Cobertura SMX East 2009 – Dia 1

Olá leitores da Agência Mestre!

Estou direto de NYC, a cidade que nunca pára, para cobrir um dos maiores eventos de Search Engine Marketing do mundo, o SMX East 2009. Neste primeiro dia teremos diversas palestras sobre SEO, as quais estarei presenciando e ao longo do dia estarei inserindo as informações discutidas diretamente aqui neste artigo.

Espero que gostem da cobertura e revisem esta página a cada hora pois muito acontece no evento!

Revisiting PageRank Sculpting & Siloing

Eric Enge
President, Stone Temple Consulting
Matt Cutts estava certo sobre PR Sculpting não funcionar pois ele fez alguns testes que provavam que o nofollow não funcionava mesmo.

Leslie Rhode
Founder and CEO, LeftSideSystems, LLC
Mostrou alguns testes mas acaba por não ser muito confiável pois a mudança de tráfego era muito relacionada com o período de tempo. A pergunta que ele levantou foi: Sculpting é bom ou mau? Depende. Mas para nós é sempre mau pois estamos tentando manipular os rankings.

Brent Payne
Director of Search Engine Optimization, Tribune Company
Mostrou alguns testes no ChicagoTribune.com, onde ele dividiu a idéia de nofollow em níveis, desta forma caso a notícia fosse muito importante, eles focavam mais o nofollow. Na nova versão, a idéia não é investir em nofollow, mas sim na remoção de módulos da página (conteúdo), diminuindo a quantidade de links presentes nela.

Adam Audette
President, AudetteMedia, Inc
Ele começou contestando se o Nofollow sempre funcionou, pois nunca foi padronizado por todos os search engines. Ele apontou que o Google sempre foca os seus usuários e isto nunca muda. Ele mostra que ao invés de focar sculpting você deve trabalhar melhor a sua arquitetura interna e o seu conteúdo, inserindo apenas os links necessários. Ele recomenda muito focar nos usuários e não nos search engines.

Rand Fishkin
CEO & Co-Founder, SEOmoz
Muito do SEO é para engines e não para usuários (XML Sitemaps, Title Tags, Meta tags…). Ele mostra a idéia de que PR Sculpting é focado nos níveis de indexação de uma página. Ele afirma que o Google realiza a indexação baseada no número de páginas baseando-se no PageRank do site, onde quanto maior o seu PR, mais páginas indexadas você terá. Ele disse que a remoção completa do nofollow de seus links pode gerar um fator negativo na sua indexação e tráfego de search engines. Segundo ele, apenas 3% dos links que eles possuem indexados na Linkscape contém nofollow.

Shari Thurow
Founder and SEO Director, Omni Marketing Interactive
Ela afirma que o nofollow é um band-aid para uma arquitetura pobre. Ela discorda do Rand, dizendo que SEO não é um trabalho para search engines, mas sim para pessoas que usam search engines. Ela mostrou alguns casos onde todas as empresas chegavam com a idéia de nofollow para ela e a sugestão é sempre trabalhar com uma melhor arquitetura e isto resolvia os problemas.

Duplicate Content Issues: The Search Engine Edition

Sasi Parthasarathy
Program Manager, Bing, Microsoft
Ele começou falando sobre canonização, que é a pratica de consolidar todas as versões de uma página em uma única URL. Sempre utilize a mesma forma de linkar para uma página(a canonizada), isto ajuda na indexação do seu website. Ele ainda afirmou que o uso da Canonical Tag aumento muito nos últimos 6 meses e que alguns problemas na implantação ainda existem, onde:

  • 30% dos casos apontam para a mesma página
  • 9% é usada para apontar sites em outros domínios

Ele afirma que o Bing utiliza a Canonical Tag como uma “dica” e não como diretiva. Ele ainda deixou a dica de não utilizar diversos parâmetros para uma URL que muda pouco o seu conteúdo.

Joachim Kupke
Senior Software Engineer, Indexing Team, Google Inc.
Ele começa a sua palestra tirando o mito de que conteúdo duplicado produz uma penalidade e ainda afirma que o Google possui uma boa infraestrutura para eliminar o conteúdo duplicado (redirects, recurring URL patterns, etc.) e se tudo falhar eles utilizam a Canonical Tag. Ele afirma que a Canonical Tag é uma faca de dois gumes, que pode funcionar ou prejudicar o seu website. Duas dicas importantes:

  • Utilizar a Canonical Tag para páginas com tradução automática
  • Um diretório como example.com/dir não deve ser canonizado para a URL example.com/dir/ Sempre escolha trabalhar com /dir/ se for possível
  • O Sitemap.XML é uma importante informação sobre a sua preferência de URLs

NOVIDADE: Na discussão final, o Google afirmou que eles estão finalizando alguns ajustes e vão adotar a Canonical Tag entre domínios, desta forma, um conteúdo que seja de uma determinada fonte não será duplicado por um parceiro, o qual pode inserir a Canonical Tag para o conteúdo original.

Cris Pierry
Senior Director, Search, Yahoo
Ele disse que tudo o que foi falado pelo Bing e Google pode ser aplicado ao Yahoo! e que é melhor falar de boas práticas para os search engines. Ele afirma que é importante utilizar o Sitemap.XML e o Robots.txt para organizar e limitar o seu conteúdo para os search engines, tornando o processo de indexação mais fácil. Ele mostra como o Yahoo Siteexplorer pode ser utilizado para beneficiar o seu website, onde você pode submeter o seu Sitemap.XML, Feed, pode remover uma URL indesejada e denunciar spam. Em seguida ele falou um pouco sobre Microformats onde o Yahoo! possui um grande suporte a páginas semânticas, onde em alguns casos as URLs com resultados ricos recebem uma quantidade de cliques maior do que as URLs comuns.

Actionable SEO Insights From Analytics Data

Jon Maxson
Manager, Natural Search Optimization, iCrossing
Ele levantou a questão principal que se pergunta sobre conversão em SEO: quem está levando os créditos, o trabalho de SEO ou alguém que abre diretamente o seu website? Ele listou algumas métricas/fatores importantes para o processo de SEO e conversão. Ele afirmou que para as palavras-chave que você esta focando, faça o tracking de visitas, açoes, e visibilidade nos SERPs (posicionamento). Ele mostrou em seguida as diferentes funções que a ferramenta da iCrossing possui. Ele ressaltou que é importante analisar os concorrentes e monitorá-los ao longo do tempo para saber o que eles fazem para obter sucesso.

Taylor Pratt
Senior Search Specialist, nFusion
Ele começou a sua palestra dando algumas dicas de como expandir a sua lista de palavras-chave através de observação do que os seus usuários buscam no seu website, através de long tail keywords, testes em PPC e análise em sites que enviam tráfego para você. Ele ressaltou que é importante utilizar a ferramenta do Google Adwords (External Tool).

Em seguida ele entrou em mais detalhes em como expandir o seu conteúdo. Ele ressaltou a importância de possuir conteúdo específico para as palavras-chave que mais convertem no seu website. Também falou sobre a importância de saber quais são os seus artigos do blog que mais recebem tráfego e qual conteúdo do seu website converte mais. Com base nisto é possível saber se você pode expandir ou não o conteúdo.

Com relação à performance das palavras-chave, ele falou um pouco mais sobre a importância de saber quais search engines convertem melhor do que os outros. Sobre a performance de conteúdo é importante saber se você está focando as palavras-chave corretas nas páginas corretas. Um ponto importante que ele falou foi a importância de saber quais são os seus principais links de saída, assim como quais as suas páginas que produzem maior saída de visitantes. Identifique-as e trabalhe melhor nelas.

Ele ainda mostrou algumas dicas sobre Analytics:

  • Observe tendências no seu website ao longo do tempo
  • Faça uma hipótese e teste-a
  • Faça comparações, não use apenas números “espalhados”
  • Não se importe com os browsers dos usuários

Mike Tekula
President, Unstuck Digital
Ele começou a palestra falando que você deve focar conversões e não visitas, não é a quantidade de pessoas, mas sim o volume de compras que importa. Uma boa métrica é a utilização de Bounce Rate com Pages-per-Visit, desta forma você pode medir melhor qual palavra-chave possui mair aceitação/conexão. Uma outra boa métrica é a utilização de Ranking, Tráfego e Pages-per-visit, desta forma você consegue observar melhor palavras-chave com potencial e provavelmente estão na segunda página.

Uma dica que ele deu é observar melhor a quantidade de visitas por página, pois você pode estar recebendo mais tráfego mas os seus usuários podem estar gostando mais delas, permanecendo no website.

Outra dica que ele mostrou foi a importância de segmentar os usuários, analisando bem as páginas que convertem mais para cada tipo de usuário.

Increasing Conversions Through Better Usability

James Fenelon
Interactive Product Director, nFusion
Ele iniciou o painel falando que testes de usabilidade provém informações sobre quão fácil e últi é algo para o usuário. Ele ressaltou que a primeira impressão do usuário é dada em 1/20 de segundo. Um fato importante foi a definição de que a usabilidade é o modo de ajudar o usuário a alcançar o objetivo dele. O ponto importante da usabilidade é sempre analisar o que usuário quer e o que você pode fazer por ele. Ele mostrou algumas técnicas para avaliar Usabilidade no seu website. É muito importante iniciar testes de usabilidade logo no inicio do projeto e sempre refazê-los ao longo do tempo.

Alissa Ruehl
Manager of Website Effectiveness Consulting, Apogee Search
A primeira pergunta foi: “Como eu aumento a minha taxa de conversão?”. A Alissa disse que depende, pois cada website funciona de uma determinada maneira. No passo 1, determine os seus objetivos(geração de leads, vendas, ligações, cadastro em newsletter, etc), caso contrário você não poderá não poderá otimizá-los. Em seguida, otimize cada um dos seus objetivos.

No passo 2, veja o que os seus usuários estão fazendo. Por exemplo, em eCommerce, faça um teste de compra e em seguida entre nas suas páginas, navegue o site mesmo. Descubra onde os seus usuários estão abandonando as compras através de suas ferramentas de Analytics e foque no problema principal.

Com base nisto, você pode ver qual a dificuldade do usuário e aumentar a sua conversão.

Kimberly Krause Berg
Usability and SEO Consultant, UsabilityEffect.com/Cre8pc.com
Ela iniciou com a frase: é dificil converter tráfego em vendas quando você não sabe o que o seu website está suposto a fazer e quem irá utilizá-lo. Para isto, crie um documento de requisitos com todas as informações necessárias para entender todo o negócio.

Scott Brinker
President & CTO, ion interactive, inc.
É muito importante dar aos usuários o que eles querem, no ponto que eles falem “Isto era exatamente o que eu queria”. Ele afirma que o Google está deixando as pessoas mais impacientes, pois eles querem exatamente o que procuram. Ele mostrou diversas landing pages e o modo com que os usuários recebem a informação da página. Ele afirmou que é muito bom fazer testes controlados para descobrir o que as pessoas realmente querem. Uma dica que ele deu foi a segmentação dos seus usuários na sua landing page, desta forma você consegue saber o tipo de usuário que a visita e conseguirá um aumento de conversão.

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

2 Comentários para “Cobertura SMX East 2009 – Dia 1”

  1. Alan David

    Fabio, vc conhece algum post que fale sobre “PR Sculpting”? coloca seu link do twitter no post para o pessoal te seguir..

  2. Domicio Neto

    Ricotta,

    Parabéns pelo artigo.
    Muito bom ver que o artigo chegou ao final e quando aperto F5 lá vem mais conteúdo.