mas as vagas estão aí provavelmente pelas minhas conexões realizadas indiretamente.

Badges: Todos Quer!

Nós já comentamos por aqui, também nossos MestreCast’s, de que essa história de badge sempre gera interesse. Há sempre um grupo interessado em caçar troféus, selos, badges ou qualquer outra coisa colecionável que mostre que aquela pessoa é um hard user de um site, ferramenta ou aplicativo.

Os espertos do BranchOut sabem disso e colocaram o sistema dentro de sua rede. E, pra variar (já está ficando repetitivo), cada conquista pode ser divulgada em seu Mural:

Badges para que te quero

A interação é tão forte, todas com possibilidade de divulgação, que você pode selecionar um dos diversos badges disponíveis para presentear um amigo. Também é possível fazer um pedido de badge para sua lista, publicando no mural, para ganhar mais itens de coleção. Uma brincadeira simples, viciante para muitos, mas que gera uma baita exposição de marca.

Muitos badges para presentear

Podem me presentear com esse de jornalista all-star, obrigado!

Concorrente ou Não?

É difícil fazer qualquer comparativo entre LinkedIn e BranchOut nesta altura do campeonato. Pouco se pode fazer dentro deste app que estamos comentando na coluna, enquanto o outro é uma poderosa ferramenta empresarial, que envolve interações sociais dentro e fora do próprio Facebook.

O crescimento do BranchOut é notório e merece a menção, mas não podemos esquecer do tamanho do LinkedIn atualmente, especialmente pelos dados recentes de crescimento, que apontam aumento de um milhão de usuários por semana (de acordo com Rand Fishkin, do SEOmoz).

Os badges e a ligação indireta com outros perfis são pontos positivos do BranchOut, além da rápida divulgação de oportunidades de trabalho. Também vale ressaltar o fato de termos uma rede “empresarial” dentro do Facebook, que segue firme na sua tentativa de dominar tudo fazendo com que os mais variados serviços estejam dentro dele. Ou seja, quanto menos um usuário sair do Facebook para interagir, melhor.

É bom ficar ligado também nesta repetitiva situação de posts no Mural, como reforcei em diversos parênteses aqui no artigo. Spamar a página de alguém não é lá uma atitude muito bacana, que pode gerar o bloqueio das atualizações do aplicativo.

Acredito que o hype do BranchOut passe em um curto prazo. Como vemos na Internet brasileira, muita coisa é feita no embalo de outros, sem muito conhecimento ou pausa para se informar melhor do que se trata. Mesmo assim, vale o registro e a dica de ficarmos de olho para ver se esta ferramenta ganhará força.

Seria interessante vermos, em breve, cases de oportunidades de trabalho ou histórias de “consegui meu emprego pelo Facebook”. É esperar para ver.

Um abraço e até a próxima!

Receba Dicas Para Ter Sucesso nas Redes Sociais

Cadastre seu e-mail para receber dicas incríveis para potencializar seus resultados!
Divulgue este artigo

12 Comentários para “BranchOut, Um “LinkedIn” no Facebook?”

  1. Tercio Strutzel

    O que me pareceu um ponto crítico no BranchOut é misturar o perfil pessoal com o profissional. No facebook as pessoas ficam bem à vontade para postar de tudo sem critérios muito rígidos. Um perfil profissional diretamente ligado à fotos e posts muito pessoais vai “queimar o filme” de muitos candidatos a vagas de emprego. Por isso concordo que a febre de adesão deve cair logo, e acho q ainda é cedo para questionar como o Google vai lidar com estas conexões e posts relacionados.

    Responder
    • Caio

      Acredito que é natural essa mistura existir.

      Hoje em dia é cada vez mais dificil seperar as coisas. As empresas e parceiros buscam pessoas autenticas em que podem confiar.

      Responder
  2. @rezende

    Acho esse negócio de versões repetidas das mesmas redes meio chato. Eu uso o meu FB para fins pessoais. Só adiciono amigos que falam comigo. Até conhecidos de tempos atrás, que já não falam comigo eu penso bem antes de aceitar. E, muitas vezes, não aceito. Ali eu coloco coisas pessoais, fotos, vídeos… partilho coisas que quero mostrar só para amigos. Já meu Twitter não. Lá eu me relaciono com pessoas que falam coisas que acho interessante. E falo mais de mkt, social media… assim como no Tumblr. No LinkedIn eu aceito todo mundo que me convida e no meu perfil publico somente o meu Twitter e Tumblr. Nem falo do FB. Acho que vai ser como falou, vai rolar uma onde de ‘vai com as outras’, mas o LinkedIn permanecerá mais forte, porque é uma rede voltada só para isso. FB é uma rede mais pessoal… não vejo as pessoas querendo falar de ‘negócios’ no dia a dia ali. E digo mais, empresas que usam o FB para vender, não entenderam para que serve a rede.

    Responder
    • @CaioFerreiraNet

      Mas fato é que as empresas vendem.

      Não entendo por que existe essa necessidade de separar as coisas. Você é um só, independentemente da rede social que escolhe.

      Um amigo não pode ser também um parceiro de negócio? E por que não um parceiro de negócio não pode ser também um amigo?

      Pra mim, networking saudável é onde existe uma “certa amizade” e confiança. Networking por networking não leva a grandes resultados.

      Do jeito que fala, você só gosta de social media e marketing se for no twitter. No facebook você para de gostar do assunto.

      Responder
      • @rezende

        Não não, Caio. Para cada coisa uma mídia. Eu gosto do assunto em qualquer lugar, mas ele não tem espaço entre os meus amigos próximos (os que estão no facebook e com quem compartilho coisas da vida pessoal) que são médicos, engenheiros, fisioterapeutas, administradores… não converso sobre marketing com eles. Entende? Gosto do assunto, debato o tema no Twitter e no LinkedIn, onde tenho relações com pessoas dessa área. As pessoas que estão no FB são de áreas diversas… músicos, advogados… eles não conversam sobre SMM comigo e nem ninguém. Eu não sou cliente de ninguém lá. Não curto página de empresa nenhuma. Lá quero saber dos meus amigos e quero falar de mim para eles. E só. É assim que uso o FB. Essa mídia para mim funciona desse jeito. Não tenho um assunto só e um perfil só. Falo sobre várias coisas em lugares diferentes. E isso não é bipolaridde (rs). Se estou no meio de pessoas que curtem falar de cinema, não vou ficar postando textos sobre dados da comScore e informações de alcance do YouTube. E mais, é só minha opinião. Não precisa concordar. ;)

        Responder
  3. Edson Caldas Jr

    Grande Ique, valeu pelo artigo, meu caro!

    Tocou em um ponto que eu, assim que comecei a usar, pensei: “Putz… mandaram bem em usar os Badges”, pois como você disse: todos quer! rs…

    Valeu pelo excelente artigo, e vamos acompanhando esse tal de “BrachOut” pra ver no que vai dar. rs…

    Grande abraço!

    Responder
  4. Adriano Quirino

    Parabéns Ique pelo artigo está ótimo.
    Realmente o aplicativo é muito interessante e é realmente notável a quantidade de pessoas que se interessam por aplicativos aonde possam ganhar badges. Vale apena ficar ligado neste aplicativo e ver qual será a aceitação do público.
    Abraços

    Responder
  5. Renato

    É, Ique.
    Isso pode ser mais um daqueles next new wave tipo cometas que surgem, brilham e desaparecem no ritmo efêmero que o Warhol previu tão bem. Só o tempo (curto) dirá.
    Quanto ao FB, eu tive de criar dois perfis. Um só para os parentes e amigos de verdade, onde ponho fotos pessoais, falo besteira, etc. Outro para os colegas, alunos e ‘amigos’ que aparecem do nada e que são todos muito bem-vindos, desde que não me spammem.
    Tenho o LinkedIn, também, claro, mas me parece mais ‘parado’ do que o FB. Muito mais gente pede para adicionar o FB do que no LI.
    Com isso, estou vendo essa possibilidade de fusão da rede ‘profissional’ do FB com o perfil do LI com um potencial interessante. De qualquer forma, Tercio, eles prometem poder não por foto pessoal no BO.

    Responder
  6. Alfredo

    Olá Ique, me adicionei no Branchout e procurei pela opção de importação dos dados do Linkedin e não localizei, será o início de uma disputa entre ambos os sites, ou uma falha de um usuário novato como eu?

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>