Tática de Flood em Links Patrocinados

Google Adwords

Com a concorrência cada vez mais acirrada e o crescente aumento do número de anunciantes em Links Patrocinados, a nossa equipe vem testando algumas técnicas que demonstraram aumentar a efetividade nos anúncios de Links Patrocinados.

O que é?

Flood (termo em inglês que significa inundação) de Links Patrocinados é uma estratégia inovadora para garantir maior visibilidade na busca paga. A idéia é que seu anúncio apareça com maior freqüência para palavras que tem um índice de conversão maior; ou fazer com que seu anúncio apareça mais de uma vez para uma determinada keyword.

Quando utilizá-la?

  1. Quando seu budget for baixo e você já tiver explorado todas as palavras long tail para o seu negócio.
  2. Quando você já explorou todo o tráfego para uma determinada região e seu budget é alto, por isso, você quer aparecer mais de uma vez (ou com maior frequência) para uma determinada keyword.
  3. Você é líder de mercado é quer fazer serp domination nos links patrocinados.

Como fazer?

Para aplicar a técnica é necessário primeiro que você tenha uma base estatística mínima para conhecer quais são as palavras que te dão mais conversão.

Quando decidir que está na hora de começar, você vai precisar é de mais de um domínio de destino. Caso não tenha disponibilidade para ter mais de um site, você pode fazer um “clone” do seu site principal usando o atributo frame em html.

Dica: Se optar por fazer um clone, bloqueie no robots.txt a leitura por parte dos buscadores. Afinal esse “clone” não será usado para SEO e portanto não precisa ser indexado.

Para “clonar” seu site, use:

<!DOCTYPE HTML PUBLIC "-//W3C//DTD XHTML 1.0 Transitional//EN" "http://www.w3.org/TR/xhtml1/DTD/xhtml1-transitional.dtd">
<html xmlns="http://www.w3.org/1999/xhtml">
 
<head>
<style type="text/css">
 
*{margin:0}
 
</style>
<meta http-equiv="content-type" content="text/html; charset=UTF-8">
 
<meta name="robots" content="noindex,nofollow" />
 
<title>Coloque aqui seu título</title>
 
</head>
 
<frameset cols="100%">
 
<frame src="Coloque aqui a URL do seu site"/>
 
</frameset>
 
</html>

Para bloquear o robots.txt use:

User-agent: *
Disallow: /

Também é necessário que você tenha mais de uma conta no Adwords (ou similar) para você poder fazer novos anúncios, já que não é permitido você veicular mais de um anúncio com o mesmo domínio.

Feito isso você terá mais uma conta no Adwords com um domínio diferente podendo assim usar uma landing page diferente para seus anúncios.

Fazendo as contas….

  1. Caso seu budget seja baixo, cabe a você calcular quanto está pagando em cada keyword e dividir sua campanha em 3 Grupos.

    Grupo 1 – palavras que você paga pouco por conversão (geralmente as long tail)

    Grupo 2 – Palavras que você paga um valor justo por conversão

    Grupo 3 – Palavras que convertem, mas o custo da conversão é alto

    Repare que estamos apenas preocupados com o custo da conversão e não com o custo do clique. Às vezes o custo do clique é alto, mas tem uma boa conversão.

    Você deve agora montar novas campanhas com a sua nova conta no Adwords utilizando os grupos pré determinados; o grupo 1 da sua primeira conta que você previamente selecionou será usado aqui em conjunto com o grupo 2 (que deve ser testado), o Grupo 3 não será utilizado no Flood.
    Dica: Utilize a ferramenta Adwords Editor (ou similar em outros buscadores) para perder menos tempo na criação dessa nova conta.

    Após essa pequena mão de obra, você deve colocar as duas contas para funcionar em conjunto, e monitorar o seus novos custos de conversão para as mesmas keywords trabalhadas na primeira conta.

    Você irá notar que o custo da segunda conta é maior do que a primeira (talvez os dois custos subam), esse fato ocorre porque seu anúncio, vez ou outra aparece mais de uma vez, e caso o usuário clique no seu anúncio novamente, verá que caiu na mesma página.
    Agora cabe a você comparar o custo de conversão da primeira conta (Grupo 3), com o custo de conversão na sua nova conta (Grupo 1), você fatalmente notará que estará pagando menos por uma conversão. O Flood para o Grupo 2, pode ou não valer a pena dependendo do seu ramo de atuação e do seu budget.

    Se seu orçamento for baixo, você poderá excluir o Grupo 3 da sua primeira conta, ficando com um custo/benefício de conversão melhorado, aumentando seu ROI.

  2. Se seu budget for alto ou você já está no limite da exploração do tráfego para uma determinada região, caba realizar o mesmo procedimento apresentado anteriormente, sem a exclusão de nenhum Grupo na primeira conta, dessa forma, você aparecerá com maior freqüência ou por mais de uma vez para uma determinada keyword.
  3. Se você for líder de mercado e quiser aparecer sempre, a qualquer custo, cabe multiplicar o número de contas pelo número que você achar conveniente. Nesse caso você terá que tomar muito cuidado, pois competirá consigo mesmo pelo valor do clique e estará inflacionando o valor de uma determinada keyword no mercado. Os resultados podem ser muito positivos em termos institucionais e fortalecimento da marca (tanto na pesquisa do Google, como na rede de display).

Para seu anúncio ficar bem posicionado….

  • Utilize o texto usado no seu anúncio dentro do seu site, isso irá aumentar seu quality score, melhorando a taxa de cliques (CTR) e aumentando a probabilidade de você estar entre os primeiros
  • Faça landing pages exclusivas para cada anúncio
  • Procure utilizar o Título e Descrição igual ao da Keyword trabalhada (é interessante que se tenha vários grupos de anúncios), isso irá negritar seu anúncio chamando mais atenção ao usuário
  • Faça títulos atraentes para aguçar a curiosidade do usuário

Resultado:

Flood de Links Patrocinados

O exemplo acima mostra a aplicação da técnica de Flood onde a Real Imóveis ocupou as 3 posições para a palavra “imobiliarias em santos”, local onde a empresa é líder de mercado.


Você tem interesse em enviar um Guest Post na Agência Mestre? Entre em contato descrevendo a sua idéia ou já enviando o seu artigo no corpo do email.

Receba Novidades

Insira seu email para receber novidades e dicas exclusivas da Agência Mestre!
Divulgue este artigo

17 Comentários para “Tática de Flood em Links Patrocinados”

  1. Domicio Neto

    Olá Lourenço Junior,

    Muito interessante o seu post. Parabéns pela dica, mas até que ponto isso não seria anti-ético? Até que ponto o usuário pode perceber que a empresa fez isso e desmoraliza-la nas mídias sociais? Temos que tomar cuidado pois com branding não se brinca, visto que, não se constrói da noite para o dia, mas para ver todo o seu trabalho indo por agua abaixo, não é necessário muita coisa.

    Enfim, só estou levantando pontos para deixar o post ainda mais completo.

    Abraços,
    Domicio Neto

    Responder
  2. Gustavo

    Então, achei meio estranho isso também. É um “black hat” pra LP. Sei lá, não sei até que ponto vale a pena fazer isso.

    Se o publico já tende a clicar menos em Links Patrocinados do que nos organicos, com anúncios repetidos esse número tende a cair mais e mais.

    Acho que eu não arriscaria uma dessas, a não ser que fossem produtos diferentes tipo: 3 modelos de carros, com hotsites, quando a busca for “carro em sp”.

    Responder
  3. Francisco Lourenço

    Olá Danilo,

    O Google não permite que tenha dois anúncios para o mesmo domínio. Mas quando você tem um produto diferente para ser trabalhado com a mesma Keyword, pode usar o Flood para divulgá-lo. O que não fere as diretrizes….

    Abraço,

    Junior

    Responder
  4. Fábio Ricotta

    Pessoal,

    Pensem um pouco fora da caixa… usem outros CNPJs e domínios com registrar diferentes. O dinheiro vai para o mesmo bolso no final das contas.

    Responder
    • Rafael Damasceno

      Grande Fábio!

      Agora com um pouco mais de tempo para comentar:

      Eu sinceramente não concordo com o uso desse “recurso alternativo” de flood. Não vou entrar em questões de ética, porque cada um tem a sua.

      Mas sim, é totalmente possível fazer com que seu anúncio apareça mais de uma vez na mesma SERP. Se não fosse, o colega Francisco nem teria como dar um exemplo, certo?

      Só que para funcionar, teoricamente, eu tenho que fazer 3 sites totalmente diferentes, tanto nos aspectos que você comentou quanto até esteticamente falando. Fazendo isso, além de eu estar me dando ao trabalho (custo) de fazer 3 sites diferentes, eu não estou tendo benefício de branding, citado anteriormente. Afinal, o usuário não vai ver nos 3 anúncios a mesma empresa. Vai achar que cada uma é cada uma.

      Pode até ser que, em um caso ou outro, eu tendo o mesmo anúncio aparecendo mais de uma vez, meu custo/conversão caia (mesmo sabendo que, competindo comigo mesmo, estou inflacionando o meu mercado). Mas não consigo imaginar uma diferença de ROI revolucionária aí.

      E agora, sendo totalmente prático: Sempre há como saber se uma empresa está aparecendo na mesma SERP com dois anúncios, por mais que ela se esconda de diversas formas. E a denúncia em PPC é bem diferente do que acontece em SEO. Não ficamos dependendo da boa vontade de dois caras do outro lado do mundo. Com poucos milhares de reais investidos mensalmente, qualquer um tem seu atendimento personalizado no Google. Uma denúncia faria efeito bem rápido. E acredito que, em 99% dos casos, teria as guidelines do Adwords claramente a seu favor.
      Então, não vejo essa técnica durando muito em um mercado competitivo, onde concorrentes estão de olho um no outro e conhecem as diretrizes do Adwords.

      Mas finalizo lembrando: cada um tem sua visão das coisas e faz muito bem vermos coisas diferentes do que fazemos/pensamos normalmente. E parabéns por abrirem espaço para o assunto PPC na Agência Mestre. Muito bom!

      Responder
      • Fábio Ricotta

        Olá Damasceno,

        O simples e fácil: caso do Submarino, Americanas e Shoptime.

        Hoje em dia tudo é customizável com CSS e dá pra fazer algo bem distribuído.

        Enfim, se funciona e o Google ainda não “pegou”, é uma técnica válida ao meu ver. E sempre estamos abertos a quaisquer idéias de artigos aqui na Mestre.

        Um abraço!

        Responder
  5. Vinicius Castro

    Tática interessante e comentada no SearchLabs.

    Mas a minha grande dúvida é a mesma que a do Domicio Neto.
    “… mas até que ponto isso não seria anti-ético? … “

    Responder
  6. Paulo Rossini

    Olá,

    O Fábio comentou o ponto principal! O Google não permite o mesmo CNPJ exibir 2 ou mais anúncios na mesma busca!

    Se tiver 2 ou mais contas com domínios e CNPJs diferentes essa “técnica” irá sim funcionar, mas deve-se atentar que o conteúdo da página também deve ser diferente pois do contrário no médio prazo o Google identifica o problema e pode banir todas as contas.

    Agora sobre ética !! Cabe a cada um analisar seu segmento, seus concorrentes e seu negócio. Se no futuro todas empresas resolverem fazer isso quem ganha com cpcs mais altos e uma briga de domínios é só o Google.

    Abraços a todos,

    Responder
  7. Maria Daniel

    Se seu artigo gerou polêmica, certamente dispertou curiosidade e, o objetivo da questão controversa é esse….parabéns.

    Maria Daniel

    Responder
  8. Roberta Barreto

    Ta aí um caso para se pensar em ética e black hat (não sei se o termo está correto). Tudo bem que são domínios teoricamente distintos, daí não haver punição por parte do Google, mas se deixarmos de lado a questão ética, podemos pensar se há vantagens na criação de três contas para o mesmo produto, tendo em vista administração paga (será q o custo com administração é inferior aos centavos de diferença entre os custos de conversão por posicionamento de anúncios?).

    Melhor separar em campanha distinta as palavras que geram mais conversões e separar orçamento de modo a não faltar,. Reduzir o percentual de perda de impressão por orçamento para q os anúncios apareçam para o maior número de buscas relacionadas em vez de aparecer três vezes para a mesma busca, parece-me mais vantajoso.

    Responder
  9. Adriano Rosa

    De certa forma se você exibe dois anúncios com URLs diferentes mas exibindo o mesmo conteúdo na landing page pode não ser uma boa experiência para o usuário, e também pode estar concorrendo com vc mesmo o que seria um desperdício do orçamento.

    creio que não seja uma prática legal para campanha de links patrocinados.

    Responder
  10. Phamella Araújo

    Bom, devemos explorar as várias formas de anúncio, o mercado é concorrido, e nem todas as pessoas tem esse modo de pensar expansivo, eu acho que devemos arriscar se não der certo?
    Isso é um risco que toda ação diferenciada gera, o mais importante é tentar.

    Parabéns pelo artigo.

    Responder
  11. Pedro Lima

    Como todas as leis, existem as brechas. Deixando de lado a questão ética, pois cada um terá sua opinião, com certeza aplicar essa tática aumentaria o tráfego para os sites desse anunciante. Ao meu ver existe como usar esse artifício sem “prejudicar” o usuário, vejam essa afirmação retirada das diretrizes do próprio Google:

    “O site de destino de cada anúncio oferece diferentes produtos ou serviços (por exemplo, um fabricante de grande porte com dois sites de produtos, um só para computadores e outro apenas para aparelhos de som, ambos exibidos para a palavra-chave “eletrônicos”).

    O site de destino de cada anúncio tem uma finalidade diferente (por exemplo, um site concentra-se apenas nas informações do produto e o outro, apenas em sua venda)”

    Responder
  12. Roberto Carlos

    Olá Lourenço,

    Bem interessante o post.

    Entretanto, fazendo uma busca hoje (outubro de 2011), notei que nenhum dos sites do artigo aparecem nos links patrocinados (pelo menos nas buscas, dia e horário que realizei). Gostaria de saber:

    1 – Se a campanha continua no ar do mesmo jeito, apenas não apareceu para mim (talvez devido ao dia e horário da minha pesquisa)
    2 – Se foi a própria empresa que suspendeu a campanha
    3 – Ou, se houve algum tipo de punição pelo Google.

    E, ainda, se houve punição, seria interessante se pudesse dar detalhes do tipo e extensão da punição, para orientar aqueles que leram e ficaram interessados em utilizar essa técnica.

    Obrigado,

    Responder
  13. Walter Belarmino

    A dica é muito válida mas entra dentro um perfil chama de “spam de links patrocinados”. Vale reforçar que tal procedimento vai contras às normas de propaganda do Google.

    Responder

Deixar um comentário

  • (não será publicado)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>