Spam: Um Panorama Incerto

Spam

Dinheiro fácil, propagandas, correntes dos mais variados temas, boatos, pedidos de doações. Quase impossível você nunca ter recebido alguma destas “propostas irrecusáveis” ou “mensagens tentadoras”, é bem provável que você abra sua caixa de emails agora ou seu blog, e lá encontre alguma destas.

Sim, estamos falando de um dos problemas que mais crescem e mais preocupam aos internautas e profissionais da web hoje em dia, o spam.

O termo spam vem de uma marca de presunto enlatado americano com o mesmo nome, que apesar de não ter relação alguma com o envio descontrolado de mensagens, surgiu devido a um episódio do grupo humorístico Monty Python (vídeo abaixo) no qual os personagens se referem ao enlatado de modo frequente.

Se referindo ao mundo da web, spams são definidos como:

Envio descontrolado e abusivo de qualquer tipo de mensagem de cunho publicitário seja em seu blog, site ou email sem que usuário tenha requisitado tal informação.Além de seu caráter abusivo e apelativo, os spams podem causar tráfego desnecessário, acumulando todo tipo de material desnecessário e prejudicial comprometendo o desempenho de servidores e empresas pelo mundo.

Existem duas maneiras formais de se referir a spams:

  • UBE – Unsolicited Bulk E-mail
  • UCE – Unsolicited Comercial E-mail

Tipos de Spams:

1.Hoaxes

Hoax (boato em inglês), como o próprio nome já diz se refere a mensagens ameaçadoras e infundadas que têm o objetivo de atingir usuários mais inexperientes, que acabam repassando estas mensagens causando um certo receio e confusão pela web.

“ALERTA DE VIRUS – Atenção todos os usuários! Se você recebeu um e-mail com o título ‘JOIN THE CREW’ ou ‘PENPALS’ não abra, ele irá apagar tudo no seu disco rígido. Mande essa mensagem para o maior número de pessoas possível. Esse é um novo vírus não muito conhecido. Essa informação foi recebida essa manhã pela IBM, por favor compartilhe com todas as pessoas que você puder que utilize a Internet.”

Outro famoso caso de hoax:

“Todos nós já ouvimos falar que os americanos querem transformar
a Amazônia num parque mundial com tutela da ONU, e que os livros
escolares americanos já citam a Amazônia como floresta mundial.

Pois chegou as mãos de um amigo o livro didático “Introduction to
geography” do autor David Norman, livro amplamente difundido nas
escolas públicas americanas para a Junior High School
(correspondente à nossa sexta série do 1ºgrau).

Olhem o anexo e comprovem o que consta a página 76 deste livro e
vejam que os americanos já consideram a Amazônia uma área que não
é território brasileiro, uma área que rouba território de oito
países da América do Sul e ainda por cima com um texto de caráter
essencialmente preconceituoso.

Vamos divulgar isso para o maior número de pessoas possível a fim
de podermos fazer alguma coisa ante a esse absurdo…”

2.Chain Letters

Conhecidas como correntes, essas mensagens levam o leitor a espalhar a mesma entre seus contatos, criando assim um processo contínuo de propagação das mesmas. Mensagens como essa prometem algum benefício aos que à repassarem, porém, fazem ameaças aqueles que por algum motivo não repassam as mesmas

“Envie esta mensagem a 20 amigos até a meia-noite de hoje e algo muito positivo ocorrerá em sua vida, se caso não enviar anos de má sorte e desgraça atingirão sua vida.”

É engraçado, mais ainda hoje a porcentagem de usuários que caem neste tipo de spam ainda é considerável.

Estes tipos de spam, também oferecem sorte e dinheiro.Chamando a atenção de  usuários mais “leigos”.

3.Scam

Os conhecidos golpes ou fraudes online. Oferecem promoções e vantagens usando nomes de grandes empresas conhecidas, o que reforça ainda mais a chance do usuário ser enganado. Geralmente são altamente elaboradas, porém, apresentam incoerências notáveis.

O caso mais famoso é o de uma mensagem onde remetente alega ser um nigeriano que, devido a razões políticas ou pessoais, está disposto a transferir uma grande quantidade de dinheiro ao destinatário desde que este pague uma certa taxa como garantia. Este spam é conhecido como “419” devido ao número do código criminal nigeriano ao qual o caso se aplica. E é um dos mais conhecidos golpes de scam.

4.Phishing

Convence o usuário a enviar dados confidenciais para algum endereço eletrônico ou que o mesmo se cadastre em algum site cópia de um outro site importante. É um dos tipos mais perigosos existentes, pois o usuário divulga informações como número e senha de contas bancárias, endereços e inclusive números de documentos.

5.Propagandas

Usado em grande escala em comentários de blogs e fóruns. Este tipo de spam divulga produtos, serviços e quaisquer tipo de propaganda comercial ou até mesmo política.É o tipo mais comum de spam existente, e é o caso mais antigo já realizado na web.

O Spam compensa?

A técnica de spam, frequentemente é comparada com técnicas de divulgação de empresas tais como, panfletagens, cartas e até mesmo o telemarketing, porém, as diferenças são enormes. E a diferença crucial desta comparação é uma só: o custo. O custo de uma mensagem eletrônica é muito inferior ao de qualquer custo associado a qualquer meio tradicional como serviços postais, serviços telefônicos e até mesmo os serviços de impressão e design de um panfleto. Isso permite que qualquer pessoa possa ser um spammer atualmente. No fim do ano passado em uma pesquisa da empresa Nucleus Research  revelou que empresas dos Estados Unidos perdem em média $712,00 por empregado em 1 ano devido ao problema.

Pesquisas atuais levam a crer que 0,005% dos usuários caem nos vários golpes relacionados a spams, o problema é que esta porcentagem pode até parecer pequena, no entanto, baseados na quantidade massiva de mensagens enviadas, isto pode corresponder a um numero considerável de pessoas.

Não podemos esquecer dos vários softwares que facilitam a vida de quem atua com spam, levando a possbilidade de envio de milhares de mensagens em apenas um clique,o que facilita o trabalho.

E o mais importante de todos os fatores, um spammer conta com a facilidade de se manter no anonimato, podendo enviar as mensagens sem que precise divulgar seu nome evitando qualquer tipo de envolvimento com a justiça e ou retaliações que poderiam ser criadas devido ao spam propagado por ele.

Spams na atualidade

Google

O Google tem trabalhado constantemente para identificar e melhorar a proteção contra esse tipo de problema.Um deles é o sistema de submeter relatórios de spam, onde o usuário pode informar ao Google sobre qualquer site que esteja a violar as diretrizes do mesmo. Estes relatórios são encaminhados para engenheiros, que utilizam dos mesmos para atualizar e melhorar o sistema constantemente.

Apesar de todo o processo, o Google geralmente não pune estes sites, apenas usa as informações do mesmo. Pois, para ele não há vantagens em combater este tipo de problema, pois o tempo gasto para separar o conteúdo bom do conteúdo ruim seria extenso demais. A idéia acaba ser de identificar os variados tipos de Spam e criar filtros que possam afetar uma quantidade maior de páginas ruins.

Twitter

Apesar de ser um sistema que vem alcançando o conhecimento dos internautas só agora, nem o Twitter com seu limite de 140 caracteres por mensagem (ainda pequeno em número de usuários se comparado as mídias sociais existentes atualmente) está livre de spam. No mês passado o Twitter foi atacado por uma das maiores pragas que já atingiram o sistema até hoje, onde o usuário recebia um link de alguns sites desconhecidos, onde mesmo ao acessa-lo, era infectado, transmitindo a mensagem para todos os perfis que o visitava. O link malicioso era do site Stalk Daily e apesar de ter sido resolvido o problema, não se recomenda acesso a este site.

Ainda sim, encontramos no Twitter outro problema relacionado à perfis falsos, que tem por finalidade adicionar a maior quantidade de usuários possíveis e em seguida divulgar os seus links, que em muitas vezes são sites de conteúdo adulto ou de venda de remédios.

Prevenindo-se do mal

1. Filtros

Comece com simples atos, como não abrir emails de desconhecidos ou de línguas estrangeiras que você não tenha solicitado, filtros de spams de emails também são bastante úteis. Uma alternativa interessante é definição de pré-listas de potenciais usuários spammers em seu servidor ou email, assim, como uma pré-lista já está criada, se evidenciar alguma mensagem deste usuário, a mesma é bloqueada na mesma hora.

O grande cuidado no uso de filtros , é o não bloqueio de mensagens válidas, que tenham importância para você usuário.

2. Políticas de Segurança

Métodos de punição para usuários que utilizem spam, controle através de regras previamente estabelecidas tais como cancelamentos de contas de email e advertências.

3. Aliases

São os endereços eletrônicos (aliases) que garantem comunicação entre as inúmeras redes da internet, e mantém relação com todas as ocorrências de abusos e incidentes de segurança em redes.São eles: abuse@domínio, security@domínio, postmaster@dominío e hostmaster@domínio. É importante ao aplicar um dos aliases em seu site,que ele seja constantemente acessado e tenha suas notificações respondidas, mostrando que seu site ou servidor se preocupa com a segurança e bem estar do usuário.

4. Conscientização dos usuários

Educar ainda é a chave neste caso. Indicar aos usuários a melhor alternativa quando o assunto é spam, demonstrar que a reclamação dele teve resultado, incentivar o bloqueio de seus emails com anti-spams, indicar as principais características de um spam e como não se tornar um spammer ainda são as melhores alternativas existentes.

Infelizmente, o volume de spams só tende a aumentar e cada vez mais preencher a web de informações não relevantes e prejudiciais aos usuários leigos, usuários profissionais e administradores de redes.E o spam, por mais que pareça algo pequeno e não-prejudicial, causa prejuízos para muitas empresas e internautas pelo mundo. É só pensar no tempo que você gasta limpando sua caixa de emails, no tempo em que um administrador de fórum ou um blogueiro perde retirando comentários spammers e de administradores de rede que perdem grande tempo em combater este tipo de problema. Tudo isso culmina em insatisfação, chateação e inclusive degradação e perda de produtividade de muitos servidores do mundo todo. Um panorama incerto,que depende apenas da ação e conscientização de cada usuário independentemente do seu grau e sua relação com o grande mundo da web.Afinal a web é um grande depósito que recolhe bilhões de informação por dia, e cabe somente a nós separarmos o que é importante e relevante para nós.

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

18 Comentários para “Spam: Um Panorama Incerto”

  1. Marcelo Gomes

    Bruno,

    Parabens a materia ficou muito boa e bem detalhada.
    Analisando nosso trafego 50 % dos emails que recebemos são identificados como Spam, gerando uma demanda de tempo aos administradores e os que passam pelos filtros deixa vuneravel nossa rede atingindo nossos usuarios, que mesmo que orientados são vitimados por estes ataques.

    Responder
  2. Jackson

    Nada como o Gmail pra me livrar dos malditos: Buy Viagra, Enlarge your penis e etc.

    Artigo bacana, apesar de já ter muito conteúdo sobre o assunto, houveram complementos importantes.

    Vale lembrar que existe o http://www.antispam.br para quem quiser saber mais sobre o assunto.

    Abraço

    Responder
  3. Bruno Miranda

    @Marcelo Gomes

    Olá Marcelo, que bom que gostou da matéria. Essa demanda de tempo realmente é um assunto preocupante quando o assunto é spam. O tempo gasto com o controle de spam poderia ser usado em desenvolvimento de novos projetos e novas idéias, sem contar que tempo é dinheiro. Pela própria pesquisa que citei na matéria, sobre a média de perda de $712 por funcionário por ano em empresas norte americanas já nos detalha bem o prejuízo causado.

    @Caronte

    Olá Caronte. Também me surpreendi quando pesquisei a origem do termo spam para web. O mais interessante é que assistindo o vídeo temos a idéia de como spam é realmente algo incômodo.

    Abraços e obrigado pelos comentários!

    Responder
  4. fabiano

    parece que spam é como tentar secar o chão embaixo de uma torneira aberta, eu bloqueio um monte de remetentes mas continuam aparecendo novos…

    Responder
  5. Bruno Miranda

    @fabiano

    Ótima comparação Fabiano. Infelizmente, a propogação de spams hoje na web é algo de proporções muito grandes.Enquanto você bloqueia alguns, vários outros são criados no mesmo tempo. É ai que começam a surgir os prejuízos que trazem tantas dores de cabeça as empresas e usuários domésticos, afinal tempo perdido também é um prejuízo.

    Abraço

    Responder
  6. Flávio

    Tenho visto algumas empresas de consultoria em SEO surgindo, principalmente em SP, oferecendo o serviço muito abaixo do mercado e prometendo resultados rápidos. Para nós da comunidade de Search, já sabemos onde isso vai dar né… Pois é, mas muitos empresários acabam decidindo pelo preço. Pois bem, a principal técnica que tem sido utilizada por estas empresas é o link spam. Seria falta de ética profissional denunciar estas empresas através do Google Webmaster Tools?

    Outra coisa: consultorias de SEO que oferecem o serviço “de qualquer jeito” atrapalham o mercado. Umas usam técnicas black hat ou gray hat, outras fazem só SEO onpage, outras ainda posicionam o site do “freguês” para termos long tail com baixo volume de pesquisas. Não seria o momento de tentar criar uma espécie de certificação para as consultorias de SEO ou uma empresa capaz de realizar de auditorias?

    Responder
    • Frank Marcel

      Flávio, não vejo problema em denunciar SPAM no índice do Google. Mas é necessário medir se o que você está fazendo é tentar contribuir para melhores resultados pois os atuais enganam o visitante, etc, ou exprimindo a sua raiva por ver concorrentes em melhores rankings. Acho que compensa alertar o Google de sites pobres que se utilizam de black hat para conseguir rankings.

      Quanto as outras considerações, não vejo problema em fazer somente o Onpage, uma vez que são técnicas lícitas – um provedor de serviços não engana seu cliente quando vende SEO onpage. Não há nada de errado nisso. É como reclamar que transitar de bicicleta demora demais e é cansativo. Faça um investimento maior e compre um carro ou moto. Mas não há nada de errado com a bicicleta, ela cumpre o papel ao qual se destina.

      E quanto a long tail, é muito comum que elas tenham uma boa conversão. Imagine: é melhor 1000 visitas convertendo 0,5% ou 100 visitas convertendo 10%? Tudo é muito relativo.

      Quanto a certificações, acho que em diversas outras áreas, existem dezenas de certificações e, ainda assim, empresas contratam provedores de serviço sem certificação, tanto quanto existem provedores certificados que não tem a devida competência.

      As auditorias são sempre uma opção do cliente. Ele pode solicitar 2 provedores de serviço: 1 para realizar, outro para auditar. Vai custar bem mais caro.

      Responder
      • Giuliano Barcelos

        Frank e Flávio

        Com relação à certificação, isto tem mais cara de reserva de mercado que qualquer outra coisa. Como o Frank bem disse, tem empresas certificadas que não tem competência suficiente e outras que não são certificadas que cumprem bem o seu papel.
        Creio que a questão é mais a definição de nicho de mercado de atuação que a certificação em si.
        Se meus potenciais clientes optam por outra empresa apenas pelo preço ou principalmente pelo preço, o mais correto é que eu repense o nicho que estou trabalhando. Não raro um cliente deste tipo vai me dar mais problemas que dinheiro, visto que qualquer coisa serviria para ele. Aí eu tenho que tomar a seguinte decisão: Atendo este tipo de cliente ou não?
        Quando eu comecei a desenvolver sites, muitos anos atrás, eu tinha como concorrentes os sobrinhos dos donos das empresas e, se quisesse vender meu trabalho, tinha que ganhar deles.
        Hj, quando um ‘empresário’ me diz que tem um ‘sobrinho’ que faz o serviço, eu apenas entrego o meu cartão e me coloco à disposição para corrigir eventuais problemas no site.
        É tudo questão de definição de nicho de atuação.

        Responder
    • Alan Correa

      Spam é Spam, quem faz spam é um sacana, quem vende serviço de spam é mais sacana ainda e quem vende spam falando que é SEO deve morrer! hahaha

      Responder
  7. Victor Brunner

    Acho que antes de denunciar o spam para o índice do google, seria mais vantagem tanto para você (profissional de SEO) que descobriu o(s) spam e para empresa (dona do site que contém os spam). Você mostraria para empresa o que está errado, o quanto isso poderá prejudicar o negócio da empresa e ainda poderia propor sua solução. Mesmo depois de você apresentar esses pontos e a empresa não queira fazer nada, ai sim acho que você deve repotar ao google.

    Responder
    • Victor Brunner

      PS.: Lembrei de um vídeo que eu assisti à algum tempo na facu onde mostra um cara que andava com o notebook em volta dos prédios de empresas e procurava falhas na segurança da rede da empresa. Após ele detectar as falhas, ele montava um relatório e entregava a empresa dizendo quais as falhas e que ele podia resolver tais problemas.

      Acho que esse resumo exemplifica bem o que eu quiz dizer.

      Responder
  8. Frank Marcel

    Flavio, Giuliano, Alan e Victor, obrigado a todos pelas considerações sobre spam, certificação e prestação de serviço! Opiniões valiosas!

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>