ExpOn 2011 – Como Descobrir os Ranking Factors

Ranking Factors foi tema no ExpOn

Uma das grandes palestras esperadas no ExpOn, “Como Descobrir os Ranking Factors”, foi apresentada por Rand Fishkin, do SEOMoz, e David Mihm, do GetListed, tendo como moderador o conhecido Dixon Jones da MajesticSEO.

A palestra foi iniciada às 14h40 com o empolgado Rand Fishkin apresentando como é feito todo trabalho do SEOMoz em relação aos ranking factors. Para quem não conhece, o Ranking Factors é uma pesquisa publicada pelo SEOmoz a cada dois anos, citando os fatores que podem ou não influenciar diretamente no ranking de um site.

Na pesquisa são citados todos os fatores estudados pelo SEOMoz, que são baseados em centenas de entrevistas e pesquisas feitas pela própria equipe da empresa. Toda a metodologia do Ranking Factors pode ser encontrada no site do SEOMoz. Inicialmente, a pesquisa é realizada com dois tipos de dados:

  1. Dados de Pesquisa

  2. Um número de pessoas dão opinião ao SEOMoz sobre o que acham mais importante para os fatores de rankeamento do Google.

  3. Dados de Correlação

  4. É feita uma pesquisa através das primeiras 10.000 sugestões de keywords. Essas keywords são examinadas, assim como os principais sites relacionados a elas. A partir daí se determinam duas questões muito importantes:

  • O que o Google está medindo?
  • O que os sites bem rankeados se diferenciam?

Nesse momento, Rand Fishkin fez uma comparação bem interessante com a história dos golfinhos:

“Os golfinhos nadam sempre em grupos, porém, alguns nadam a frente e outros atrás. Geralmente o grupo da frente se destaca por possuir nadadeiras mais fortes e desenvolvidas e também sofrem os maiores impactos por estarem a frente. O desgaste de suas nadadeiras devido ao esforço maior é um dos principais pontos negativos. Já o grupo de trás se destaca por sempre querer chegar à frente e pensar muito sobre como fazer isso. Ele nada mais forte e sabe que seus companheiros tem problemas pelo extremo esforço que realizam.”

A pesquisa realizada pelo SEOMoz necessita de muitos resultados para haver uma precisão grande nos dados que serão publicados, ou seja, todas as correlações feitas são totalmente embasadas em um grande número de fontes de pesquisa não sendo nenhuma delas casual.

Os Fatores

Rand começou a citação dos fatores afirmando que os links continuam se provando extremamente importantes a cada ano que passa. A partir daí, citou as várias relações pesquisadas:

  • Correspondências exatas perderam valor, porém ainda são positivas. Domínios são extremamente importantes (A pior página da Wikipedia tem um bom rankeamento);
  • Links pagos perderam valor;
  • Quanto mais lotes de Adsense seu site possuir, pior o rankeamento do mesmo;
  • Quanto mais alto o tempo de resposta (rapidez de acesso a páginas e outros fatores relacionados a servidores) menor será o rankeamento;
  • Usar serviços do Google, tal como o Analytics, contribuiu negativamente para o posicionamento;
  • O fator que mais contribuiu para o rankeamento e que mais melhorou foi o número de links externos para sua página;
  • Shares de sua página no Facebook são mais importantes que a própria correspondência exata de domínio em seu site;
  • Shares no Facebook são mais importantes que menções no Twitter;
  • O Google ainda não está utilizando o número de shares nos algoritmos, mas ele é um indício de engajamento;
  • Facebook Shares estão no máximo na tabela de Ranking Factors.

Após a excelente apresentação de Rand Fishkin, subiu ao palco David Mihm, da GetListed. David tocou em alguns assuntos pertinentes como keyword research e local search.

Keyword Research

Inicialmente foi falado em como começar uma keyword research. A primeira idéia é identificar de 15 a 20 termos das pesquisas de keywords tradicionais. A partir daí surgem algumas perguntas:

  • Quais dessas pesquisas possuem volumes locais?
  • Quem está na sua frente para esses termos selecionados?
  • Quando os resultados locais aparecem?
  • Quantas empresas são exibidas?
  • Os resultados locais são exibidos para keywords genéricas?

David citou que a área de Local Search no Brasil é uma excelente oportunidade, pois o Google ainda não tem bons sinais sólidos de localização no país e, para ele, tem que haver uma grande confiança de que o local exista e não seja apenas uma tentativa de spam. Toda essa baixa movimentação se refere a dados fracos nos cadastros no Places e spam nas categorias.

Outro dado interessante é o de que as palavras em inglês usadas no país não são bem utilizadas pelo Google, causando uma confusão no algorítmo, que não consegue identificar de qual país exatamente se refere a busca. Um exemplo usado foi a palavra “Personal Trainer”. Mihm ainda fez demonstrativos com as palavras “eletricista” e “dentista 24 horas”.

Considera-se, inclusive em alguns casos, a proximidade de seu negócio do centro da cidade, o chamado Centroid Bias. Ou seja, há um algoritmo que verifica a proximidade de um negócio do centro da cidade. Para se cadastrar no Local Search do Google, são necessário os seguintes dados de sua empresa:

  • Nome;
  • Endereço;
  • Telefone.

Sendo os principais o nome e o telefone. Estas citações são como a impressão digital do seu negócio para o Google. A partir daí, feito o cadastro, cabe ao usuário reforçar sua estratégia obtendo citações sobre sua empresa através de vários sites especializados.

Na sequência, o dono do site cadastrado precisa obter o máximo de reviews possíveis sobre o seu site. Para isso, é interessante entender que esses reviews ou citações importantes são um método de classificação para os sistemas de rankings do Local Search, que consiste em uma menção ao estabelecimento em questão. A citação é para o Local Search assim como o um link é para os resultados orgânicos. Algumas ferramentas estão disponíveis para o sistema de reviews:

  • Temos o Whitespark – local citation finder – que é uma ferramenta que analisa quem esta bem recentemente no local search. Ela consegue verificar somente a força geográfica da citação, mas não a força em termos de tráfego orgânico;
  • Sites de selos como o Yelp são muito valorizados pelo Google, ganhar links em sites de eventos relacionados a seu negócio;
  • Criar uma página da Wikipedia e colocar o endereço de sua empresa na parte do General Information;
  • O uso de imagens através do Panoramio também é uma boa estratégia no Brasil. O Panoramio é um site de imagens que está relacionado ao Google Maps.

Mihm e Rand respondem perguntas

No fim, os palestrantes ainda abriram para perguntas dos participantes. A pergunta mais relevante, foi do nosso colega de trabalho Heron:

“O Google irá desvalorizar os pesos de reviews, likes e twittadas? Isso porque o Google sempre tende a desvalorizar métricas facilmente manipuláveis e hoje em dia é possivel comprar likes, twittadas e reviews falsos de redes gigantes.”

A resposta foi:

O Google ainda é muito fraco para identificar esses tipos de comentários, mas é bem provável que os próprios donos do Yelp (e outros sites semelhantes) estão procurando maneiras de melhorar seus próprios algoritmos. E assim o Google provavelmente ja irá se engajar ainda mais, a medida que essas métricas vão se tornando importantes.

As duas apresentações foram muito interessantes, porém a de Local Search foi apenas uma introdução para o que seria dito no segundo dia de palestras de ExpOn.

No mais, todos gostaram muito e até se assustaram com alguns fatores citados pelo Rand Fishkin.

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>