Google Shopping: O Que é e Como Funciona?

Olá amigos da Agência Mestre!

Em 2011 tivemos o anúncio oficial do Google sobre o lançamento de mais uma de suas plataformas para o público brasileiro: o Google Shopping. A plataforma tem como objetivo comparar e exibir produtos de diversas lojas virtuais, dando ao usuário do Google a possibilidade de encontrar um produto diretamente pela busca tradicional.

Para entender mais sobre o assunto, nosso CEO Fábio Ricotta gravou um vídeo especial. Confira:

O que é o Google Shopping?

A ideia por trás do Google Shopping é bem simples: exibir produtos relevantes à consulta do usuário, juntamente com lojas que os oferecem, fotos do produto e por fim reviews de usuários sobre aquele determinado produto. É praticamente um “Buscapé”, só que integrado aos resultados de busca.

Antigamente, era possível utilizar o serviço do Google Shopping em modo gratuito e em modo pago. Atualmente, para que a sua loja virtual apareça nos resultados do Google Shopping, você precisa pagar pelo serviço.

Como funciona o Google Shopping?

O funcionamento do Google Shopping é muito fácil de entender. Basta, por exemplo, digitar no Google o termo “tv led”:

Google Shopping

Como você pode notar acima, o Google integra o Shopping ao conjunto de resultados patrocinados, exibindo a foto do produto, o nome, preço e nome da loja em que encontramos a oferta. Uma forma muito prática e útil para o usuário encontrar o produto que precisa. Na própria SERP do Google, o usuário consegue clicar na seta ao lado direito e ver um carrossel completo de opções. Ao clicar sobre o produto, a pessoa é direcionada à página do anunciante.

Como incluir a minha loja no Google Shopping?

Para incluir os seus produtos no Google Shopping basta ir ao Google Merchant Center e enviar o seu feed de produtos. O feed é muito parecido com o arquivo XML que você já utiliza para os comparadores de preço normais, mas o Google possui uma especificação para o seu feed de produtos, vale a pena conferir.

No caso dos clientes que trabalhamos aqui na Agência Mestre, conseguimos fazer toda a criação do feed para as lojas virtuais seguindo a especificação listada no documento de ajuda do Google.

O Lojista Precisa Estar no Google Shopping

Anunciar no Google Shopping é fundamental para o lojista que quer ter mais resultados em seu e-commerce. Querendo ou não, esse é o maior canal de conversão para qualquer pessoa que anuncia produtos na plataforma do AdWords. Em resumo, se você tem uma loja virtual e não investe no Google Shopping, saiba que você deixando muito dinheiro na mesa e perdendo excelentes oportunidades para vender mais.

Na cartela de clientes da Agência Mestre que são e-commerces, notamos que mais de 50% da receita gerada através do AdWords, vem do Google Shopping. É importante mencionar que podemos potencializar os resultados, aplicando o remarketing na plataforma, oferecendo novamente o produto para as pessoas que já demonstraram interesse em adquiri-lo.

Pesquisas recentes no mercado americano, mostram que o Google Shopping vem crescendo ano após ano. No comparativo do primeiro quarto de 2016 versus o primeiro quarto de 2015, a receita da plataforma cresceu 52%, o que reforça que essa vem sendo uma ferramenta muito útil e rentável para os lojistas.

Aumento de Pesquisas Via Dispositivos Móveis

Ao perceber um aumento considerável nas buscas realidades via dispositivos móveis, o Google tratou logo de otimizar ainda mais seu resultado de pesquisas em telas de celulares. Dessa forma, passou a dar mais destaque aos produtos do Google Shopping em aparelhos móveis, o que colaborou diretamente para o crescimento da receita através da plataforma.

Antigamente, quem fazia uma busca através do celular, não via muito destaque nos resultados do Google Shopping. Atualmente, o destaque faz com que o usuário acesse muito mais as ofertas. Confira o antes e o depois:

Google Shopping Mobile

O aumento das buscas através de celular serve de alerta para que você verifique o comportamento que a sua loja virtual possui em um dispositivo móvel. Nosso conselho é que você tenha um site responsivo ou que sua loja virtual possua uma versão mobile. Dessa forma, as pessoas conseguirão navegar facilmente por todas as suas páginas, realizando mais compras.

Conclusões

O Google Shopping é, sem dúvidas, uma das melhores oportunidades para que você possa vender mais em sua loja virtual. Anuncie seus produtos e aumente o seu faturamento hoje mesmo. Se precisar de ajuda para promover seus produtos na plataforma, solicite-nos um orçamento sem compromisso e teremos o maior prazer em ajudar você a ter mais sucesso no mundo online.

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

30 Comentários para “Google Shopping: O Que é e Como Funciona?”

  1. Daniel Vieira

    Muito bom o artigo Ricotta, bastante completo e esclarecedor.

    Agora sim vai ficar legal essa competição de serviços de comparação de preços, imagino que Buscapé, Jacotei, Bondfaro, etc, devem estar com as pernas bambas de medo dessa concorrência de “peso” que é o Google.

    Bom também para nós que temos agora mais um produto para vender a nossos clientes dentro de um orçamento envolvendo todo o SEO.

    A minha única crítica é sobre o Google adicionar mais um conteúdo nas sua SERP e “empurrar” os resultados orgânicos lá pra baixo, mas isso é questão de tempo até nós podemos estudar estratégias em cima desses resultados.

    Responder
  2. Alexsandro

    Muito bomm!! uma coisa que tenho dúvida é sobre o as Resenhas como aparece na imagem a cima. Será que são capturados via Microformats?

    Abraços Fabio!

    Responder
  3. rica

    Amigos, entrem nos maiores comparadores de preço: Buscapé, Shopping UO, BondFaro e Cata Preço e observem, são os mesmo anunciantes. Isso mesmo, todas as lojas anunciam nos 4 maiores. Os anuncios são PAGOS!

    Sentiram a pegada?

    Analise mais um pouco, use o AdPlanner e perceba que a sobreposição entre os maiores é baixa, mesmo o Buscapé com BondFaro que são da mesma empresa.

    Agora raciocinem, você acha que os anunciantes vão abrir mão de anunciar onde já anunciam?

    O Google Shopping será apenas mais um canal, que hoje é gratuito, mas depois que tiver uma boa audiência será pago.

    Se você analisar bem, muitos produtos possuem o CPC mais baixo em comparadores do que no AdWords, quando o SHopping do Google começar a ser pago, com certeza irá levar em consideração o CPC do programa de anuncios que o Google já tem.

    Responder
  4. Reifison

    Muito bom Ricotta,

    Parabéns por mais esse texto. você se adianta muito bem e consegue esclarecer o que precisamos. Já estou dando uma estudada nesses parametros que você indicou para já colocar clientes lá.

    Abraços e boa sorte..

    Responder
  5. William

    Sinto falta de uma ferramenta que agregue mais valor ao consumidor (usuário) . Não percebi nenhum avaliador de credibilidade dentre as lojas rankeadas. Algo do tipo: Prazo de entrega, que é uma das principais reclamações dos consumidores quanto as compras online.

    Acho que é uma ótima maneira de roubar mercado dos demais sites comparativos de preço (buscapé, bondfaro, mas nada que me faça buscar nele e não nos outros, poderia mostrar se melhor, pela capacidade de informações que a empresa possui.
    É mais um lançamento Google, sem atenção nos pequenos detalhes que fazem a diferença no final.
    O que acha?
    Grande Abraço e parabéns pelo sucesso.

    Responder
  6. pedronauck

    Ótimo conteúdo Fábio, muito dinâmico e explicativo.

    Acho que isso é muito interessante pros varejistas, porque a competividade sendo maior, vai aparecer mais, aquele que tiver um melhor serviço, e para nós consumidores é melhor ainda, porque poder selecionar melhor o que a gente quér comprar é muito bom, como sempre, o Google não dá tiro no escuro.

    Mas ainda está um pouco bebe o Shopping né? Porque alguns produtos não aparecem nas SERPS com o tipo de resultado de compra. Pelo menos eu não consegui fazer funcionar para alguns.

    Valeu, parabéns pelo Post.

    Responder
  7. Mario Garcia

    Valeu Ricotta,

    foi muito esclarecedor nós do mercado de Search ficamos contentes pois é mais um adendo a ser oferecido aos nossos clientes. Bom, o negocio é se especializar na ferramenta.
    Só falta um Mestrecast sobre o assunto, oque acha? rrss..

    Abço e sucesso!

    Responder
  8. Jefferson

    Olá a todos, parabéns pelo post. Gostaria de complementar, compartilhando algumas informações que tive por experiência pessoal nos últimos dias.

    Eu já implementei na empresa que eu trabalho, os produtos já estão ativos, depois de algumas estudadas e trocas de emails com o pessoal do Google Shopping Team. Agora só alegria.

    Uma dica muito importante: Prestem MUITO atenção nas regras do programa. Entendam bem se o produto de vocês é realmente um produto ou um Serviço. O Google não aceita serviço no Google Shopping.

    A interface de aprovação dos produtos ainda está um pouco ruim, no sentido de lhe dizer o que está errado quando um produto é reprovado. Então ler com atenção e testar se tudo que é dito na política do programa está de acordo com o sue produto e a página que você está indicando no feed de dados.
    (página com as políticas do programa: http://www.google.com/support/merchants/bin/answer.py?answer=188484&hl=pt_BR)

    Como o meu produto é único ainda no G shopping, e não possui concorrentes cadastrados, fica ruim para o cliente ter uma avalização ou fazer uma. Aparentemente as avaliações da loja e produto estarão disponíveis quando existirem mais de um produto, onde a página “comparar” possuirá os detalhes.

    Por último, algumas coisas que o pessoal do Time do Google Shopping passou em um dos contatos que tive:
    ———————————————————
    ———————————————————
    Recomendamos que você siga as dicas fornecidas abaixo ao criar
    seus feeds de dados do Google Shopping:

    – Obedeça a nossas diretrizes editorias: títulos, descrições, uso de
    maiúsculas, textos promocionais etc. Você pode acessar
    http://www.google.com/support/merchants/bin/answer.py?answer=188483 para
    visualizar as diretrizes editoriais do Google Merchant Center.
    – Programe seu feed para que seja atualizado de forma automática
    diariamente
    – Inclua identificadores exclusivos de produto onde for relevante
    – Verifique se seus sites e imagens não são controlados por robôs
    – Envie imagens de alta qualidade
    – Inclua as informações de envio
    – Use a tag rel=”canonical” no seu site
    ———————————————————
    ———————————————————

    :) Boa sorte a todos que irão implementar.

    Att.
    @Jeff_drumgod

    Responder
  9. Lincoln

    Fábio, e em relação aos programas de afiliados, você acha que poderá haver algum prejuízo para os mesmos?

    Responder
  10. Leandro

    Olá pessoal, já havia lido algo a respeito do google shopping, mas agora é uma realidade. Feeds!? Nada de novo na rotina do desenvolvedor web, resta saber quanto de tráfego orgânico pode-se conseguir somando os comparadores de preço. è isso ai, parabéns ao pessoal da Mestre pelo conteúdo! Abraço.

    Responder
  11. Scott

    Alguem saberia quando tempo demora a propagação dos produtos geralmente? Fiz um teste a 2 dias e todos os produtos estão como Aguardando análise.

    Responder
    • Daniel

      Eu também já enviei o feed há 2 dias e até o momento o product search está como “aguardando análise”. Já o product Ads está como pesquisável. Alguém sabe a diferença?

      Responder
      • Paulo

        Olá, também enviei o Feeds, está tudo em ordem, exceto que já fazem 4 dias que está “aguardando análise”, isto é feito manualmente pelo pessoal do Google para demorar tanto assim?
        O de vcs já entraram no ar?
        Abraços

        Responder
  12. Tiago Oliveira

    Olá pessoal,

    Estou com dúvidas sobre como utilizar corretamente o atributo installment (parcelas) no feed em formato de planilha excel…

    Estou fazendo da seguinte maneira, mas não sei se está correto, segue exemplo abaixo da coluna:

    installment

    3:19,96 BRL

    A configuração acima significa que o produto tem parcelamento em até 3x sem juros, ficando a parcela por R$ 19,96 ao mês, na moeda brasileira… alguém sabe se está correto este padrão? Obviamente que os outros atributos obrigatórios já estão inseridos aqui no meu feed, só quero mesmo acrescentar a informação do parcelamento, como forma de agregar mais informações aos anúncios.

    Abs.

    Responder
    • Guilherme

      Boa pergunta Tiago,

      este formato, com vírgula para os decimais e com o “BRL” no final, não funcionou??

      Abs.

      Responder
      • Tiago Oliveira

        Olá Guilherme,

        Fiz aqui o teste e funcionou, o Google interpretou os produtos da planilha como 3x sem juros e já inseriu os mesmos no Google Shopping.

        Agora estou trabalhando as otimizações dos produtos de forma que possam ter mais chances de aparecer nos resultados de buscas para as palavras chaves que me interessam.

        Obrigado.

        Responder
        • Scott

          Todos os meus testes foram recusados. Vocês estão enviando a Categoria do Google?

          Responder
  13. Willian

    Na TAG de parcelamento, na documentação não vi a opção “com juros”, cadastrei um produto que tem juros no parcelamento, mas ele apareceu sem juros. Como faço para aparecer a palavra com juros?

    R$ 21,90

    4
    R$ 5,64

    Responder
  14. sergio mendes

    ola,muito bom seus artigos,sempre estou lendo e aprendendo,tenho apenas a sexta serie do primeiro grau,e 52 anos de idade,ou seja, tudo contra para aprender, mas aqui eu consigo otimas dicas,pois suas explicações,são objetivas e de facil entendimento,paguei um profissional de seo para alavancar meu site,os resultados foram os piores possiveis,assim, eu decidi fazer por mim mesmo,ja que, ruim por ruim, pelo menos era de graça.li muito artigo seu,e não é que agora eu apareço ate mesmo na primeira pagina do google???agradeço a voce e a todos que escrevem aqui,por partilharem seus conhecimentos,e ja mandei um email para o programador que trabalhou para mim, para conhecer este site,muito obrigado,e fiquem todos com DEUS!

    Responder
  15. Henrique

    Os meus também. Já está a quase 2 meses assim.

    Alguém do mestre SEO pode dizer o motivo?

    Abraços.

    Responder
  16. Samuel Ozzy

    O meu também ja vai para o terceiro mes que está em analise. O mais estranho é que quando o google shopping foi lançado, os meus produtos constavam la sem sequer eu ter enviado o feed, depois desapareceu de lá, e agora que enviei o feed fica só em analise.

    Responder
  17. Renan Felix

    O Google Shopping foca no campo de adwords, não encontrei nenhum termo orgânico aparecendo por termos competitivos.

    Foi muito bom esse período mas parece que não ‘embeda’ mais gratuitamente no google shopping.

    Se estiver errado me corrijam por favor.

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>