Entrevista com Martha Gabriel

Olá leitores da Agência Mestre,

Hoje eu tenho o imenso prazer de trazer, pela primeira vez, uma das maiores profissionais de marketing do Brasil para contar um pouco de sua jornada, ideias, inspirações e conceitos. A Martha Gabriel é a nossa convidada e de antemão, eu gostaria de agradecê-la pela oportunidade da entrevista e mais, pela oportunidade de escrever o prefácio da 2ª edição do seu livro que fala sobre Search. Sem dar mais pistas sobre o que vem pela frente, vamos lá, com vocês, Martha Gabriel:

Entrevista com Martha Gabriel

Martha Gabriel, seja bem-vinda ao nosso blog! Você poderia contar para os nossos leitores quem é a Martha?

É um grande prazer participar do blog do Agência Mestre. Sou fã do trabalho de vocês!

Para me apresentar para os leitores, acho que o que melhor me define é o fato de eu ser uma pessoa que vive intensamente, apaixonada pela vida e que acredita que a educação é a arma mais poderosa para transformar o mundo. A educação e conhecimento norteiam a minha vida desde que me lembro por gente :-)

Em termos mais técnicos, sou engenheira civil (UNICAMP), pós graduada em Marketing (ESPM), pós graduada em Design Gráfico (Belas Artes de SP), mestre e doutoranda em Artes (ECA/USP), autora de 4 livros, incluindo o best seller “Marketing na Era Digital” e o “SEM e SEO: Dominando o Marketing de Busca”, em cuja 2a edição recém lançada tive o prazer de ter o prefácio escrito por você (obrigada novamente!). Ministro palestras no Brasil e no exterior como keynote speaker, completando esse ano 50 palestras apresentadas entre USA, Europa e Ásia. Sou também artista — meus trabalhos são apresentados em diversos países — Espanha, Irlanda, USA (New York), Macedônia, China, Japão, Singapura, e também no Brasil.

Você está lançando a 2ª edição do seu livro, o “SEM e SEO: Dominando o Marketing de Busca”. Qual a principal mensagem que o seu novo livro está trazendo ao público?

Livro da Martha Gabriel - “SEM e SEO: Dominando o Marketing de Busca”

Acredito que desde a primeira edição do livro a mensagem principal é mostrar a importância da busca no cenário digital e como desenvolver estratégias de marketing de busca. Nessa 2a edição, mantive a estrutura principal do livro, focada na metodologia de desenvolvimento de um plano de marketing de busca, mas atualizei todos os capítulos com as transformações que a busca sofreu nos últimos 3 anos, desde o lançamento da 1a edição em 2009. Aproveitei para também ampliar o conteúdo do livro com mais informações e links complementares que podem ser acessados por QRcodes.

Eu tive a oportunidade de ler o seu novo livro em primeira mão e achei a sua conexão entre o marketing tradicional com o marketing online fabulosa. Você poderia trazer um pouco da sua visão para os nossos leitores?

Sim, com prazer! Ao meu ver, o marketing é um só e as plataformas tradicionais e digitais se complementam o tempo todo para formar os melhor mix de comunicação. O digital sem o OFFline é manco, e o OFFline sem o digital é limitado. Além disso, acredito que para atuar com marketing nas plataformas online ou digitais, antes de tudo é preciso conhecer marketing, ou seja, compreender as dinâmicas de mercado e as disciplinas tradicionais que o regem – estratégia, planejamento, pesquisa de mercado, marketing de relacionamento, branding, entre muitas outras. A compreensão das disciplinas de marketing aliada ao conhecimento das plataformas estratégicas — sejam elas tradicionais (jornal, radio, TV, revistas, etc.) ou digitais (busca, mídias sociais, mobile, etc.) – leva à otimização dos resultados focados nos públicos-alvo.

Martha, como você vê o ambiente de Social Media integrando cada vez mais com a área de Search? Você, como grande profissional e visionária, concorda que o Google (e outros mecanismos de busca) devam extrair mais informações das pessoas para influenciar a ordem dos resultados de busca?

Temos testemunhado uma crescente interdependência da busca e das mídias sociais nos últimos anos – cada vez mais uma alimenta e depende da outra. Dessa forma, as estratégias de busca dependem cada vez mais de estratégias em mídias sociais (SMM) para conseguir relevância e personalização de resultados. Por outro lado, todos os objetos sociais (perfis, posts, textos, videos, localização, etc.) precisam cada vez mais de serem encontrados nas redes e no ambiente digital, dependendo, assim, cada vez mais de estratégias de busca – tanto paga, quanto orgânica.

Apesar de concordar que a extração de informações das pessoas e suas redes sociais pode favorecer a obtenção de relevância dos resultados de busca, por outro lado acredito que esse processo deveria ser muito mais discutido pela sociedade pois existem implicações de privacidade que talvez não fiquem muito claras inicialmente. Por exemplo, hoje, quando faço uma busca por “terrorismo” ou “aborto” ou “pena de morte” no Google, verei os perfis dos “meus amigos” que também fizeram busca por esses termo e eles eventualmente poderão influenciar os resultados que aparecem para mim. Nesse momento, podemos nos perguntar se saber quem já buscou por esses termos polêmicos não poderia levar a julgamentos ou interpretações inadequadas dessas pessoas. Na minha opinião, isso é uma exposição de privacidade dessas pessoas, que no modelo atual da busca no Google fica difícil de controlar. Os meus questionamentos não são apenas com o Google mas com o processo de nos “cloudificarmos” sem questionarmos quais as consequências, boas ou ruins, que podem resultar desse processo.

Qual a sua recomendação para quem está focado em marketing tradicional e deseja explorar mais a área de marketing online? Qual a principal dica que você daria para este tipo de profissional?

Para quem já tem os conhecimentos de marketing tradicional, aconselho fazer cursos que ampliem a sua formação para incluir as plataformas digitais e as novas habilidades necessárias no novo cenário, como integrar os ambientes ON e OFF, mensuração, etc.

Para quem ainda não conhece marketing e quer atuar com marketing nas plataformas digitais, aconselho que faça um curso de marketing primeiro ou um curso de marketing que já englobe o digital. Mas é essencial que as disciplinas tradicionais de marketing estejam presentes no programa – como já mencionei, para fazer marketing no ambiente digital é preciso conhecer tanto o marketing quanto as plataformas digitais.

Em termos de cursos na área de marketing (e marketing online), quais as pós graduações e cursos de especialização você indica?

Eu sou suspeita para responder essa pergunta pois criei junto com Philip Kotler e sou coordenadora do MBA em Marketing da HSM Educação. Assim, esse é o curso que indico para especialização na área de marketing — como acredito que existe apenas um marketing, que engloba o ambiente digital, esse curso foi criado com esse conceito em mente.

Para quem já tem conhecimentos em marketing e gostaria de complementar a formação se especializando nas plataformas digitais, existem inúmeros cursos de curta duração com foco específico em cada disciplina digital – busca, mídias sociais, mobile, mensuração e métricas, etc. — como os que vocês ministram na Agência Mestre, por exemplo, que são excelentes. As opções no mercado nacional são inúmeras, tanto em termos de tempo de duração quanto em investimento. A coisa mais importante na hora de escolher esses cursos mais curtos é avaliar a qualidade e experiência do(s) profissional(is) que os ministra(m) e a credibilidade da instituição que os oferece.

Eu tive a oportunidade de aprender com você em suas palestras o conceito de transmídia. Você poderia comentar com os nossos leitores um pouco deste conceito e sua visão de como o marketing “offline” pode/está influenciando as pesquisas no online?

Transmídia é o processo de se transmitir uma mensagem ou contar uma estória que transcenda uma única mídia de forma que cada mídia ou dispositivo diferente usado para transmitir a mensagem/estória contribua com suas forças e potencialidades. Ou seja, em um processo transmídia, várias mídias contribuem para construir uma mensagem/estória maior, que é composta por todas. Quando o que se transmite é uma estória, o processo é chamado de transmedia storytelling.

Apesar do conceito e processo de transmedia storytelling não serem novos, no cenário atual a transmídia passa a ser uma das melhores soluções para se desenvolver estratégias de marketing 360. Hoje, a comunicação de marketing é caracterizada por: a) proliferação de mídias que torna o ambiente altamente fragmentado; b) processo informacional cada vez mais rápido e eficiente para a criação e propagação de conteúdos; c) economia da atenção: as pessoas só prestam atenção no que é relevante para elas em meio a um tsunami de informações. Esses fatores são extremamente propícios para o desenvolvimento de estratégias trasmídia.

Quanto à influência do marketing offline no online, acredito que o processo seja mútuo – um alimenta, influencia e afeta o outro. Por exemplo, a televisão muitas vezes pauta os assuntos no Twitter e, ao mesmo tempo, as mídias sociais têm influenciado na programação da televisão. A navegação em segunda tela, ou cross-screen, é um processo cada vez mais comum – as pessoas assistem TV enquanto navegam em seus dispositivos móveis (tablets ou smartphones) e o que acontece na TV alimenta as suas redes sociais. Por outro lado, como essa tendência é cada vez mais forte, muitas ações de televisão ao vivo têm sido planejadas para a participação da segunda tela, como aconteceu no Super Bowl nesse ano (veja, por exemplo, este artigo). ON e OFF estão cada vez mais ONE.

Temos tantos conceitos e práticas no marketing online hoje, com muitos profissionais atuando em diversas funções. Pra você, Martha, para onde vamos nessa área? Quais são suas impressões para o marketing digital para um futuro próximo?

Acredito que o que está acontencendo hoje com o marketing no ambiente digital é o mesmo processo que aconteceu no começo da internet. Naquela época, 1995, existia a figura do “webmaster”, que era uma pessoa única que deveria fazer tudo em um website – design, programação, conteúdo, configuração de server, relacionamento com os públicos, etc, etc, etc. Com o amadurecimento da internet, várias áreas profissionais foram se desenvolvendo em torno do desenvolvimento de sites – hoje um site profissional conta com designers, arquitetos da informação, especialistas em métricas, programadores, conteudistas, jornalistas, profissionais de relacionamento, e assim por diante. A multidisciplinaridade integrando diversos tipos de profissionais foi o caminho natural.

Hoje, o mesmo processo se repete com o marketing no ambiente digital — ele está amadurecendo para se tornar cada vez mais multidisciplinar e colaborativo. A integração das inúmeras plataformas digitais com as plataformas tradicionais alinhadas por uma estratégia de marketing é muito mais complexa do que o desenvolvimento de um website. Assim, acredito que cada vez mais teremos uma configuração de equipes de marketing como uma orquestra — um “maestro”(CNO – Chief of Network Officer) e os diversos músicos que entendam e toquem muito bem os seus instrumentos, de forma que o resultado final seja uma música com total harmonia que encante e cative o público.

Tenho acompanhado as suas viagens ao redor do mundo para divulgar mais o seu conhecimento. Saindo um pouco do marketing, mas indo um pouco para o lado pessoal: quais os 3 lugares do mundo que mais lhe impressionaram? Quais paisagens?

Realmente eu viajo muito a trabalho, mas sempre viajei muito também por prazer. Na minha opinião, as viagens são momentos que intensificam a nossa existência — ampliam os nossos valores e nos tornam mais humildes. Sempre que abandonamos o familiar em direção ao desconhecido, nos transformamos em crianças novamente, seres que precisam dos outros para poder atuar no mundo. Quando estou em um país cuja lingua não domino, passo a depender dos outros o tempo todo para poder me alimentar, passear, etc. Quando nos deparamos com realidades e valores muito diferentes dos nossos, ampliamos nossos pontos de vista e abraçamos novas perspectivas. Assim, as viagens que mais gosto são as que me levam para lugares bastante diferentes do meu mundo.

Eu gosto muito da Europa, principalmente da Itália, mas as 3 viagens que mais me encantaram até o momento foram na África e Ásia – Tunísia, Turquia (Euro-Ásia) e Sri Lanka. A Tunísia concentra uma história densa e interessantíssima dentro de uma área do tamanho do estado de São Paulo – como a Tunísia fica no extremo norte da África, a 50 km apenas da Sicília (Itália, Europa), por lá passaram quase todas das mais importantes civilizações conhecidas, reunindo um dossiê histórico e geográfico fantástico – ruínas de Cartago, a ilha de Djerba, o deserto do Saara, os bérberes, medinas, coliseu romano. A Turquia é um país riquíssimo em história e tem raízes relacionadas com quase todas as civilizações na antiguidade. Além disso, a paisagem é belíssima, principalmente na Capadócia — surreal. O Sri Lanka é particularmente interessante pela coexistência de hinduísmo e budismo e pelos sitios antigos preservados como a citadela de Sigiriya e os templos e estátuas gigantes budistas… é uma viagem no tempo, parece que estamos dentro de um filme.

Por fim, você gostaria de deixar uma mensagem final para os nossos leitores?

Quem me conhece, sabe que adoro frases! Assim, fica aqui como reflexão, uma das minhas favoritas:

“Que os nossos esforços desafiem as impossibilidades. Lembrai-vos que as grandes proezas da história foram conquistas daquilo que parecia impossivel.” — Charles Chaplin

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

12 Comentários para “Entrevista com Martha Gabriel”

  1. Camila

    Parabéns pela entrevista Ricotta. Perguntas extremamente interessantes e respostas fabulosas da Martha. Tenho a primeira edição do livro, em breve terei a segunda que acredito estar fantástica. Parabéns a ambos. Aprendo todos os dias com vocês.

    Abraços

    Responder
  2. Natanael Oliveira

    A Martha dispensa comentários, admiro sua humildade e simplicidade em ensinar o que sabe. Ao ler o livro tenho essa mesmo sentimento, de pensar cada vez mais na integração ON/OFF, e conseguir deixar claro que não são dois mundos diferentes, mas, partes integrantes do mesmo espaço.

    Responder
  3. Patricia Canarim

    Parabéns pela entrevista Fábio Ricotta e Martha Gabriel! Excelente material para compartilhar com meus alunos sobre marketing digital. Eu li os livros da Martha e são referências para meu trabalho de gestão de conteúdo. O mercado digital vai crescer e ganhar espaço e valor quando todos entenderem a importância de um site ter profissionais cuidando de cada área e com a integração para terem sempre o mesmo objetivo: presença digital.

    Responder
  4. Rogério Moraes

    Ótima entrevista Fabio, realmente a Martha dispensa comentários, ela conhece mto. Mas seria bom se vc e Ique Muniz fizesse um mestrecast com ela. Mas uma vez parabéns pela entrevista.

    Responder
  5. Adelson (Gerenciando Blog)

    Olá, Fábio!

    Realmente, a entrevista com a Martha Gabriel ficou ótima!

    Sou grande fã do trabalho dela. Tive a grata oportunidade de conhecê-la no final de 2009, em um “Show Day” sobre Estratégias Digitais. Comentei com ela que me sentia um “peixe fora d’água” naquela ocasião, pois sempre atuei na área de TI e estava no início de meus blogs. Sua recepção não poderia ser melhor!

    Ela é uma referência nacional quando o assunto é SEO, por isso é uma satisfação vê-la aqui no Agência Mestre. Pessoalmente, ela passa a mesma empolgação e paixão que deixa perceber nesta entrevistas.

    A primeira edição de seu livro já era excelente. A nova edição será leitura obrigatória para todos os envolvidos com os temas SEO e SEM.

    Parabéns a você e à Martha pelo ótimo resultado!

    Um abraço!

    Responder
  6. Richard Jesus

    Muito boa a entrevista da Martha, enriquece bastante o blog!

    Tenta só da próxima vez se possível jogar um conteúdo de vídeo, som ou até pelo menos mais fotos, talvez enriqueceria ainda mais.

    Parabéns Ricottinha, mandou bem!

    Responder
  7. Denis Rosa

    A Martha sem dúvida é uma ótima profissional além de ter um ótimo background acadêmico, mas eu tenho algumas consideracoes a fazer sobre o novo livro dela que acabei de ler e ainda está fresco na memória.
    1) O livro é um overview sobre marketing digital, ou seja, acho que valeria a pena remover o “SEO” do título do livro para não levantar falsas expectativas.
    2) Existem algumas afirmacões erroneas graves ou que geram uma interpretacão errada.
    3) Como o livro fala sobre muita coisa, alguns aprofundamentos são um pouco desnecessários.
    4) O livro é recomendado apenas se você está entrando na área agora, no geral se você já entende como funciona cada vertenta da área de SEM (SEO, Adwords, Social media e Link Building) o livro provavelmente tem pouco a agregar.
    5) O capítulo de Tools realmente é muito bom!

    Responder
  8. Valdir

    Show de bola a entrevista!!! mais um conteúdo dos mais edificantes que encontramos aqui no mestreseo… parabéns!

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>