Ex-funcionários do Google criam novo buscador, o Cuil

Ex-funcionários do Google começaram a oferecer a partir desta semana um novo serviço de buscas na internet: o Cuil (http://www.cuil.com) que se pronuncia “cool”. Idealizado por Anna Patterson, ex-arquiteta de buscas do Google, Tom Costello, que criou uma ferramenta de análise de buscas da IBM, e mais dois ex-engenheiros do Google, Russel Power e Louis Monier.

Anna Patterson, que programou o novo buscador já teve suas tecnologias incorporadas aos buscadores do Google, e agora fora do Google promete superá-lo com o Cuil em números de resultados e na forma de exibi-los. O novo rival do Google afirma que os resultados de busca são baseados na análise de contexto de cada página e não somente em links e tráfegos de audiência.

“Nossos significativos avanços em tecnologia de busca permitiram que indexássemos parte muito maior da Internet, colocando quase toda a Web ao alcance de todos os usuários”, afirma Tom Costello.

Através desse novo conceito de busca o Cuil promete explorar uma das queixas feitas pelos usuários do Google em mostrar os resultados mais populares e não os de melhor qualidade. A princípio o Cuil pode ser usado como um medidor de SEO do seu site.

Até agora o Cuil tem 120 bilhões de páginas indexadas, grande maioria em inglês e conteúdos em outras línguas ainda estão aparecendo no fim das buscas.

Visualmente é muito diferente do seu rival, além do fundo preto na tela inicial,os resultados são mostrados de forma inovadora através de colunas com destaque a uma imagem relacionada ao site.

Notamos que após uma serie de buscas os resultados variaram nos levando a supor o Cuil tem um algoritmo inteligente que vai aprendendo conforme o usuário se comporta após as buscas.

Impressões dos profissionais da Agência Mestre :

“Parece um buscador de 1998 que baseia-se em fatores On-Page, mas olhando melhor ele está se adaptando aos cliques dos usuários(I.A. ?)” – Fábio Ricotta

“Achei o fundo preto meio pesado, o sistema de colunas confunde um pouco o usuário não deixando claro qual dos sites é o mais relevante.” – Luis Matos

“Tem uma forma diferente de destacar o conteúdo mais relevante que não fica muito clara para algumas buscas.” – Flávio Cabral

“Esse sistema, apesar de ser novo, é inovador e tem potencial, pois consegue dividir as buscas por categorias e também dá sugestões de busca.” – Marcel Grilo

“Pergunto-me qual é o resultado mais relevante. Do meio ou da esquerda?
Imagens muitas vezes não relevantes.” – Heron Inouye

“A apresentação dos resultados, a caixa de sugestões e o visual geral me agradaram bastante. O resultado das buscas às vezes deixa a desejar” – Frank Marcel

“Achei interessante a divisão dos resultados em categorias, mas fiquei perdida nos resultados de busca. Dividido em colunas ficou bagunçado.” – Nathalia Candido

“Ele é visualmente feio, muito confuso e os resultados das buscas são extremamente duvidosos. De bom e inovador apenas ‘explorer by cetegory’” – Leandro Riolino

“Fiquei em dúvida na ordenação dos sites, se são lidos na vertical ou horizontal. Parece favorecer monitores widescreen.” – Bruno Gailleu

“Seu visual diferente e o formato de colunas, confuso e “mal organizado”, esconderá um super algoritimo de busca? Com um time de PHD’s como esse não podemos duvidar.” – Bruno Nassar

Comente e deixe sua opnião sobre o Cuil. Abraços.

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

13 Comentários para “Ex-funcionários do Google criam novo buscador, o Cuil”

  1. Luan Almeida

    A ideia é boa, mas não consegui encontrar resultados relevantes, os links do resultado tem uma relevância satisfatória, nem se quer faz busca por uma expressão completa, por exemplo meu nome e sobrenome entre aspas (“Luan Almeida”)… acho que o Cuil tem evoluir MUITO para chegar perto do google…

    Responder
  2. Heron Inouye

    ola Luan.

    Também concordo. Creio que a qualidade das buscas ainda está aquém até mesmo do yahoo.
    Fora que muitos sites de conteúdo não correlatos são exibidos.

    Grande abraço

    Responder
  3. Lemp

    Isso de não aparecer no próprio buscador é o jeito mais fácil de não aparecer os links das proprias buscas nele..

    Imagina só..

    vc procura Animation no Cuil

    e em primeiro o resultado é

    Busca para Animation 3D – com link do Cuil…

    mas é claro…pelo menos a página principal ne

    Responder
  4. Roger Peckerman

    Testei agora.

    Um buscador que não tráz o que quero e monta os resultados sem classificação realmente é diferente… funcionar diferente não basta, tem que trazer resultados.

    Responder
  5. Carlos Henrique Müller

    Apesar de sempre achar o Google pobre visualmente, a forma como são apresentados os resultados ainda é melhor e mais organizada.

    No Cuil parece que os caras sentaram na reunião e falaram: “E ai galera, como podemos fazer um buscador que não se pareça com o Google nem com o Yahoo?

    Dai alguém falou: Já sei! Vamos dividir em colunas!

    Fora esse fator estético, não vejo qual a necessidade de dividir os resultados em colunas. Como já foi dito nos outros comentários, as colunas confundem o usuário e não deixam claro qual é o site mais relevante.

    De legal mesmo, só achei o “explore by category”, que lista buscas relacionadas ao assunto procurado.

    Ainda tem que comer muito arroz com feijão pra chegar perto do Google….

    Responder
  6. Walmar Andrade

    Eu achei fraco… eles falam em quantidade de páginas, mas o usuário está mais preocupado com relevância do que em bilhões de resultados sobre um assunto. Muito longe ainda de ameaçar o Google. Ou mesmo o Yahoo.

    Responder
  7. Adriano Cabral

    Noooooooooossa, fraquíssimo não chega nem perto do google.

    tentei fazer uma pesquisa só pra testar, digitei “POR QUE FOI CONSTRUIDA A MURALHA DA CHINA” a resposta foi a seguinte;
    We didn’t find any results for “POR QUE FOI CONSTRUIDA A MURALHA DA CHINA”
    Enquanto no google apareceram centenas de opções ligadas diretamente a pergunta.

    sem chance, o google é muito melhor.

    Responder
  8. Makoto

    “Nossos significativos avanços em tecnologia de busca permitiram que indexássemos parte muito maior da Internet, colocando quase toda a Web ao alcance de todos os usuários”.
    Tá certo que quantidade é crucial, mas as informações (dados selecionados de forma inteligente) obtidas na serp são essenciais.

    Creio que essa confusão que algumas pessoas estão fazendo quanto a ordem de relevância dos resultados obtidos não seria um problema. Sempre que leio algo, seja uma revista ou um outdoor, começo a ler de cima para baixo, da esquerda para a direita, como é o hábito da maioria das pessoas.

    Também notei que:

    – a SERP tem uma área útil maior que o da forma tradicional (google, yahoo, etc), utiliza todo o espaço disponível no monitor, não deixando o espaço em branco do lado direito;
    – a descrição tem um limite duas vezes maior que a de seus concorrentes (google, yahoo, etc);
    – resultados com imagens otimizam e tornam a leitura mais agradável (esfriar a mensagem);

    “(…) tentei fazer uma pesquisa só pra testar, digitei “POR QUE FOI CONSTRUIDA A MURALHA DA CHINA” a resposta foi a seguinte;
    We didn’t find any results for “POR QUE FOI CONSTRUIDA A MURALHA DA CHINA”
    Enquanto no google apareceram centenas de opções ligadas diretamente a pergunta.(..)”

    Talvez isso ocorra porque, até o momento, somente páginas em inglês foram indexadas.

    Enfim, achei interessante mas nada surpreendente.

    Surpreendente seria uma busca semântica de verdade, não se baseando somente em palavras-chave.

    A Powerset (www.powerset.com), que foi recentemente comprada pela Mirosoft, faz a pesquisa através da busca semântica, não é aquela coisa, mas dá pra notar a diferença.
    Pesquise ” who was the first president of united states? ” ou ” ” who was the first man to walk on the moon? ” no google e depois na powerset e veja.

    Responder
  9. agnaldo rocha

    Sem duvida alguma um dos melhores portais de busca comtinua sendo o google,o culi tem um vsual interessante,mas seu conteudo é fraco,tbm não achei necessário dividir o buscador em colunas,complicou o que era simples.
    Até o presente momento o maior numero de paginas é ingles.
    Forte abraço

    Responder
  10. josué

    Gostei, mais ainda falta alguma coisa nele, o bom é que é rapido para carregar tanto a pagina inicial como na pesquisa. Mas de ralar muito para chegar os pés do google, pelo menos é melhor do que o bing, Tem futuro mas vai demoraaaaaaaaaaaaaaaaar pra chegaaaaaaaaaaaaaaaaaa.

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>