Privacidade no Google – Menos Informação para SEO

Privacidade no GoogleImagem Original

Recentemente o Google fez dois anúncios de mudanças e novidades de seus produtos que, infelizmente, contribuem para se ter menos informações sobre a navegação dos visitantes do seu site. A primeira envolve a própria busca do Google, que tem sua versão protegida (com troca de dados encriptada) e traz algumas implicações para coleta de dados. A segunda mudança, envolve o Google Analytics, que trata diretamente da coleta de informação de navegação de visitantes de um site.

Google por HTTPS – Segurança de Dados

https://www.google.com/

Mais uma vez pensando na segurança e privacidade da informação, o Google disponibilizou toda sua Search Engine na versão HTTPS, e esse S faz toda a diferença no protocolo HTTP:

With Google search over SSL, you can have an end-to-end encrypted search solution between your computer and Google. This secured channel helps protect your search terms and your search results pages from being intercepted by a third party. This provides you with a more secure and private search experience.

Usando o Google através do https://www.google.com/ (não está disponível na versão .com.br ainda), toda informação é encriptada, tanto termos buscados, quanto resultados da pesquisa, fazendo com que seja mantida a segurança e privacidade dos dados.

Implicações em SEO?

Sim, o uso do Google sobre SSL implica em alguma perda de informação, dependendo do caso. Quando a navegação segura via HTTPS migra para uma não segura (simples HTTP), o referral é perdido, ou seja, não é possível determinar de qual site o visitante partiu para chegar até o site em questão.

Ou seja, ao fazer uma busca no Google em HTTPS e clicar em um resultado que não usa o HTTPS (com certeza, o caso mais frequente), a referência de que foi uma visita de busca orgânica no Google é perdida e a visita conta como um acesso direto, como se estivesse sido digitado o endereço do site na barra de endereços do navegador – Uma perda de uma informação extremamente valiosa.

Ponto positivo para resultados que estejam indexados por HTTPS, pois toda a navegação fica protegida. Em termos de algoritmos e rankings nada mudou – não observei nenhuma diferença de resultados entre as buscas com ou sem uso do SSL. Não faria sentido mesmo, uma vez que a grande maioria dos sites, neste momento, operam sobre o protocolo HTTP convencional – não seguro.

Google Analytics Bloqueado

No dia 25 de maio, o Google anunciou em seu blog Public Policy que agora os usuários de Internet podem impedir que seus dados de navegação sejam utilizados pelo Google Analytics para compor as estatísticas que a ferramenta de Web Analytics coleta sobre sites que usam seu código de rastreamento.

No post Google Analytics: More choice for users, o Google explica que o add-on para browsers visa dar a opção ao usuário de permitir ou não a coleta de seus dados de navegação para compor as estatísticas da ferramenta. Como o Analytics utiliza um código javascript para coletar informações, o add-on bloqueia o funcionamento deste javascript.

Implicações em SEO?

Como parte do trabalho de um analista SEO é justamente analisar as estatísticas de navegação do site, essa possível falta de informação de usuários que naveguem com o add-on ativado será prejudicial para a completude de dados no Google Analytics – no Google Analytics! Para quem usa outras ferramentas de Web Analytics, não há uma implicação direta.

Ainda assim, nem tudo está perdido. O Analytics continua valendo como solução gratuita para Web Analytics, mas para se obter informações mais completas, passa a ser interessante o uso de outras ferramentas. Se variações nas quantidades de visitas apontadas por diferentes ferramentas de tracking de visitas já são comuns, é provável que no Google Analytics a diferença aumente um pouco mais.

Como Bloquear o Google Analytics?

Download Google Analytics Opt-out Add-on

E como fazer para bloquear o Google Analytics? Sim, basta instalar o add-on para o seu navegador (está disponível para Internet Explorer, Firefox e Chrome) e ele faz o resto para você, sem nenhum esforço adicional. Felizmente, é simples desinstalar também! Basta acessar o gerenciador de extensões do navegador e desativar ou desinstalar o add-on.

Privacidade no Google

As duas novidades do Google são, realmente, um avanço no sentido da segurança de informação na Internet e privacidade de navegação de usuários. Infelizmente, elas tem o efeito colateral de diminuir a precisão e volume de informações disponíveis para a análise de tráfego de um site e consequente análise de SEO.

Pessoalmente, acredito que não haverá uma grande adesão ao Opt-out Add-on ou ao uso da versão de buscas por SSL por usuários comuns, a menos que o Google empurre garganta a baixo e faça todo mundo engolir as opções. Quantas pessoas não ligadas a área e até mesmo ligadas, sequer tomaram conhecimento da existência das opções? A versão HTTPS nem está disponível na versão .com.br. E o Google Analytics ainda é uma solução muito boa para web analytics. Até a próxima!

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

20 Comentários para “Privacidade no Google – Menos Informação para SEO”

  1. Luan Muniz

    Como já disse um amigo, A google também faz merda! =/
    Ainda que o SSL não tenha no .com.br e este plugin possa não vigorar ainda é uma grande perda e informação e o estrago já é grande.
    Eu por exemplo tenho muitos acessos do exterior, ainda não parei para analizar o impacto do SSL no meu site, mas ainda que seja pequeno, tenho certeza que existe.
    Eu sou totalmente contra este tal plugin, lembro que quando anunciaram isto foi a maior confusão nos blogs da google.

    Vamos ver se teremos alguma alternativa para está perda de informação =/
    Ótimo artigo, parabens!

    Responder
    • Frank Marcel

      Bom, nem sempre é possível agradar gregos e troianos. Acho que as intenções do Google são boas e importantes. O problema é que impacta negativamente análises de SEO.

      Responder
  2. Ronaldo Junior

    Vejo isso como as propagandas de cerveja por exemplo, eles são obrigados a informar o famoso ” Se dirigir, não beba. ” Tem também as propagandas no verso dos maços de cigarro com alguém em estado terminal. O aviso existe, mas nenhum dos dois forçam o bebum ou o fumante a parar de beber ou não fumar mais. Acho que com o Google será assim.

    Abs,

    Responder
  3. Carlos Duplar

    Na minha opinião o impacto disso é bem pequeno, assim como a utilização de ad blockers para bloquear o GA ou desabilitar Javascript. Estrago muito maior aconteceu com o Mayday release…

    Abraços

    Responder
  4. Fábio Ricotta

    Como o próprio Frank falou, praticamente ninguém sabe da versão HTTPs. Apenas se o Google forçar o uso da versão HTTPs teremos algum tipo de problema. No mais, não precisamos criar pânico.

    Responder
  5. Henrique Daniel

    Quando li este artigo também pensei que a ideia era dar um empurrãozinho para a versão paga do GA porem descobri que esta versão custa a bagatela de $3000,00 (se estiver errado me corrijam) e como já vi ela funcionado e não é muito melhor que a versão Free do GA acho que não é bem esta a ideia.

    Tambem temos que levar em consideração que este aplicativo a curto prazo não vai fazer nem cocegas nas estatísticas de 99,9% dos sites. E para o restante podem optar pelo Omnture e pelo web trends.

    Responder
  6. Muller Dias

    Forçar o SSL seria ótimo para o Google… como eles registram os cliques em resultados das pesquisas antes de redirecionar, somente eles teriam as informações sobre os cliques. Ou seja, forçando o SSL, as diversas ferramentas de estatísticas que existem não vão servir para nada, todos nós seríamos obrigados a usar um serviço do Google para fazer análises.

    Responder
  7. Fred Jader

    Isso nos leva a outra questão; qual outro web analytics usar? Eu tenho muito interesse em usar o Yahoo, mas infelizmente ainda não está disponível para todos os usuários.

    Responder
  8. TJ

    Uma pergunta… se eu entro em um site c/ o javascript off, desativado, o GAnalytics nao conta a minha visita, certo? O servidor conta, mas o GAnalytics nao. Pois se o jscript esta desligado nao tem nem como seguir o browser do visitante no site, nao tem como rastrea-lo, nao tem como saber se eu pulou da pagina 1 p/ a 3 e depois p/ a 2…
    Queria saber isso, pois um amigo meu me disse q o GA registra o IP, so q essa info fica c/ o Google, o dono do site nao fica sabendo o IP, mas o webmaster tem como saber o user agent do visitante pois o GA registra o user agent e libera essa info p/ o dono do site.
    Aqui vai a segunda pergunta: se o jscript esta desligado, tem como o site q usa o GA rastrear o browser so pelo user agent?
    Outra coisa, se o cara quer sair fora desse rastreamento, melhor desativar o javascript ou usar o Ad Block Plus, usar um plug in criado pelo proprio Google e no minimo estranho.
    Aguardo uma resposta. Otimo post!

    Responder
    • Frank Marcel

      TJ, existem 2 versões de GA: paga (que roda no servidor) e gratuita (que roda no browser dos usuários via js). A versão gratuita não registra nada se o javascript estiver desabilitado ou mesmo se você usar a extensão que desabilita o código do javascript.

      Embora possa ser estranho o Google providenciar uma extensão assim, se a extensão não cumprir o seu papel, a imagem do Google fica manchada. Existem muitos compromissos envolvidos.

      Resumo da história: com js desabilitado (seja na mão ou por qualquer plugin), o GA gratuito não registra informação nenhuma, simplesmente porque o javascript não vai rodar.

      Abs,

      Responder
  9. TJ

    Oi Frank. Valeu pela resposta.
    Olha so, eu tenho o ABP (ad block) no meu Firefox. E tbem tenho uma extensao chamada Pref Bar. Queria saber o seguinte, se o meu ABP estiver on, e se eu ativar o JS na Pref Bar qual “set” sera considerado pelo site. Por ex, agora, meu ABP esta ativado, qdo eu passo o mouse sobre ele eu vejo que o filtro do GAnalytics esta sendo usado, ou seja, o GA nao esta passando (teoricamente) info sobre minha visita, mas ao mesmo tempo eu marquei o JS (on) na Pref Bar.
    E uma duvida boba minha, so queria saber o que acontece nessa situacao, pois ja tive q ativar o JS em alguns sites, mas raramente desativo o ABP.
    Se tu tiver um tempinho p/ responder novamente… Ja agradeco.

    Responder
    • Frank Marcel

      TJ, não sei o que aconteceria. Você está tentando aplicar duas configurações opostas ao mesmo tempo. É realmente o caso de testar e ver o que acontece. Talvez a diretiva que for aplicada por último seja a prioritária. Mas é só um palpite.

      Responder
    • Frank Marcel

      Ressalto o final do texto: “… acredito que não haverá uma grande adesão ao Opt-out Add-on ou ao uso da versão de buscas por SSL por usuários comuns, a menos que o Google empurre garganta a baixo e faça todo mundo engolir as opções.”

      O Google vai forçar a barra e para usar o seu sistema de buscas, será somente via HTTPS. De acordo com as informações oficiais, ainda será possível saber que a busca veio do Google e que o clique foi em um resultado orgânico, e não em links patrocinados. Mas não será possível ver qual keyword foi buscada – isso só será possível em cliques nos links patrocinados.

      A princípio, isso acaba com os dados de busca orgânica no Google Analytics, e nós ficaríamos reféns dos frágeis dados do Google Webmasters Tools (Número de impressões x CTR).

      A esperança é o Bing tirar o coelho da cartola e mostrar pro mercado (não só de SEO) que isso não é tão legal assim e frente ao concorrente, o Google volte atrás neste ponto. Por enquanto, é aguardar para ver o que vai dar.

      Responder
  10. Cristiano Siqueira

    Ótimo post Frank – estive contigo no almoço no curso da Agência Mestre, boas colocações que tu sempre faz, e implementei a minha dúvida que tinha tido no curso sobre vários meios de pagamento! obrigado sempre!

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>