Mapa da Empatia: O Que Seu Público Pensa e Faz?

Olá Leitores da Mestre, tudo bem com vocês? O artigo de hoje entrará num tema que vários profissionais sentem dificuldades: a criação das personas. Em outros artigos nós apresentamos algumas técnicas para vocês mensurarem dados como: sexo, idade, localização, etc. Mas hoje será diferente, você conhecerá uma técnica que explora além dos dados, indo até os aspectos sentimentais e comportamentais. Gostou? Então dê o play abaixo e descubra mais sobre o mapa da empatia.

Origem do Mapa da Empatia

O mapa da empatia nasceu através de um cara chamado Scott Mattews, da empresa Xplane. Seu objetivo, na época, era desenhar um pouco melhor o pensamento e as necessidades do seu público-alvo. Hoje, depois da evolução da técnica, várias empresas usam ela para identificar oportunidades de negócios, riscos e também apontar melhorias acerca dos seus produtos e serviços.

Já nós, do marketing digital, adaptamos o mapa da empatia para uma função extremamente específica, mapear aspectos e comportamentos para embasar nossa criação de personas! O que podemos comentar, é que essa é uma ferramenta muito poderosa e que pode verdadeiramente alavancar seus resultados. Continue lendo, para saber mais.

Como Funciona o Mapa da Empatia?

De forma resumida, o mapa da empatia é dividido em seis partes:

  • O que pensa e sente?
  • O que ouve?
  • O que fala e faz?
  • O que vê?

Essas quatro primeiras partes do mapa da empatia são menos específicas, pois elas giram em torno do comportamento da pessoa e, consequentemente, é menos invasiva. Contudo, além delas existem duas áreas mais profundas:

  • Quais são as dores?
  • Quais são as necessidades?

O Que Ele Vê?

Nesse ponto você precisa identificar o que seu público enxerga ao redor dele, ou seja: quais sites ele acessa, canais de TV e Youtube assiste, páginas que curte, jornais que consome, livros que lê, entre outras coisas. Mas como você pode descobrir isso? Fazendo pesquisas, perguntando para o seu público ou ativando campanhas de remarketing.

O Que Ele Ouve?

Nessa área você precisa identificar o que ele gosta de ouvir, seja podcasts, músicas, rádios, bandas, entre outras formas de influenciadores. O segredo é descobrir o que ouve e como ouve!

O Que Ele Pensa e Sente?

Aqui você precisa identificar como o seu público está se sentindo, seja feliz, triste, motivado, com raiva, etc. Além disso, duas perguntas chaves para extrair informações ricas é perguntar como será o futuro dele e quais são suas preocupações atuais.

O Que Ele Fala e Faz?

Aqui você irá identificar quais são os hobbies dele, como são os seus posts e comportamento nas redes sociais, qual é a linguagem adotada por ele e quais são os seus assuntos preferidos.

Dores e Necessidades

Com as informações das quatro esferas citadas acima você consegue identificar com clareza muita coisa sobre o seu público e como ele se relaciona com o mundo de forma ampla. Contudo é necessário identificar suas dores e necessidades.

Tratando-se das dores, você precisa identificar as coisas que prejudicam a vida dele de forma direta, seja segurança do bairro, doença na família, desemprego, entre outras coisas. Já as necessidades são os itens que representam o caminho para a felicidade dele. Uma forma bem objetiva de extrair essa informação é perguntar: do que você precisa para acabar com as suas dores?

Entendeu como funciona o mapa da empatia? Com todas essas informações citadas acima você consegue criar anúncios melhores, campanhas mais assertivas, conteúdos mais relevantes e adotar uma linguagem mais confortável para o seu público. Assim, sua empresa será a ponte entre as dores e as necessidades.

Um Presente Para Você

Preparamos um guia gratuito para você aplicar em seu negócio e descobrir tudo sobre o seu público-alvo. Faça o download do mapa da empatia e tenha resultados melhores em seu negócio!

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>